Voltar para home page
Bem-estar

Envelhecimento saudável: 4 hábitos que você pode incluir na sua vida agora mesmo

É possível ter uma velhice mais saudável e feliz com algumas mudanças de hábitos

É possível ter uma velhice mais saudável e feliz com algumas mudanças de hábitos

O envelhecimento saudável tem se tornado uma prioridade cada vez mais comum na sociedade. Hoje, a expectativa de vida do brasileiro é de aproximadamente 75 anos e esse aumento reflete algo curioso: envelhecer não é mais sinônimo de doenças e mobilidade reduzida. A aposentadoria pode ser uma oportunidade para aproveitar mais: com qualidade de vida, autonomia e saúde.

Envelhecimento com qualidade de vida: como preservar a saúde mental e física?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o objetivo de diminuir em 15 milhões a quantidade de idosos dependentes no mundo inteiro. O Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde , divulgado em 2015, mostrou que o caminho para para a longevidade sadia é o bem estar e a autonomia

Ter uma atitude preventiva ainda é a melhor forma de envelhecer com saúde: foi pensando nisso que a American College of Lifestyle Medicine juntou evidências que comprovam que a substituição de comportamentos não saudáveis é capaz de prevenir e reverter doenças. Entre esses hábitos estão controlar o estresse, dormir bem, se alimentar melhor e construir fortes relações para apoio emocional. Veja abaixo 4 hábitos que você pode colocar na sua vida agora mesmo para uma velhice com mais autonomia!

#1 Não deixe de acompanhar o estado da sua saúde

Manter consultas de rotina é importante mesmo se não estiver com alguma doença. Essa é uma forma de acompanhar resultado de exames, vacinas e medicações em uso. O médico também vai conversar com você sobre a sua rotina, dores que possa estar sentindo e rastrear possíveis doenças. No caso de mulheres, a visita ao ginecologista uma vez por ano é essencial para exames preventivos. Para idosos, o recomendado é fazer um acompanhamento com o geriatra ou médico de família a cada seis meses.

#2 Fortaleça os músculos e melhore a sua mobilidade

A prática de exercícios físicos é determinante para a qualidade de vida na velhice por melhorar a mobilidade e evitar problemas decorrentes de quedas. Os benefícios são inúmeros: melhora a função cardiovascular, fortalece os músculos e previne doenças nos ossos, como osteoporose e artrose. Além disso, estudos mostram que as atividades físicas ajudam a preservar a capacidade mental. Esses aspectos são fundamentais para uma velhice mais saudável.

#3 Estimule a mente para preservar a capacidade cognitiva

Atualmente, o mal de Alzheimer afeta 11,5% da população idosa do Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Com prevalência em pessoas com mais de 65 anos, a doença afeta a parte cognitiva e causa perda de autonomia e qualidade de vida na velhice. Não há uma prevenção específica, mas a comunidade médica acredita que ter uma boa vida social e manter a cabeça ativa é um fator que pode inibir a manifestação da doença. Ler mais, aprender novas línguas e fazer palavras-cruzadas com frequência são formas eficazes de estimular a mente.

#4 Fortaleça as relações sociais

A solidão ainda é um dos aspectos que mais afeta idosos no mundo inteiro. Estudos apontam que o isolamento social tem relação com casos de mortalidade prematura, já que alteram os hormônios ligados ao estresse, aumentando assim a chance de doenças no coração. As conexões, portanto, são muito importantes para a saúde física e resiliência emocional. Por isso, desde sempre fortaleça suas relações sociais e familiares para ter um forte apoio no processo de envelhecimento.

Últimas novidades

Como funciona a vacina contra HPV?

Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

Emergência

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma dos problemas mais comuns no mundo inteiro. Também conhecido com derrame cerebral, ele acontece por causas variadas e pode levar à morte - ou provocar consequências graves que afetam toda a vida do paciente. A junção de alguns sintomas ajudam a identificar o problema, que precisa de um atendimento médico imediato. O AVC ainda é cercado de mitos e dúvidas, mas uma coisa é certa: o problema pode ser evitado com atitudes simples no dia a dia.

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

Terapias

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

A meditação é um método milenar associado à saúde e ao bem-estar físico e mental. Não se sabe ao certo quando ou onde surgiu, já que a prática acompanha a humanidade desde os seus primórdios, mas uma coisa é certa: a meditação tem ganhado mais popularidade e, inclusive, é indicada no tratamento de diversos transtornos. O método pode ser resumido como um treinamento da mente para esvaziar ou redirecionar os pensamentos. Na prática, é muito mais do que isso e a ciência pode comprovar. Veja abaixo 4 benefícios da meditação com respaldo científico!

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Ver mais