Voltar para home page
Saúde

Fibromialgia: conheça a doença e os desafios de viver com as dores

Praticar exercícios físicos é fundamental para o tratamento da fibromialgia

Praticar exercícios físicos é fundamental para o tratamento da fibromialgia

Uma dor generalizada, persistente e que, aparentemente, não tem explicação: é assim que se manifesta a fibromialgia. A doença se caracteriza pela sensação de fadiga, prejudica o sono e as dores podem não passar mesmo com analgésicos. Quem sofre de fibromialgia sabe como essa condição pode ser limitante. Mas, apesar de não ter cura, com os tratamentos adequados é possível retomar a qualidade de vida.

O que é fibromialgia?

Não há uma causa definida para a fibromialgia. Predisposição genética é uma das explicações, mas o estresse também é um fator. Quando o paciente passa por muitas situações que afetam o psicológico, as chances de desenvolver a dor são maiores.

Fibromialgia e depressão podem se relacionar, mas nem todos que sofrem com a dores vão apresentar sintomas depressivos. Por conta da intensidade e da persistência da dor, alguns podem desenvolver essa doença psicológica - o que gera um ciclo vicioso, visto que o estresse e outros sintomas depressivos agravam as dores. Nesses casos, se torna necessário o acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Fibromialgia: diagnóstico é feito por reumatologistas

O primeiro passo é chegar ao diagnóstico. Por não ser detectável em exames de laboratórios e nem causar sintoma visível pelo corpo, muitas vezes ela é enxergada como um transtorno puramente psicológico. O que não é verdade - os pacientes relatam dores efetivas.

A confirmação da fibromialgia vem por meio de consultas com reumatologistas. Após analisar a condição clínica e descartar outras possíveis doenças, o médico realiza um exame em que 18 pontos musculares serão pressionados - e, caso o indivíduo sinta dor em ao menos 11 deles, o diagnóstico é confirmado.

Tratamento para fibromialgia busca promover qualidade de vida

Para tratar a fibromialgia é preciso tanto de medicamentos quanto de mudanças nos hábitos de vida. Os remédios utilizados são relaxantes musculares, neuromoduladores e antidepressivos - mesmo nos casos em que o paciente não apresenta quadro de depressão.

Isso porque, eles atuarão nas áreas do corpo humano responsáveis por gerar e inibir a dor e outros sintomas da doença, independente da situação psicológica do indivíduo. Além disso, a prática de exercícios físicos é indispensável no tratamento. Apesar de atividade aeróbicas, como natação, serem mais indicadas, o paciente tem liberdade para escolher aquela que mais o agrada.

Caso o sono esteja muito comprometido e os remédios não sejam o suficiente, algumas mudanças de comportamento na hora de dormir podem ajudar - como, por exemplo, evitar bebidas cafeinadas, diminuir possíveis ruídos ou claridades do ambiente e realizar uma refeição mais leve no período da noite.

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais