Voltar para home page
Saúde

Coronavírus: aprenda a diferenciar os sintomas de gripe, resfriado ou Covid-19

A Covid-19 apresenta sintomas semelhantes aos de uma gripe ou refriado, mas é possível diferenciá-la

A Covid-19 apresenta sintomas semelhantes aos de uma gripe ou refriado, mas é possível diferenciá-la

Desde que o novo coronavírus surgiu, você certamente já deve ter ouvido falar na semelhança dos sintomas da doença com os de uma gripe comum e resfriado. Por isso, espirros e coriza frequente, que não são sinais típicos da doença, têm feito algumas pessoas recorrerem a hospitais em busca de ajuda médica. Mas será que é possível manter a tranquilidade diante do quadro e saber como diferenciar o Covid-19 de uma gripe ou resfriado? Para te ajudar nessa tarefa, o Cuidados Mil reuniu os sintomas que são mais comuns e os que são mais raros em cada uma dessas três doenças de acordo com o Ministério da Saúde. Confira!

Gripe x resfriado x Covid-19: entenda como os sintomas se manifestam em cada caso

Ainda que os sintomas da gripe, do resfriado e do coronavírus sejam bastante parecidos, eles podem fluir e se manifestar de formas diferentes em cada pessoa. Por isso, é importante estar atento aos principais sinais clínicos das três doenças respiratórias. Veja abaixo:

  • Gripe: febre, cansaço, tosse (geralmente seca), dores no corpo e mal-estar e dor de cabeça;
  • Resfriado: tosse leve, espirros, coriza ou nariz entupido, dor de garganta, dores no corpo e mal-estar e dor de cabeça;
  • Coronavírus: febre, tosse (geralmente seca), dificuldade para respirar e cansaço.

Ao apresentar os sintomas iniciais da Covid-19, a recomendação do Ministério de Saúde é ligar para o número 136 para buscar informações do que fazer ou procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Apenas os pacientes que apresentem os sintomas mais graves, como febre alta e dificuldade para respirar, e pessoas pertencentes aos grupos de risco, como idosos, portadores de doenças crônicas ou que passam por quimioterapia, devem buscar as redes de emergência.

A capacidade de contágio pode ajudar a diferenciar gripe, resfriado e coronavírus

Por se tratarem de doenças virais, a gripe, o resfriado e a Covid-19 se espalham por meio de gotículas de saliva ou muco de infectados, principalmente com tosses ou o contato de mãos contaminadas em olhos, boca e nariz. Mas, a grande diferença entre as três doenças está na capacidade de contágio. O Coronavírus, por exemplo, apresenta níveis altos do vírus nas vias aéreas e, por isso, é mais contagioso do que a gripe e o resfriado. Um simples espirro ou tosse, mesmo nos estágios iniciais da doença, são capazes de infectar outras pessoas. Além disso, as gotículas do novo vírus podem permanecer por algum tempo em superfícies contaminadas, como maçanetas, corrimão, botões do elevador e apoios em transportes públicos.

O período de incubação das doenças também pode variar

Assim como os sintomas, o período de incubação da gripe, do resfriado e do coronavírus também são diferentes. No caso do coronavírus, os sintomas podem demorar até 14 dias para se manifestarem. Já no caso da gripe e do resfriado, os primeiros sinais surgem quatro dias após a infecção.

A forma mais eficaz de prevenir o novo coronavírus é com cuidados básicos de higiene

Saber os principais sintomas de gripe, resfriado e Covid-19 pode até ajudar a diferenciar as doenças, mas não diminui as chances de contágio do coronavírus. Por isso, é importante adotar alguns cuidados básicos de higiene. Confira abaixo algumas recomendações da Sociedade Brasileira de Epidemiologia para prevenir o contágio:

  • Lavar bem as mãos com água e sabão por cerca de 30 segundos;
  • Evitar aglomerações de pessoas e seguir o isolamento social;
  • Não tocar a região do rosto (olhos, boca e nariz) com as mãos não lavadas;
  • Higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%;
  • Não compartilhar objetos pessoais, incluindo copos e talheres;
  • Evitar o contato com pessoas idosas ou doentes;
  • Cobrir o nariz e boca com o antebraço na hora de espirrar ou tossir.

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais