Voltar para home page
Saúde

Diabetes: quais os sintomas mais comuns que indicam a doença?

Diabetes: mesmo que seja uma doença silenciosa, é importante ficar atento a alguns sinais que indicam o problema!

Diabetes: mesmo que seja uma doença silenciosa, é importante ficar atento a alguns sinais que indicam o problema!

Não é difícil conhecer ou encontrar pessoas que convivem diariamente com a diabetes. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 13 milhões de pessoas no mundo são diagnosticados com um dos tipos da doença. O que pouca gente sabe é que, se não for controlada e acompanhada corretamente, a diabetes pode trazer consequências sérias para a vida do paciente. Por isso, mesmo que seja uma doença silenciosa, é importante ficar atento a alguns sinais, como boca seca e bexiga cheia toda hora, que podem sinalizar que algo não está certo. Confira abaixo os principais sintomas que indicam diabetes!

O que provoca a diabetes?

De forma geral, a diabetes é estabelecida como a falta de insulina ou a incapacidade de absorção desse hormônio responsável por inserir a glicose no organismo. Isso ocorre quando o pâncreas não é capaz de produzir insulina suficiente para fornecer as necessidades do corpo. Com isso, o nível de glicose no sangue aumenta, provocando a hiperglicemia, que a longo prazo pode causar danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Tipo I, tipo II e gestacional: entenda os diferentes tipos de diabetes

Para entender melhor como a doença afeta cada indivíduo é importante saber que existem diferentes tipos de diabetes: tipo I, tipo II e gestacional. O primeiro caso é definido pela baixa ou total ausência da produção de insulina, sendo mais frequente no início da infância e adolescência. A diabetes tipo II, a modalidade mais comum entre os adultos, ocorre quando o organismo não consegue usar a quantidade ideal de insulina produzida ou não produz a quantia suficiente para controlar a taxa de glicemia. Já a diabetes gestacional surge devido às mudanças hormonais sofridas pelas mulheres durante a gravidez, que pode ocasionar na redução da produção de insulina.

Sede intensa e urina em excesso são os principais sintomas de diabetes

A frequente vontade de urinar e sede excessiva são indícios de que você pode estar com diabetes. Isso porque a produção insuficiente de insulina causa um aumento da glicose no sangue, podendo influenciar no surgimento desses sintomas. Além destes, emagrecimento repentino, fraqueza, fadiga e feridas que demoram a cicatrizar podem ser sinais de diabetes. Mas, é importante lembrar que, não é comum que pessoas com diabetes tipo II apresentem sintomas iniciais. Por isso, a doença pode permanecer assintomática por anos.

Tratamento para diabetes é feito com aplicação de insulina

O principal objetivo do tratamento da doença é controlar o nível de glicose no sangue e, consequentemente, evitar picos ou quedas ao longo do dia. Mas, antes de iniciar o tratamento certo, é preciso identificar o tipo de diabetes. No caso dos pacientes com diabetes tipo I, por exemplo, o tratamento consiste em injeções diárias de insulina para manter a glicose no sangue em valores regulares. Para isso, é necessário utilizar um dispositivo que mede a concentração exata do hormônio, o glicosímetro. Já os pacientes de diabetes tipo II podem optar por diferentes medicamentos que estimulam a produção pancreática de insulina pelas células do organismo - o controle glicêmicos por meio do glicosímetro também pode ser necessário nesse tipo da doença.

Fontes: Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Diabetes

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais