Voltar para home page
Saúde

Função da vitamina D: entenda o papel do nutriente no corpo humano

A vitamina D impacta várias funcionalidades do nosso organismo

A vitamina D impacta várias funcionalidades do nosso organismo

A vitamina D é famosa por regular o metabolismo de cálcio e fósforo no corpo, fortalecendo os ossos. Mas a sua atuação vai muito além disso: estudos mostram que a falta de vitamina D está associada ao maior risco de problemas cardiovasculares, tumores e doenças imunológicas e infecciosas.

Apesar dessa função da vitamina D tão importante, o corpo humano não é capaz de produzir o composto naturalmente - ele precisa ser induzido a fazer isso ou receber de fora. Um dos métodos mais eficazes é a exposição diária ao sol: a partir da ação dos raios ultravioletas, uma molécula da pele se transforma em vitamina D. Alimentos, como os peixes, também possuem essa substância em sua composição - mas ela corresponde a apenas 10% do que o corpo precisa para se manter saudável. Os outros 90% da vitamina D vêm mesmo da exposição ao sol.

Benefícios da vitamina D

Além de favorecer a saúde dos ossos, a vitamina D é essencial para vários outros órgãos. Ela atua no metabolismo e na produção de insulina, regula o crescimento e fortalece os músculos e o sistema cardiovascular.

Outro benefício da vitamina D é a ação no sistema imunológico, que possui receptores do nutriente. Combinados, o organismo fica mais preparado para defender o corpo de agentes externos, prevenindo doenças ou evitando que elas evoluam para casos graves.

No caso de gestantes, há evidências que apontam que a baixa taxa desse composto (situação comum nesse período) pode gerar hipertensão arterial e diabetes gestacional. Além disso, é preciso lembrar que a produção de nutrientes do feto depende exclusivamente da mãe.

A saúde mental é outra área beneficiada pela vitamina D. Um estudo publicado no Journal of Post-Acute and Long-Term Care Medicine, apontou que a falta dela pode aumentar em 75% o risco de depressão em pessoas idosas.

Um hormônio chamado de vitamina D

A história desse composto tem pouco mais de cem anos e uma ligação direta com o óleo de fígado de bacalhau. Nessa época, os cientistas tentavam entender por que esse alimento ajudava na prevenção e tratamento do raquitismo - doença caracterizada pelo enfraquecimento dos ossos infantis.

A resposta veio em torno de 1925, quando o estudioso Adolf Windaus e seu grupo de trabalho descobriram que o óleo era rico em uma substância até então desconhecida, mas importantíssima para o corpo humano: a vitamina D.

A partir daí, os estudos avançaram e ficou comprovado que o próprio corpo poderia produzi-la ao receber a exposição solar - levando o corpo acadêmico a afirmar que o composto foi erradamente chamado de vitamina; na verdade, trata-se de um hormônio. Apesar disso, o nome “vitamina D” ficou famoso e até hoje é utilizado.

Como tomar sol de forma segura?

Você já deve ter se perguntado qual o melhor horário para tomar sol. O tempo necessário de exposição solar depende de vários fatores, como região, idade, estado de saúde, cor de pele e peso. Mas, no geral, de 15 a 20 minutos diários para adultos saudáveis e de pele branca são suficientes.

Nessa hora, deixe o protetor solar de lado, já que ele impede a ação dos raios ultravioletas - tão importante para a produção de vitamina D. Esse produto só é necessário caso o tempo de exposição seja maior do que o recomendado. Além disso, não é necessário colocar todo o corpo no sol: uma leve caminhada com os braços expostos já cumpre a função.

No caso de adultos negros, as regras são as mesmas. O que muda é o tempo de exposição solar: pode chegar até uma hora, dependendo do tom da pele. É que, quanto mais melanina o corpo possui, maior é a dificuldade de absorver os raios UV.

Cuidado com o suplemento de vitamina D

Na maioria das cidades brasileiras, mesmo no inverno, o sol se faz presente - e promover a produção de maneira natural de vitamina D é mais seguro. Já em locais onde os dias ensolarados são minoria, é comum que os moradores façam uso de suplementação.

Acontece que a superdosagem do suplemento de vitamina D é perigosa e, por isso, o seu uso deve ser feito apenas com acompanhamento clínico. Em excesso, essa substância aumenta a concentração de cálcio no sangue e pode favorecer a formação de cálculos renais. Não à toa, os sintomas mais comuns de intoxicação por vitamina D são náuseas, fraqueza, sede, nervosismo e aumento da pressão arterial e vontade de urinar.

Últimas novidades

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Saúde

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Os resultados de uma vacina contra a Covid-19 podem estar próximos. A pandemia do novo coronavírus alterou o modo de vida da sociedade. O isolamento social trouxe novas formas de consumo, hábitos e trabalho, além da forma como lidamos com a saúde. Desde então, muitos institutos de pesquisa espalhados pelo mundo estão estudando os efeitos do vírus e possibilidades de imunização.

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

Saúde

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

A sensação de formigamento nas mãos é algo comum para muita gente e, embora seja um sintoma simples, precisa de atenção. Isso porque diversos motivos podem estar por trás do formigamento, desde um problema de circulação até um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O indicado é observar o quadro e, dependendo da forma como se manifesta, o atendimento médico pode ser necessário.

Quais as principais causas de queda de cabelo?

Saúde

Quais as principais causas de queda de cabelo?

A queda de cabelo é um problema muito comum, mas quando identificar se está perdendo mais fios do que o considerado saudável? O normal é que uma pessoa perca de 100 a 150 fios por dia de forma natural para que o cabelo cresça novamente. Quando a quantidade ultrapassa isso, é sinal de que pode haver um problema clínico por trás. A queda excessiva de cabelo pode ser observada na escovação diária, durante a lavagem ou até mesmo depois de acordar, quando se percebe muitos fios no travesseiro.

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

Bem-estar

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

A quarentena tem afetado, em grande parte da população, o modo de viver e de interagir com o mundo. Viver numa situação de pandemia também trouxe muita preocupação, que se reflete em ansiedade e distúrbios do sono. Insônia, sono muito leve, acordar várias vezes, não conseguir manter uma rotina de sono ou se sentir extremamente cansado mesmo depois de dormir bem são os problemas mais comuns nesse período de isolamento social.

Ver mais