Voltar para home page
Saúde

Herpes Simples: entenda mais sobre a infecção e como se proteger

Entenda mais sobre a herpe simples e como ela se desenvolve!

Entenda mais sobre a herpe simples e como ela se desenvolve!

Todo mundo já ouviu falar sobre a Herpes pelo menos uma vez na vida, mas a transmissão, tipos e desenvolvimento da doença ainda geram muitas dúvidas. Antes de tudo, a Herpes pode se apresentar de duas formas, variando de acordo com o vírus transmissor: o Varicela-Zóster (VVZ), que é o mesmo que causa a catapora e também é chamado Herpes Zóster ou cobreiro; e o herpesvírus (tipo 1 e 2), causadores da herpes simplex. É justamente da forma mais simples que vamos falar.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), pelo menos 99% da população adulta já teve contato com a infecção na infância ou adolescência, muitas vezes sem apresentar sintomas ou apenas com uma ocorrência. A partir disso, é possível desenvolver imunidade contra o vírus da herpes simplex, criando resistência pelo resto da vida.

Como é o desenvolvimento da herpes simples?

A principal característica da herpes simples é o surgimento pequenas bolhas agrupadas nos lábios e genitais (que também podem atingir outros locais da pele). De acordo com o Ministério da Saúde, uma vez ativado, o vírus se desenvolve em algumas etapas:

  • A herpes começa com um formigamento, ardência ou leve coceira no local em que as bolhas vão surgir;
  • As pequenas bolhas aparecem em seguida de forma mais agrupada. A região também fica mais avermelhada e pode ter inchaço;
  • Em seguida, as bolhas se rompem. Nessa fase, é liberado um líquido com alta concentração do vírus e se forma uma ferida no local. Segundo o Ministério da Saúde, esse é o período em que há mais risco de transmissão;
  • Por último, a ferida começa a secar e entra no processo de cicatrização.

Como ocorre a transmissão do vírus?

A herpes, normalmente, dura de 5 a 10 dias. Segundo a SBD, o herpesvírus tipo 1 geralmente acomete os lábios e parte interna da boca, já o tipo 2 causa as feridas nos genitais - a infecção pode ser via sexual ou não e vem acompanhada de ardência ao urinar. A contaminação ocorre com o contato direto com a pele ou mucosas de pessoas infectadas. Um fato curioso é que o vírus da herpes pode permanecer no organismo, de forma inativa, por um longo tempo até ser reativado.

De acordo com o Ministério da Saúde, alguns fatores podem provocar a reativação do vírus, como exposição solar por muito tempo, estresse, fadiga física e mental, menstruação, febre e até outras infecções que podem afetar a as defesas do organismo. Se o quadro de herpes ocorrer com frequência, é importante avaliar alguma forma de aumentar a imunidade.

Tratamento e prevenção da herpes simples

Ao perceber qualquer sintoma da doença, o ideal é buscar um médico dermatologista para avaliar a intensidade da infecção e indicar o melhor tratamento, que pode ser com medicamentos ou pomadas. Durante o tratamento, evite manipular ou furar as bolhas. Para prevenir a herpes, você pode tomar alguns cuidados com a higiene e hábitos diários:

  • Usar preservativo nas relações sexuais;
  • Evitar beijar ou falar perto de pessoas infectadas;
  • Não usar objetos ou roupas íntimas de outra pessoa;
  • Manter as mãos sempre limpas e evitar tocar feridas (suas ou de outras pessoas);
  • Usar protetor solar e labial durante a exposição solar;
  • Manter uma alimentação equilibrada e nutritiva.

Fontes: Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Dermatologia

Últimas novidades

Como funciona a vacina contra HPV?

Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

Emergência

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma dos problemas mais comuns no mundo inteiro. Também conhecido com derrame cerebral, ele acontece por causas variadas e pode levar à morte - ou provocar consequências graves que afetam toda a vida do paciente. A junção de alguns sintomas ajudam a identificar o problema, que precisa de um atendimento médico imediato. O AVC ainda é cercado de mitos e dúvidas, mas uma coisa é certa: o problema pode ser evitado com atitudes simples no dia a dia.

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

Terapias

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

A meditação é um método milenar associado à saúde e ao bem-estar físico e mental. Não se sabe ao certo quando ou onde surgiu, já que a prática acompanha a humanidade desde os seus primórdios, mas uma coisa é certa: a meditação tem ganhado mais popularidade e, inclusive, é indicada no tratamento de diversos transtornos. O método pode ser resumido como um treinamento da mente para esvaziar ou redirecionar os pensamentos. Na prática, é muito mais do que isso e a ciência pode comprovar. Veja abaixo 4 benefícios da meditação com respaldo científico!

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Ver mais