Voltar para home page
Terapias

7 sinais que indicam a depressão

A depressão é uma doença séria e que precisa de cuidados específicos. Fique atento aos sinais!

A depressão é uma doença séria e que precisa de cuidados específicos. Fique atento aos sinais!

A depressão é uma doença psiquiátrica séria que atinge, em média, 2 milhões de pessoas por ano em todo o Brasil. Por muito tempo tratada como um momento breve de tristeza, a depressão está desenhando seus contornos na medicina e sendo considerada como realmente é: uma doença real, perigosa e que pode ser fatal se não tratada corretamente. Para isso, é necessário que o paciente receba o máximo de apoio de familiares e amigos. Se você suspeita que algum conhecido pode estar entrando em depressão, fique atento a 7 sinais que ele pode manifestar.

1. Não dormir ou dormir demais

Distúrbios do sono são muito comuns em pessoas depressivas. Por isso, é normal apresentar excesso de sono ou quadros de insônia. Falta de energia, desânimo para fazer coisas essenciais, como tomar banho ou comer, são indícios de depressão. Por outro lado, a inquietação e alerta constante podem atrapalhar o sono.

2. Engordar muito ou perder peso em excesso sem dieta

Outra forma que o depressivo tem de canalizar os problemas emocionais é nos hábitos alimentares: alguns acabam comendo demais e optam por alimentos nada saudáveis, enquanto outros simplesmente não conseguem comer. Ambas as formas revelam desequilíbrio e demonstram que algo não anda bem.

3. Dificuldade em fazer atividades cotidianas

Levantar, escovar os dentes, tomar banho, trocar de roupa, ir trabalhar… parecem atividades comuns, até mesmo banais do dia a dia, correto? Para quem está em depressão, não é tão simples assim. A dificuldade em fazer essas pequenas coisas é um sinal muito característico da doença.

4. Estar sempre cansado

A fadiga é um sintoma muito expressivo da depressão. A doença faz com que o paciente se sinta em um estado contínuo de cansaço para fazer qualquer coisa, o que pode influenciar ou não nos distúrbios de sono.

5. Dificuldade de concentração e memória falha

É muito comum que pessoas com depressão tenham problemas para se concentrar, trabalhar, estudar e até mesmo dificuldades de memória. Não raro, elas esquecem coisas comuns e cotidianas, como o que aconteceu no dia anterior, se choveu pela manhã ou o que comeram no almoço.

6. Falta de confiança em si mesmo

“É tudo culpa minha”, “não sou bom o suficiente”, “não tenho vontade de fazer nada” são frases comuns na cabeça de quem sofre com a depressão. A autodepreciação e falta de autoconfiança são características da doença, assim como a falta de vontade de viver e desânimo para realizar projetos e desempenhar tarefas.

7. Pensamentos suicidas

Se alguém que você conhece fala com frequência frases como “eu não deveria estar aqui”, “queria morrer e/ou sumir”, isso deve ser um alerta. Todos os sinais citados nos tópicos anteriores levam a um estado de desgaste emocional, psicológico e físico. Quem tem depressão pode não encontrar motivos para continuar - é como se todos os sonhos e projetos se perdessem no caminho. O acompanhamento de um psiquiatra, além do apoio e compreensão de amigos e familiares, são fundamentais no tratamento da depressão.

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais