Voltar para home page
Saúde

Doenças respiratórias: 5 práticas que você pode aderir para se proteger no inverno

O inverno favorece o aparecimento de algumas doenças respiratórias

O inverno favorece o aparecimento de algumas doenças respiratórias

Tosse, coriza, espirros frequentes e dificuldade para respirar: as doenças respiratórias atingem 44% dos brasileiros todos os anos, segundo um levantamento recente do Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística). Nos meses mais frios do ano, geralmente entre maio e agosto, a população fica mais suscetível ainda a ter esses sintomas. As doenças respiratórias mais comuns nesse período do ano são gripe, asma, rinite, bronquite, sinusite e pneumonia.

Com o frio e a queda da umidade relativa do ar, é normal que o sistema imunológico - principalmente de crianças e idosos - fique mais desestabilizado. Outros fatores também influenciam o aumento das doenças respiratórias no inverno: ambientes mais fechados e com pouca circulação de ar, pessoas aglomeradas em locais mais quentes e mudanças abruptas de temperatura ao longo do dia. Adotar algumas práticas no dia a dia pode proteger você e sua família de diferentes doenças comuns nos meses mais frios do ano. Veja abaixo!

#1 A vacina é a melhor forma de se prevenir contra a gripe

A prevenção ainda é a melhor alternativa quando falamos de doenças respiratórias. No caso da gripe, causada pelo vírus Influenza, ela vem acompanhada de febre alta, dores de cabeça e no corpo, vias respiratórias congestionadas e garganta inflamada. Se não tratada desde o início, a gripe pode evoluir para quadros de infecção mais graves, principalmente nos grupos de risco - crianças, idosos e gestantes. A vacina da gripe protege por um ano e é indicada a partir dos seis meses de idade. Já a vacina contra pneumonia tem capacidade de imunização por cinco anos. O público prioritário são crianças, idosos com mais de 60 anos, pessoas com Síndrome de Down, diabéticos, pacientes com problemas renais e indivíduos com doenças respiratórias crônicas. Outras condições também indicam a vacinação, conforme recomendações do Ministério da Saúde.

#2 Se mantenha saudável: hábitos para todas as estações do ano

Alimentação equilibrada, boas noites de sono, hidratação e prática de exercícios físicos interferem na nossa saúde em geral e na sensação de bem-estar. Por isso, garantir que seu corpo está recebendo os nutrientes necessários para se manter forte e bem nutrido precisa ser uma preocupação durante todo o ano. A rotina saudável, além de oferecer energia para as tarefas do dia, vai fortalecer a sua imunidade para os períodos de maior exposição às doenças respiratórias. Em caso de crianças, é importante estender o aleitamento materno até os dois anos.

#3 Evite as mudanças abruptas de temperatura

Com os inúmeros compromissos do dia é normal passar por oscilações de temperatura em diferentes ambientes, principalmente se você mora em cidades mais frias. Sair do banho e ir para um cômodo com mais circulação de vento ou deixar o escritório e encarar o frio da rua, por exemplo, são situações que precisam de atenção durante o inverno. Vale seguir o conselho de mãe e se agasalhar bem, cobrindo extremidades e as partes mais sensíveis do corpo!

#4 Fique atento aos locais em que vírus e bactérias se propagam

Parece um conselho com pouca importância, mas lavar as mãos com mais frequência vai te deixar menos vulnerável a entrar em contato com vírus e bactérias. Além disso, as doenças respiratórias transitam com mais facilidade em locais pouco arejados e com aglomerações de pessoas. Portanto, se não puder escapar desses lugares, ande sempre com um álcool em gel na bolsa e evite passar a mão nos olhos, nariz e boca.

#5 Cuide da sua casa e dos ambientes em que transita

A sua casa também precisa se preparar para os meses mais frios, principalmente se houver pessoas mais propícias a ter doenças respiratórias. Tenha uma atenção especial com cortinas, carpetes e tapetes para não acumular ácaros e, na hora de limpar os móveis e o chão, use panos úmidos para não levantar poeira. As roupas de cama também precisam ser trocadas com mais frequência, principalmente os cobertores. Por último, evite deixar as janelas e portas sempre fechadas: mesmo com o frio, o ar precisa circular e se renovar nos ambientes.

Fonte: Ministério da Saúde

Últimas novidades

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

Saúde

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

As hepatites virais afetam mais de 400 milhões de pessoas todos os anos no mundo inteiro, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. Considerado um grave problema de saúde pública, os tipos mais comuns da doença no Brasil são as hepatites A, B e C. A infecção atinge o fígado e pode não apresentar sintomas, possibilitando o diagnóstico apenas em graus mais avançados da doença.

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Saúde

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Todo mundo sabe o impacto que uma dieta rica e nutritiva exerce na prevenção doenças cardíacas e endócrinas, mas você costuma associar a saúde mental com a sua alimentação? A maioria das pessoas não. Estresse, cansaço mental e ansiedade são transtornos muito comuns. No caso da depressão, o Brasil é considerado o país da América Latina com mais casos: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros sofrem com o problema - no mundo todo, são 322 milhões de pessoas.

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Bem-estar

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Um dia cheio de tarefas, estresse ou ansiedade pode impactar diretamente o seu sono. Insônia e noites mal dormidas são uma resposta natural do nosso corpo a essas situações. Além de ter o humor e produtividade prejudicados no dia seguinte, qualquer alteração no período destinado ao descanso pode se refletir na saúde: é na hora de dormir que o nosso corpo repõe energia, fortalece o sistema imunológico, libera hormônios e estabiliza a memória.

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

Saúde

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

A amamentação é uma maneira eficaz, segura e acessível para criar vínculos de afeto e proporcionar todas as necessidades nutricionais que um bebê precisa para se desenvolver bem. O leite materno é a melhor estratégia para reduzir a mortalidade infantil e também tem implicações benéficas na saúde emocional da mãe. É por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até dois anos de idade.

Ver mais