Voltar para home page
Bem-estar

Dieta Mediterrânea: conheça a alimentação saudável que é muito saborosa e aprovada pela medicina

Cardápios da dieta mediterrânea apresenta muitos benefícios à saúde

Cardápios da dieta mediterrânea apresenta muitos benefícios à saúde

Conhecida como Dieta Mediterrânea por ter surgido nas regiões banhadas pelo mar de mesmo nome, esse é um dos poucos planos alimentares aprovados e indicados por nutrólogos e nutricionistas. Isso porque a população de países como Grécia, Itália, sul da França e Espanha ganham muito ao atrelar práticas de alimentação saudável no dia a dia com uma série de hábitos benéficos para a saúde - contribuindo para um aumento comprovado da expectativa de vida e redução de doenças crônicas.

Dieta do mediterrâneo apresenta muitos benefícios para a saúde

Muito conhecida principalmente pela proteção contra doenças cardiovasculares, a Dieta Mediterrânea também melhora os níveis de colesterol e tem ação anti-inflamatória, protegendo coração e prevenindo problemas como a trombose.

A saúde intestinal e neurológica são outros pontos valioso que se ganha com esses novos hábitos alimentares. Diversos estudos defendem que a dieta auxilia na redução dos riscos do Mal de Parkinson, Alzheimer, diabetes tipo 2 e os cânceres de pulmão, laringe, esôfago e intestino, entre outros.

Cozinha mediterrânea prioriza equilíbrio e variedade

Qualquer refeição saudável deve ser composta por equilíbrio entre gordura, proteína e carboidrato em um prato bem colorido. No caso da dieta mediterrânea, existem alimentos essenciais para garantir a ingestão de vitaminas e nutrientes em quantidade ideal. Além disso, a forma de preparo das refeições também deve receber atenção.

Veja quais os alimentos que compõem a dieta e em quantas porções consumir:

- Aves, peixes e frutos do mar: adeptos dessa dieta consomem carne branca cerca de quatro vezes por semana. Invista em salmão, atum, sardinha, camarão e frango;

- Azeite de oliva: por sua gordura saudável, o extra virgem é bastante indicado. Use no preparo dos alimentos e como substituto da manteiga e margarina;

- Frutas, legumes e verduras: invista em brócolis, couve, cenoura, banana, pera, maçã e uvas. O ideal é consumir entre sete e dez porções diárias;

- Grãos integrais e leguminosas: feijões são os principais, mas você também pode optar por lentilhas e grão de bico nas refeições principais;

- Oleaginosas: nozes, castanhas e amêndoas são opções para o lanche da tarde. Elas ajudam na reposição de vitaminas e nutrientes importantes;

- Vinho tinto: são indicadas duas taças por dia, no máximo. Lembrando que dependentes alcoólicos, gestantes e menores de idade, claro, não podem seguir essa ideia no cardápio;

- Laticínios: queijos de cabra e ovelha e iogurtes naturais sem açúcar são os mais consumidos. Funcionam como ótimas opções de lanches e no café da manhã.

Hábitos alimentares e vida saudável

É importante saber que os adeptos à Dieta Mediterrânea não se preocupam só com a alimentação, mas com a saúde em âmbito geral. Por isso, a prática de atividades físicas está sempre ligada ao plano alimentar.

Vale lembrar também que essa dieta não é focada em emagrecimento e perda de peso, apesar de contribuir para esses resultados em casos específicos. O ideal é conversar com um especialista para a adaptação do cardápio de acordo com as necessidades nutricionais de cada pessoa.

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais