Voltar para home page
Saúde

Novo coronavírus: transmissão, riscos, sintomas... o que se sabe sobre a doença até agora?

Novo coronavírus: reunimos as principais informações sobre a COVID-19!

Novo coronavírus: reunimos as principais informações sobre a COVID-19!

Em dezembro de 2019, um novo tipo do coronavírus foi descoberto na China e a doença é considerada uma pandemia - ou seja, uma epidemia altamente disseminada - pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O agente da doença integra uma família de vírus que causam infecções respiratórias e provoca a Covid-19. De fácil transmissão, o vírus também é muito resistente: especialistas afirmam que ele pode sobreviver em superfícies duras, como um corrimão ou apoio do metrô e ônibus, por cerca de 48h. As principais recomendações ainda são o distanciamento social, uso de máscaras em locais públicos e higienização das mãos.

Quais os principais sintomas da Covid-19?

A Covid-19 afeta principalmente o sistema respiratório da pessoa infectada e tem sintomas comuns a gripes e resfriados. Febre, tosse seca, congestão nasal e ocular são os sinais mais comuns da doença. Também pode haver dor de garganta, dificuldade para engolir e falta de ar.. Em outros casos, o paciente pode ter perda de olfato e paladar. O período médio de incubação do vírus é de dois a 14 dias depois da exposição. Idosos e pessoas que já tenham problemas respiratórios crônicos ou doenças como pressão alta, cardiopatias ou diabetes estão no grupo de risco para a doença.

Como ocorre a transmissão do novo coronavírus?

O contágio da Covid-19 ocorre a partir do contato com gotículas de saliva liberadas no ar pela tosse, espirros, conversas e contato próximo ou por meio de superfícies contaminadas. Não há nenhum indicativo de que temperaturas quentes ajudam a disseminar o vírus: assim como outras doenças respiratórias, a disseminação pode ser maior em ambientes fechados. Ainda não há informações também de que uma pessoa pode ser infectada pelo coronavírus mais de uma vez.

Quais os cuidados essenciais para prevenir a contaminação do novo coronavírus?

Segundo a Sociedade Brasileira de Epidemiologia, a melhor forma de diminuir as chances de contágio do novo coronavírus é adotar alguns cuidados básicos de higiene e manter o distanciamento social. Além disso, o uso de máscaras passou a ser recomendado sempre que sair de casa ou estiver em contato com muitas pessoas. Veja outras coisas que você pode fazer para evitar a contaminação:

  • Lavar bem as mãos com água e sabão por cerca de 20 segundos ou Higienizar as mãos com álcool em gel 70%;
  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Evitar conglomerados de pessoas;
  • Não tocar a região do rosto (olhos, boca e nariz) com as mãos não higienizadas;
  • Não compartilhar objetos pessoais;
  • Evitar o contato com pessoas doentes.

Quando procurar atendimento médico?

Se você não teve contato com casos suspeitos, mas mesmo assim apresentar quadros leves com tosse e febre baixa, o mais indicado é ficar de repouso em casa. Caso observe piora dos sintomas e falta de ar progressiva, o melhor é buscar atendimento médico imediatamente.

Outras medidas podem ser associadas para aliviar os sintomas, como o uso de medicamentos analgésicos e antitérmicos para combater a febre e dor. É importante lembrar que não há comprovação científica de que alimentos específicos, chás e outros métodos caseiros possam ajudar no combate à doença.

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais