Voltar para home page
Saúde

Fibromialgia: conheça a doença e os desafios de viver com as dores

Praticar exercícios físicos é fundamental para o tratamento da fibromialgia

Praticar exercícios físicos é fundamental para o tratamento da fibromialgia

Uma dor generalizada, persistente e que, aparentemente, não tem explicação: é assim que se manifesta a fibromialgia. A doença se caracteriza pela sensação de fadiga, prejudica o sono e as dores podem não passar mesmo com analgésicos. Quem sofre de fibromialgia sabe como essa condição pode ser limitante. Mas, apesar de não ter cura, com os tratamentos adequados é possível retomar a qualidade de vida.

O que é fibromialgia?

Não há uma causa definida para a fibromialgia. Predisposição genética é uma das explicações, mas o estresse também é um fator. Quando o paciente passa por muitas situações que afetam o psicológico, as chances de desenvolver a dor são maiores.

Fibromialgia e depressão podem se relacionar, mas nem todos que sofrem com a dores vão apresentar sintomas depressivos. Por conta da intensidade e da persistência da dor, alguns podem desenvolver essa doença psicológica - o que gera um ciclo vicioso, visto que o estresse e outros sintomas depressivos agravam as dores. Nesses casos, se torna necessário o acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Fibromialgia: diagnóstico é feito por reumatologistas

O primeiro passo é chegar ao diagnóstico. Por não ser detectável em exames de laboratórios e nem causar sintoma visível pelo corpo, muitas vezes ela é enxergada como um transtorno puramente psicológico. O que não é verdade - os pacientes relatam dores efetivas.

A confirmação da fibromialgia vem por meio de consultas com reumatologistas. Após analisar a condição clínica e descartar outras possíveis doenças, o médico realiza um exame em que 18 pontos musculares serão pressionados - e, caso o indivíduo sinta dor em ao menos 11 deles, o diagnóstico é confirmado.

Tratamento para fibromialgia busca promover qualidade de vida

Para tratar a fibromialgia é preciso tanto de medicamentos quanto de mudanças nos hábitos de vida. Os remédios utilizados são relaxantes musculares, neuromoduladores e antidepressivos - mesmo nos casos em que o paciente não apresenta quadro de depressão.

Isso porque, eles atuarão nas áreas do corpo humano responsáveis por gerar e inibir a dor e outros sintomas da doença, independente da situação psicológica do indivíduo. Além disso, a prática de exercícios físicos é indispensável no tratamento. Apesar de atividade aeróbicas, como natação, serem mais indicadas, o paciente tem liberdade para escolher aquela que mais o agrada.

Caso o sono esteja muito comprometido e os remédios não sejam o suficiente, algumas mudanças de comportamento na hora de dormir podem ajudar - como, por exemplo, evitar bebidas cafeinadas, diminuir possíveis ruídos ou claridades do ambiente e realizar uma refeição mais leve no período da noite.

Últimas novidades

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

Alimentação saudável

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

A alimentação carrega muitos significados em diferentes fases da vida e é essencial para a nossa saúde. Aprender a comer melhor é uma forma de absorver os nutrientes da forma correta e tem impactos diretos no seu dia a dia: ajuda a dormir melhor, ter mais disposição e evitar doenças. Com a correria do dia a dia e acúmulo de responsabilidades, o piloto automático acaba virando o estado normal sempre que é possível, principalmente na hora das tarefas que se repetem todos os dias, como o momento das refeições. Mudar sua relação com a comida nesse momento tão importante só trará benefícios para a sua vida. Veja como é simples!

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

Exercício físico

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

O corpo feminino passa por diferentes transformações ao longo da vida. A menarca (primeira menstruação), a gravidez, a menopausa… todos esses ciclos sofrem influência de um mecanismo hormonal que sabe exatamente onde precisa atuar em cada fase. A mulher adulta, portanto, passa por diferentes momentos ao longo do mês que determinam a sua rotina, humor e até a energia para realizar as atividades do cotidiano. É por isso que é muito normal estar mais ou menos disposta dependendo do dia. Acontece que a intensidade dos hormônios liberados em cada parte do ciclo podem alterar todo o corpo da mulher.

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Consulta

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Cansaço, sono desregulado e alterações no peso são alguns sinais que podem indicar problemas na tireoide. A glândula, que tem um formato parecido com uma borboleta e está localizada na parte da frente do pescoço, libera hormônios fundamentais para diferentes mecanismos do corpo humano. A baixa ou elevada produção dessas substâncias podem afetar muito a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

Saúde

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

A imunidade baixa é, na maioria das vezes, associada a quadros de gripes, mas há muitos outros sinais que indicam problemas no sistema imunológico. Responsável pela defesa do organismo contra bactérias, vírus e fungos, esse sistema está presente em todo o corpo humano em forma de células e moléculas. A ação imunológica é capaz de manter o organismo livre de tumores, infecções e outras doenças graves.

Ver mais