Voltar para home page
Odontologia

Mau hálito: conheça as causas e saiba como combater a halitose

Mau hálito atinge cerca de 40% da população, segundo a OMS. Descubra como lidar com o problema!

Mau hálito atinge cerca de 40% da população, segundo a OMS. Descubra como lidar com o problema!

É praticamente impossível passar toda a vida sem ser afetado pelo mau hálito ou sem conviver com alguém que tenha o problema. A halitose é algo que costuma ser de fácil resolução e que afeta em torno de 40% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) - e um dos motivos para essa alta taxa é a facilidade de ser afetado por uma de suas causas. Por outro lado, o tratamento para mau hálito costuma ser muito simples e eficaz.

Causas do mau hálito: as razões por trás da halitose

Em mais de 90% das vezes, as causas do mau hálito estão relacionadas com questões bucais - como, por exemplo, doenças da gengiva (gengivite e periodontite) e acúmulo de placa bacteriana na língua. Mas os motivos externos também fazem diferença. A ingestão de alimentos com odores intensos, longos períodos de jejum, nível de glicemia alterado em pacientes com diabetes, pequenos círculos brancos nas amígdalas (cáseos amigdalianos) e alterações hepáticas ou intestinais também influenciam no mau hálito.

Ao ser afetado por essa condição é importante entender que a halitose, ou mau hálito, não é uma doença, mas sim um sintoma de um desequilíbrio no organismo. Para evitar, é preciso seguir uma rotina diária de cuidados e consultas regulares ao dentista.

Como acabar com mau hálito? Veja tratamentos e cuidados

A principal orientação é seguir uma rotina de higiene bucal completa - que inclua a escovação dos dentes e língua e o uso do fio dental sempre após as refeições. Além disso, uma alimentação balanceada e sem longos períodos de jejum faz toda a diferença no combate ao mau hálito.

Outra dica importante é evitar a boca seca, já que a baixa produção salivar favorece o desenvolvimento da placa bacteriana, aumenta os riscos de inflamação na gengiva e o aparecimento de cáseos amigdalianos. Por isso é indicado beber bastante água diariamente e controlar o estresse, que são duas das principais causas do problema.

Para quem é acometido pela gengivite, periodontite, diabetes ou outras doenças, é necessário manter o acompanhamento médico e visitas regulares no dentista para diminuir a incidência do mau hálito.

Fonte: Blog da Saúde

Últimas novidades

Herpes labial: descubra o que é e como buscar tratamento

Saúde

Herpes labial: descubra o que é e como buscar tratamento

A herpes labial é causada pelo vírus HSV (Herpes Simplex Virus) e se divide em dois tipos, o HSV-1, que geralmente fica alocado na cavidade bucal, e o HSV-2, que atinge os genitais. Ambos são extremamente contagiosos, mas o primeiro é o mais comum. Para se ter uma ideia, a Organização Mundial da Saúde estima que 67% da população está infectada por ele.

6 dicas para fazer exercício físico em casa de forma segura

Exercício físico

6 dicas para fazer exercício físico em casa de forma segura

A quarentena fez muita gente aderir aos exercícios físicos caseiros - e isso é um bom sinal. Ficar em casa sem se movimentar pode gerar diversos problemas de saúde típicos do sedentarismo. As dores na coluna são um dos principais exemplos. No entanto, para que a atividade física renda os benefícios desejados, é preciso cuidado e respeito aos limites do corpo.

5 dicas para voltar à rotina depois da pandemia

Bem-estar

5 dicas para voltar à rotina depois da pandemia

Os meses de isolamento por causa da pandemia do coronavírus podem deixar algumas consequências na vida da população mesmo quando a rotina voltar ao normal. As pessoas tiveram que se adaptar a um novo modo de vida em meio à incertezas sobre a saúde. A volta à vida normal, mesmo quando os casos da doença diminuírem consideravelmente, pode ser difícil para algumas pessoas.

Quais os benefícios das leguminosas para a saúde?

Alimentação saudável

Quais os benefícios das leguminosas para a saúde?

Você consome feijão todos os dias? Apesar de ser um item muito consumido no Brasil, pouca gente sabe da importância não apenas do feijão, mas de todas as leguminosas, para a saúde do nosso corpo. Assim como os legumes, verduras, frutas e hortaliças, as leguminosas devem fazer parte das refeições diariamente. Ricas em fibras, proteínas, carboidratos, também são uma fonte poderosa de ferro.

Ver mais