Voltar para home page
Odontologia

Mau hálito: conheça as causas e saiba como combater a halitose

Mau hálito atinge cerca de 40% da população, segundo a OMS. Descubra como lidar com o problema!

Mau hálito atinge cerca de 40% da população, segundo a OMS. Descubra como lidar com o problema!

É praticamente impossível passar toda a vida sem ser afetado pelo mau hálito ou sem conviver com alguém que tenha o problema. A halitose é algo que costuma ser de fácil resolução e que afeta em torno de 40% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) - e um dos motivos para essa alta taxa é a facilidade de ser afetado por uma de suas causas. Por outro lado, o tratamento para mau hálito costuma ser muito simples e eficaz.

Causas do mau hálito: as razões por trás da halitose

Em mais de 90% das vezes, as causas do mau hálito estão relacionadas com questões bucais - como, por exemplo, doenças da gengiva (gengivite e periodontite) e acúmulo de placa bacteriana na língua. Mas os motivos externos também fazem diferença. A ingestão de alimentos com odores intensos, longos períodos de jejum, nível de glicemia alterado em pacientes com diabetes, pequenos círculos brancos nas amígdalas (cáseos amigdalianos) e alterações hepáticas ou intestinais também influenciam no mau hálito.

Ao ser afetado por essa condição é importante entender que a halitose, ou mau hálito, não é uma doença, mas sim um sintoma de um desequilíbrio no organismo. Para evitar, é preciso seguir uma rotina diária de cuidados e consultas regulares ao dentista.

Como acabar com mau hálito? Veja tratamentos e cuidados

A principal orientação é seguir uma rotina de higiene bucal completa - que inclua a escovação dos dentes e língua e o uso do fio dental sempre após as refeições. Além disso, uma alimentação balanceada e sem longos períodos de jejum faz toda a diferença no combate ao mau hálito.

Outra dica importante é evitar a boca seca, já que a baixa produção salivar favorece o desenvolvimento da placa bacteriana, aumenta os riscos de inflamação na gengiva e o aparecimento de cáseos amigdalianos. Por isso é indicado beber bastante água diariamente e controlar o estresse, que são duas das principais causas do problema.

Para quem é acometido pela gengivite, periodontite, diabetes ou outras doenças, é necessário manter o acompanhamento médico e visitas regulares no dentista para diminuir a incidência do mau hálito.

Fonte: Blog da Saúde

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais