Voltar para home page
Bem-estar

Envelhecimento saudável: 4 hábitos que você pode incluir na sua vida agora mesmo

É possível ter uma velhice mais saudável e feliz com algumas mudanças de hábitos

É possível ter uma velhice mais saudável e feliz com algumas mudanças de hábitos

O envelhecimento saudável tem se tornado uma prioridade cada vez mais comum na sociedade. Hoje, a expectativa de vida do brasileiro é de aproximadamente 75 anos e esse aumento reflete algo curioso: envelhecer não é mais sinônimo de doenças e mobilidade reduzida. A aposentadoria pode ser uma oportunidade para aproveitar mais: com qualidade de vida, autonomia e saúde.

Envelhecimento com qualidade de vida: como preservar a saúde mental e física?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o objetivo de diminuir em 15 milhões a quantidade de idosos dependentes no mundo inteiro. O Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde , divulgado em 2015, mostrou que o caminho para para a longevidade sadia é o bem estar e a autonomia

Ter uma atitude preventiva ainda é a melhor forma de envelhecer com saúde: foi pensando nisso que a American College of Lifestyle Medicine juntou evidências que comprovam que a substituição de comportamentos não saudáveis é capaz de prevenir e reverter doenças. Entre esses hábitos estão controlar o estresse, dormir bem, se alimentar melhor e construir fortes relações para apoio emocional. Veja abaixo 4 hábitos que você pode colocar na sua vida agora mesmo para uma velhice com mais autonomia!

#1 Não deixe de acompanhar o estado da sua saúde

Manter consultas de rotina é importante mesmo se não estiver com alguma doença. Essa é uma forma de acompanhar resultado de exames, vacinas e medicações em uso. O médico também vai conversar com você sobre a sua rotina, dores que possa estar sentindo e rastrear possíveis doenças. No caso de mulheres, a visita ao ginecologista uma vez por ano é essencial para exames preventivos. Para idosos, o recomendado é fazer um acompanhamento com o geriatra ou médico de família a cada seis meses.

#2 Fortaleça os músculos e melhore a sua mobilidade

A prática de exercícios físicos é determinante para a qualidade de vida na velhice por melhorar a mobilidade e evitar problemas decorrentes de quedas. Os benefícios são inúmeros: melhora a função cardiovascular, fortalece os músculos e previne doenças nos ossos, como osteoporose e artrose. Além disso, estudos mostram que as atividades físicas ajudam a preservar a capacidade mental. Esses aspectos são fundamentais para uma velhice mais saudável.

#3 Estimule a mente para preservar a capacidade cognitiva

Atualmente, o mal de Alzheimer afeta 11,5% da população idosa do Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Com prevalência em pessoas com mais de 65 anos, a doença afeta a parte cognitiva e causa perda de autonomia e qualidade de vida na velhice. Não há uma prevenção específica, mas a comunidade médica acredita que ter uma boa vida social e manter a cabeça ativa é um fator que pode inibir a manifestação da doença. Ler mais, aprender novas línguas e fazer palavras-cruzadas com frequência são formas eficazes de estimular a mente.

#4 Fortaleça as relações sociais

A solidão ainda é um dos aspectos que mais afeta idosos no mundo inteiro. Estudos apontam que o isolamento social tem relação com casos de mortalidade prematura, já que alteram os hormônios ligados ao estresse, aumentando assim a chance de doenças no coração. As conexões, portanto, são muito importantes para a saúde física e resiliência emocional. Por isso, desde sempre fortaleça suas relações sociais e familiares para ter um forte apoio no processo de envelhecimento.

Últimas novidades

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

Saúde

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

A saúde mental na adolescência e juventude é um assunto muito importante e que deve ser falado. Essa é uma fase de mudanças em todos os sentidos, que quase sempre vêm acompanhadas de dúvidas e cobranças.  Qual profissão devo seguir? Como conseguir emprego? Será que devo me casar? Está na hora de ter filhos? Aluguel ou casa própria? Se pudéssemos olhar dentro da mente de um jovem, certamente encontraremos mais perguntas do que respostas.

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Terapias

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Nem todo mundo sabe quais são as diferenças entre psicólogo e psiquiatra, mas cada profissional tem uma função bem específica dentro do campo da saúde mental. Tudo começa, inclusive, pela formação de cada profissional, já que são especializados em áreas diferentes. Em muitos casos, o psicólogo e o psiquiatra trabalham em conjunto e de forma complementar, cada um auxiliando em um aspecto da vida do paciente.

Como é feito o tratamento de canal?

Odontologia

Como é feito o tratamento de canal?

Cuidar da saúde dos dentes é fundamental para manter um sorriso bonito. Consultas regulares ao dentista são super importantes, pois alguns procedimentos de rotina são necessários e somente o especialista poderá avaliar, por exemplo, quando realizar o tratamento de canal.  Só de ouvir o nome, a maioria das pessoas tem receio de realizar esse procedimento. Para esclarecer como é realizado o tratamento de canal, quais são as etapas e quais os cuidados necessários após o procedimento, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Saúde

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Com a pandemia do novo coronavírus, as vacinas voltaram a ser a prioridade entre a comunidade científica e a própria população. O que poucos sabem é que as vacinas fazem parte da realidade há séculos e são consideradas umas das principais medidas preventivas contra doenças graves. No Brasil, a vacina surgiu em 1804 para combater a varíola, um quadro contagioso e muito perigoso para a época, mas que já foi erradicado depois de uma campanha de vacinação em massa organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por volta de 1970. Ainda assim, muitas pessoas não entendem o processo de desenvolvimento de imunizações e nem a importância de não deixar de se vacinar.

Ver mais