Voltar para home page
Saúde

Cardiopatia e saúde bucal: entenda a relação entre dentes e problemas cardíacos

Negligenciar a saúde bucal pode influenciar o aparecimento de alguma cardiopatia

Negligenciar a saúde bucal pode influenciar o aparecimento de alguma cardiopatia

Nem todos sabem que há uma relação entre cardiopatia e saúde bucal, mas a manutenção dos dentes não contribui apenas para a prevenção de cáries, canais e abcessos dentários. As visitas ao dentista também atuam no combate a problemas cardíacos, como a endocardite - uma infecção cardiológica causada por microrganismos, que são levados até o coração por meio da corrente sanguínea.

Como a endocardite se manifesta e como evitar?

A endocardite pode se manifestar e atingir áreas do coração que já estejam previamente lesionadas, porém é bastante conhecida por comprometer especialmente o funcionamento das válvulas cardíacas. Estudos de diferentes países apontam que 4% a 20% dos casos de endocardite têm origem bucal relacionada a bacteremias espontâneas (quase sempre decorrentes de higienização inadequada).

A melhor forma de evitar o problema é manter a escovação ao menos três vezes ao dia, fazer uso diário do fio dental e realizar visitas frequentes ao dentista para limpezas e procedimentos que complementam os cuidados bucais. Pessoas com implantes ou próteses também precisam estar atentas à limpeza para evitar complicações.

Endocardite: sintomas e fatores de risco

Pessoas com o coração saudável têm menos chances de serem acometidas por endocardite de origem bucal. Em contrapartida, o risco é consideravelmente maior em pessoas com problemas cardíacos prévios, defeitos congênitos ou válvulas artificiais/danificadas.

Os sintomas mais comuns são:

- Febre e calafrios
- Tosse e falta de ar
- Dor muscular e articular
- Perda de peso e palidez
- Manchas na pele, olhos e boca

Prevenção odontológica e tratamento

Além da higienização correta, existem meios de prevenir a endocardite em pacientes que vão passar por cirurgias ou outros procedimentos odontológicos. Segundo a Associação Americana do Coração (American Heart Association), o ideal é que se realize a antissepsia pré-operatória e a profilaxia antibiótica apenas em pacientes de alto ou médio risco. Caso diagnosticado com a doença cardíaca, é importante que o portador realize o tratamento conforme as orientações médicas.

Fontes: Dr. Cassiano Ricardo Martins Garcia e enfermeira Camila Hayacida

Últimas novidades

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Saúde

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Os resultados de uma vacina contra a Covid-19 podem estar próximos. A pandemia do novo coronavírus alterou o modo de vida da sociedade. O isolamento social trouxe novas formas de consumo, hábitos e trabalho, além da forma como lidamos com a saúde. Desde então, muitos institutos de pesquisa espalhados pelo mundo estão estudando os efeitos do vírus e possibilidades de imunização.

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

Saúde

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

A sensação de formigamento nas mãos é algo comum para muita gente e, embora seja um sintoma simples, precisa de atenção. Isso porque diversos motivos podem estar por trás do formigamento, desde um problema de circulação até um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O indicado é observar o quadro e, dependendo da forma como se manifesta, o atendimento médico pode ser necessário.

Quais as principais causas de queda de cabelo?

Saúde

Quais as principais causas de queda de cabelo?

A queda de cabelo é um problema muito comum, mas quando identificar se está perdendo mais fios do que o considerado saudável? O normal é que uma pessoa perca de 100 a 150 fios por dia de forma natural para que o cabelo cresça novamente. Quando a quantidade ultrapassa isso, é sinal de que pode haver um problema clínico por trás. A queda excessiva de cabelo pode ser observada na escovação diária, durante a lavagem ou até mesmo depois de acordar, quando se percebe muitos fios no travesseiro.

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

Bem-estar

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

A quarentena tem afetado, em grande parte da população, o modo de viver e de interagir com o mundo. Viver numa situação de pandemia também trouxe muita preocupação, que se reflete em ansiedade e distúrbios do sono. Insônia, sono muito leve, acordar várias vezes, não conseguir manter uma rotina de sono ou se sentir extremamente cansado mesmo depois de dormir bem são os problemas mais comuns nesse período de isolamento social.

Ver mais