Voltar para home page
Saúde

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Muita gente não sabe, mas a deficiência de algumas vitaminas e minerais pode prejudicar a saúde mental

Muita gente não sabe, mas a deficiência de algumas vitaminas e minerais pode prejudicar a saúde mental

Todo mundo sabe o impacto que uma dieta rica e nutritiva exerce na prevenção doenças cardíacas e endócrinas, mas você costuma associar a saúde mental com a sua alimentação? A maioria das pessoas não. Estresse, cansaço mental e ansiedade são transtornos muito comuns. No caso da depressão, o Brasil é considerado o país da América Latina com mais casos: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros sofrem com o problema - no mundo todo, são 322 milhões de pessoas. Muitos são os fatores que podem desencadear um transtorno psicológico e a deficiência de algumas vitaminas e minerais pode ser um deles.

Falta de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico?

Muitos especialistas afirmam que a saúde começa pela boca: uma alimentação equilibrada é capaz de diminuir o risco de muitos problemas. Mas cuidar do corpo também é uma forma de prevenir os transtornos da mente - as atividades físicas, por exemplo, liberam hormônios e substâncias que melhoram o humor e a autoestima. Alguns nutrientes, por sua vez, têm um papel importante na manutenção da saúde mental e a deficiência deles pode se manifestar com sinais neurológicos. Veja como algumas vitaminas e minerais agem no seu cérebro!

Vitamina D

Conhecida por ser o único nutriente que pode ser absorvido pela exposição solar, a vitamina D desempenha um papel muito importante na saúde óssea e muscular. Mas a ciência tem buscado evidências que comprovam a relação da vitamina com a saúde mental. Um estudo publicado no Journal of Post-Acute e Long-Term Care Medicine apontou que a deficiência de vitamina D eleva em 75% as chances de um adulto, especialmente idosos, desenvolver depressão. Essa hipótese também foi confirmada por pesquisadores da Royal College of Psychiatrists: eles encontraram baixa concentração do nutriente em pacientes depressivos. A deficiência de vitamina D pode apresentar sintomas psicológicos como ansiedade, falta de concentração, tristeza e pensamentos suicidas.

Selênio

O selênio é um mineral muito importante para a saúde: fortalece a imunidade, combate os radicais livres, tem função anti-inflamatória e influencia os processos cognitivos. Recentemente, pesquisadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, descobriram que o nível de selênio - tanto alto quanto baixo - no corpo tem uma relação muito forte com a depressão e alterações de humor. Concentrações mais baixas do nutriente têm efeitos mais negativos ainda na saúde mental.

A oxidação no cérebro e no sistema nervoso é um fator que explica a depressão. Segundo um dos responsáveis pela pesquisa neozelandesa, a atuação antioxidante do selênio - quando ingerido em quantidades ideais - protege os tecidos corporais desse tipo de oxidação. Uma das fontes mais populares do nutriente são as castanhas, mas é preciso cautela no consumo, pois a alta quantidade de selênio no sangue pode causar intoxicação.

Vitaminas do complexo B

As oito vitaminas que compõem o complexo B são conhecidas pela ação contra o estresse. Os neurotransmissores produzidos a partir desses nutrientes ajudam a manter o humor e podem diminuir as chances de desenvolver algum transtorno psíquico. É o caso da vitamina B12 (cobalamina), responsável por sintetizar o DNA e os glóbulos vermelhos. Ela também desenvolve a mielina, uma espécie de membrana que envolve alguns neurônios.

Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais mostrou que a deficiência de B12 no organismo pode se manifestar com sinais psicológicos, como depressão, falta de memória e alterações comportamentais. O ácido fólico (B9), por sua vez, atua junto com a cobalamina para ligar os neurotransmissores dopamina, serotonina e noradrenalina - que têm papel importante na definição do humor.

Magnésio

O magnésio desempenha uma função importante no equilíbrio do sistema nervoso e produção de energia. A deficiência do mineral, portanto, pode ter relação com alguns sinais neurológicos, como ansiedade, hiperatividade, alterações de personalidade e até depressão. Um estudo da University of Balearic Islands , na Espanha, sugere que a diminuição de substâncias como adrenalina e cortisol está associada com o baixo nível do mineral no organismo, que resulta em sintomas de estresse e ansiedade.

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais