Voltar para home page
Saúde

HPV: veja mitos e verdades sobre a infecção

 O vírus HPV ainda é cercado de dúvidas sobre prevenção, sintomas e tratamento

O vírus HPV ainda é cercado de dúvidas sobre prevenção, sintomas e tratamento

O Papilomavírus Humano, conhecido como HPV, é responsável pela infecção sexualmente transmissível mais comum - que pode acometer pele e mucosas de homens e mulheres com verrugas na região genital e no ânus. E um dos motivos para falarmos do assunto é que boa parte da população não se sente informada sobre o tema: poucas pessoas sabem, por exemplo, que o preservativo feminino é o mais eficaz na prevenção contra o vírus. Por isso, entrevistamos Lauro Perdigão, infectologista do Grupo Americas, para esclarecer sobre as principais questões que envolvem o HPV.

Vacina contra HPV é um dos principais meios de prevenção

A vacina, aprovada no Brasil nas versões bivalente e quadrivalente, também é importante para prevenir a infecção. Ela deve ser aplicada em meninas com idade entre 9 e 14 anos e meninos com idade entre 11 e 14 - além de grupos com condições clínicas especiais. A vacina também é eficaz para quem já foi infectado pelo HPV - por impedir novas transmissões e proteger contra infecções por outros tipos do vírus.

“Associar a vacinação com o uso de preservativos é a melhor maneira de combater a infecção”, explica Perdigão. Além disso, a vacina é essencial para meninas com idade entre 9 e 14 anos - para que sejam imunizadas antes de se tornarem sexualmente ativas. Nos casos de mulheres adultas, é importante buscar por assistência adequada para diagnóstico, tratamento e prevenção, assim como tratamento precoce do câncer.

Mitos e verdades sobre o HPV

  • O HPV está associado ao câncer: verdade. Os tipos mais perigosos de HPV estão relacionados a lesões pré-cancerígenas e, se não tratadas, aos cânceres de colo do útero e das genitálias. Os HPV dos tipos 16 e 18 são as principais causas do câncer de colo do útero no mundo (cerca de 70% dos casos).

  • A transmissão do HPV é apenas sexual: mito. Apesar de ser sexualmente transmissível, o HPV também pode ser transmitido de mãe para filho na gestação ou parto. Esse tipo de transmissão é raro, mas, quando acontece, pode afetar a laringe e as genitálias do recém-nascido.

  • Na maioria dos casos, o HPV não manifesta sintomas: verdade. A infecção costuma ser assintomática, por isso muitas pessoas acabam transmitindo o vírus aos seus parceiros sexuais sem saber. Na maioria dos casos, a infecção pelo HPV é curada pelo próprio organismo - mas, nas infecções por subtipos mais agressivos, o vírus pode persistir e evoluir com complicações.

  • Verrugas genitais são o único indício de infecção: mito. Apenas 10% das pessoas com HPV manifestam verrugas genitais. Existem casos em que o paciente apresenta lesões planas na cavidade oral e no trato aerodigestivo. Algumas dessas lesões podem não ser identificadas a olho nu, sendo conhecidas também como lesões subclínicas.

  • Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV: verdade. Desses, 12 são considerados de alto risco e estão relacionados a complicações graves - como os cânceres mencionados anteriormente. Eles têm mais chances de se manterem ativos no organismo e causar sérias lesões à pessoa infectada.

  • O tratamento é igual para homens e mulheres: mito. O diagnóstico e o tratamento são diferentes para homens e mulheres, assim como a progressão do vírus. Os principais motivos são as diferenças hormonais e anatômicas nos órgãos genitais. O colo uterino, por exemplo, é mais propenso à multiplicação do HPV, por isso as chances de complicações são maiores.

Fontes:
Dr. Lauro Perdigão (infectologista)
http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/dezembro/07/Perguntas-e-respostas-HPV-.pdf
https://sbim.org.br/images/files/carta_aberta_vacina_hpv.pdf

Últimas novidades

Os 10 alimentos mais ricos em fibras e os efeitos no seu organismo

Bem-estar

Os 10 alimentos mais ricos em fibras e os efeitos no seu organismo

Para manter a saúde em dia, é essencial ter cuidado com a alimentação. Uma dieta equilibrada e rica em nutrientes pode prevenir diversas doenças e ajudar a tratar outras. As fibras, por exemplo, não são nutrientes, mas são elementos essenciais para o sistema digestivo e que melhoram a função intestinal, prevenindo diversas doenças. Por isso, é muito importante ter uma alimentação abundante nessa substância. Descubra aqui 10 alimentos ricos em fibras para incluir na sua dieta.

Câncer de pele: tipos mais comuns, sintomas e tratamentos

Saúde

Câncer de pele: tipos mais comuns, sintomas e tratamentos

O câncer de pele é um dos mais frequentes no Brasil. Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), esse tipo de câncer representa 25% dos tumores malignos identificados no país, o que significa que cerca de 180 mil brasileiros são diagnosticados por ano com a doença. A principal causa desse tipo de câncer é o excesso de exposição solar, que resulta no crescimento descontrolado das células presentes na pele. O câncer de pele é discreto e normalmente se manifesta com pequenas pintas que crescem devagar, que às vezes nem parecem preocupantes. Por isso, é importante ficar atento a qualquer irregularidade na pele. Confira abaixo tudo sobre o câncer de pele!

Infarto do miocárdio: como identificar um ataque cardíaco?

Saúde

Infarto do miocárdio: como identificar um ataque cardíaco?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 17 milhões de pessoas morrem de problemas cardiovasculares, como o infarto do miocárdio, todos os anos no mundo. Em casos de ataque cardíaco, receber os cuidados médicos necessários o quanto antes pode salvar muitas vidas. Por isso, é fundamental ser capaz de identificar um infarto e saber o que fazer de imediato. Veja algumas dicas abaixo!

Quais as causas mais comuns das pedras na vesícula?

Saúde

Quais as causas mais comuns das pedras na vesícula?

As pedras na vesícula são mais comuns do que se imagina e podem aparecer por diferentes razões. A principal função da vesícula é servir de recipiente para a bile, um líquido produzido no tecido hepático que auxilia na digestão dos alimentos e seus nutrientes. Mas o que acontece quando esse órgão é afetado por um desequilíbrio? A bile começa a empedrar - e é aí que surgem os cálculos biliares, popularmente conhecidos como pedras na vesícula. Entenda mais abaixo!

Ver mais