Voltar para home page
Saúde

Novo coronavírus: saiba mais sobre máscaras em crianças e porque o uso não é indicado até os 2 anos

Como usar máscaras em crianças da forma correta?

Como usar máscaras em crianças da forma correta?

Com a pandemia do coronavírus, o uso de máscaras virou algo essencial na proteção contra a doença. A máscara tem potencial de reduzir o contágio de Covid-19 em até 40%, segundo órgãos de pesquisa, e é a melhor opção contra o risco de contaminação em situações onde não há possibilidade de manter o isolamento social. Porém, o uso de máscaras em crianças ainda é controverso: o recomendado é que crianças até 2 anos não façam uso da proteção, mas você sabe o motivo? Entenda sobre o uso de máscaras em crianças abaixo!

Novo coronavírus: recomendação é que máscaras não devem ser usadas por quem não consegue removê-las

Segundo a Anvisa, o principal motivo pelo qual as máscaras não devem ser usadas por menores de 2 anos de idade é que elas não têm autonomia suficiente para retirá-las e colocá-las, precisando de assistência sempre. Além de poder causar sufocamento em bebês, a remoção e colocação da máscara por adultos pode favorecer ainda mais a contaminação. A partir de 2 anos, é indicado ensinar a criança a como colocar e retirar a própria máscara, porém sempre com a supervisão de um adulto.

Covid-19: o uso ideal da máscara em crianças

A máscara não deve ser compartilhada, ou seja, é necessário que seja de uso individual. Por isso, a criança maior de 2 anos deve ter a própria máscara, que cubra obrigatoriamente toda a área da boca e nariz. A máscara de tecido, não-descartável, deve ser também de tripla camada para impedir que gotículas de saliva passem para alguém no momento da fala, de uma tosse ou espirro. A máscara também deve ser deixada de molho após o uso, em sabão e água sanitária, por no mínimo 30 minutos antes do próximo uso.

Crianças em casa são a melhor opção contra o coronavírus

O ideal é que as crianças, pequenas ou não, só saiam de casa em caso de extrema necessidade. As crianças com menos de dois anos precisam de atenção especial: além de não usarem a máscara, o sistema imunológico delas ainda está em formação. Em caso de volta à rotina em creches e escola, o recomendado é conversar com a instituição para garantir que todos os cuidados estão sendo tomados.

Últimas novidades

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Saúde

Vacina para o novo coronavírus: conheça 2 pesquisas promissoras em andamento

Os resultados de uma vacina contra a Covid-19 podem estar próximos. A pandemia do novo coronavírus alterou o modo de vida da sociedade. O isolamento social trouxe novas formas de consumo, hábitos e trabalho, além da forma como lidamos com a saúde. Desde então, muitos institutos de pesquisa espalhados pelo mundo estão estudando os efeitos do vírus e possibilidades de imunização.

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

Saúde

Formigamento nas mãos: 5 principais motivos por trás do incômodo

A sensação de formigamento nas mãos é algo comum para muita gente e, embora seja um sintoma simples, precisa de atenção. Isso porque diversos motivos podem estar por trás do formigamento, desde um problema de circulação até um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O indicado é observar o quadro e, dependendo da forma como se manifesta, o atendimento médico pode ser necessário.

Quais as principais causas de queda de cabelo?

Saúde

Quais as principais causas de queda de cabelo?

A queda de cabelo é um problema muito comum, mas quando identificar se está perdendo mais fios do que o considerado saudável? O normal é que uma pessoa perca de 100 a 150 fios por dia de forma natural para que o cabelo cresça novamente. Quando a quantidade ultrapassa isso, é sinal de que pode haver um problema clínico por trás. A queda excessiva de cabelo pode ser observada na escovação diária, durante a lavagem ou até mesmo depois de acordar, quando se percebe muitos fios no travesseiro.

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

Bem-estar

Como lidar com os distúrbios do sono na quarentena?

A quarentena tem afetado, em grande parte da população, o modo de viver e de interagir com o mundo. Viver numa situação de pandemia também trouxe muita preocupação, que se reflete em ansiedade e distúrbios do sono. Insônia, sono muito leve, acordar várias vezes, não conseguir manter uma rotina de sono ou se sentir extremamente cansado mesmo depois de dormir bem são os problemas mais comuns nesse período de isolamento social.

Ver mais