Voltar para home page
Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV é a forma mais eficaz de prevenir a infecção pelo vírus

A vacina contra HPV é a forma mais eficaz de prevenir a infecção pelo vírus

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Vírus HPV: o que é e como se desenvolve?

Existem mais de 150 tipos de vírus HPV, que podem atingir homens e mulheres. A infecção, normalmente, fica um longo tempo no organismo sem apresentar sintomas. Em casos mais raros, o HPV pode ser transmitido da mãe para o bebê durante o parto. O vírus, segundo o Ministério da Saúde, é classificado em tipos de baixo e alto risco de câncer. Os tipos 6 e 11 são os mais comuns causadores das características verrugas que aparecem na área genital e ânus - que podem se apresentar em variados tamanhos e quantidade. No geral, essas lesões não estão associadas ao câncer.

Já os vírus HPV com alto risco para o câncer são 12 tipos: 16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58 e 59. De acordo com o Ministério da Saúde, os tipos 16 e 18 são os maiores causadores do câncer de colo do útero, além dos tumores no ânus, vagina e vulva. Além disso, os vírus de alto risco também podem influenciar o câncer de boca e garganta.

Vacina HPV: quais os tipos que previnem o vírus?

No Brasil existem duas vacinas contra HPV disponíveis: a quadrivalente protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18; já a bivalente age contra os vírus 16 e 18. Essas imunizações são comercializadas e o valor varia entre R$250 e R$350. O Sistema Único de Saúde oferece a vacina quadrivalente para meninas e meninos entre 9 a 14 anos - nessa fase da vida, a imunização permite a produção de anticorpos e evita o contato com o vírus antes do início da vida sexual. Pessoas transplantadas ou que vivem com o vírus HIV também têm direito à imunização gratuita.

Vacina contra HPV é a melhor forma de prevenir infecções

A vacina não é prescrita como tratamento contra o HPV, ou seja: se a pessoa já foi contaminada por algum tipo do vírus, a imunização não terá efeitos na infecção daquele tipo específico. Como forma de prevenção, a vacina é aplicada em duas doses, com intervalo de seis meses entre cada uma. Além da imunização, o uso de preservativos durante as relações sexuais ajuda a prevenir a infecção, mas não é um método totalmente seguro, já que as lesões também podem surgir nas áreas não protegidas. O exame preventivo (papanicolau) precisa ser feito regularmente para identificar precocemente qualquer lesão no colo do útero.

Fonte: Ministério da Saúde

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais