Voltar para home page
Saúde

Lúpus: o que é, sintomas e tratamentos da doença autoimune

O lúpus ocorre devido a uma produção excessiva dos anticorpos contra as próprias células do corpo. Conheça mais sobre a doença!

O lúpus ocorre devido a uma produção excessiva dos anticorpos contra as próprias células do corpo. Conheça mais sobre a doença!

O Lúpus Eritematoso Sistêmico, popularmente conhecido como lúpus, ocorre devido a uma produção excessiva dos anticorpos contra as próprias células do corpo ou contra as proteínas já existentes, causando danos em tecidos e órgãos. A doença autoimune, que atinge cerca de 65 mil pessoas no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, é mais frequente nas mulheres do que em homens. Mas, o que pouca gente sabe é que os sintomas do lúpus podem se manifestar a qualquer momento e, por isso, o tratamento deve ser feito durante toda a vida. Confira abaixo os principais sintomas e o tratamentos para a doença!

Quais são os tipos de lúpus?

Para entender melhor como o lúpus afeta cada indivíduo, é fundamental saber que a doença pode se manifestar de quatro formas diferentes:

  • Lúpus Discoide: ocorre quando a inflamação é limitada à pele. Este tipo da doença pode ser identificada depois do surgimento de lesões avermelhadas que costumam aparecer no rosto, nuca e couro cabeludo;
  • Lúpus Sistêmico: considerado o tipo mais comum da doença, o lúpus sistêmico acomete todo o organismo da pessoa, podendo comprometer diferentes órgãos e sistemas. Além disso, os casos de lúpus discoide podem, eventualmente, evoluir para este tipo da doença;
  • Lúpus induzido por drogas: neste caso, a doença é provocada por substâncias de algumas drogas ou medicamentos, gerando sintomas semelhantes ao lúpus sistêmico. Porém, especialmente nesta situação, a doença tende a desaparecer assim que o uso da substância terminar;
  • Lúpus neonatal: extremamente raro, este tipo de lúpus costuma afetar filhos recém-nascidos de mulheres que possuem a doença. É comum que, ao nascer, a criança tenha erupções na pele, problemas no fígado ou baixa contagem de células sanguíneas. Entretanto, após alguns meses, os sintomas tendem a desaparecer naturalmente.

Os sintomas mais comuns no lúpus

As manchas vermelhas que começam no rosto e se espalham pelo corpo é o sintoma mais conhecido do lúpus, mas a doença também costuma vir acompanhada de outros sintomas. Moderados ou graves, temporários ou permanentes, eles aparecem em crises, nas quais os sintomas se agravam por um tempo e depois desaparecem. Além disso, os sinais podem variar de acordo com as partes afetadas. Dessa forma, os sintomas mais comuns da doença são:

  • Dor nas articulações;
  • Lesões na pele que aparecem ou pioram com a exposição solar;
  • Dificuldade para respirar;
  • Febre;
  • Fadiga;
  • Linfonodos aumentados;
  • Queda de cabelo;
  • Feridas na região da boca;
  • Rash cutâneo - vermelhidão no rosto em forma de borboleta sobre as bochechas e a ponta do nariz.

Tratamento para lúpus pode variar de acordo com as manifestações da doença

Assim como acontece com outras doenças crônicas, como câncer e diabetes, o tratamento do lúpus têm o objetivo de controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa, já que a doença não possui cura. Por possuir diferentes tipos, o tratamento do lúpus é feito de acordo com os níveis de intensidade e agressividade da doença.

Nos casos mais leves, o processo pode ser feito com anti-inflamatórios não esteróides para artrite e pleurisia e corticoides de baixa dosagem para as pequenas lesões na pele. Já para os casos mais graves ou que o indivíduo corra risco de vida, é necessário administrar altas dosagem de corticoides ou medicamentos para diminuir a resposta do sistema imunológico.

Fontes: Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Reumatologia

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais