Voltar para home page
Saúde

O que é autismo? Entenda mais sobre o Transtorno do Espectro Autista

Entenda mais sobre as diferenças e níveis do autismo

Entenda mais sobre as diferenças e níveis do autismo

O autismo (ou Transtorno do Espectro Autista, o TEA) é uma condição psiquiátrica que atinge aproximadamente 2 milhões de pessoas no Brasil. O transtorno leva a alcunha de “espectro” por interferir e dificultar várias áreas do desenvolvimento humano: socialização, comunicação verbal e não-verbal, aprendizagem e emoções. O TEA pode se manifestar em diferentes níveis e intensidade, o que define quais áreas serão mais afetadas.

Transtorno do Espectro Autista se desenvolve em vários graus

O Transtorno do Espectro Autista é mais complexo do que se imagina. Primeiro, ele não é um só e se desenvolve em vários níveis, do moderado ao mais grave. A Síndrome de Asperger é considerada o nível mais leve da condição. Pessoas diagnosticadas com esse nível do transtorno costumam ter uma inteligência acima do normal e são considerados superdotados, geralmente fixados em um só assunto. O Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID) é uma forma mais intensa da Síndrome de Asperger, mas ainda moderada, caracterizada por dificuldades de socialização e de comunicação. Já o chamado Transtorno Autista é um espectro mais grave, em que o indivíduo não faz contato visual, dificilmente se comunica verbalmente e faz movimentos repetitivos com frequência.

Há ainda o Transtorno Desintegrativo da Infância (TDI), forma mais grave de autismo, que compromete capacidades cognitivas, linguísticas, sociais e afetivas, sem possibilidade de recuperação por meio de tratamentos. O TDI é bem raro e costuma manifestar os primeiros sintomas na primeira infância, entre 2 e 4 anos de idade. Formas mais graves podem desencadear outros problemas, como a epilepsia e deficiências intelectuais.

Tratamento do autismo depende de vários profissionais de saúde

Como o autismo é um transtorno do espectro, ele atinge diversas especialidades que devem ser trabalhadas isoladamente e em conjunto. Um diagnóstico precoce garante uma maior qualidade de vida à criança. É necessário um acompanhamento com fonoaudiólogos, psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais e neurologistas para que o tratamento seja feito de forma completa. É fundamental estimular todas as capacidades do autista. A família também pode precisar de algum acompanhamento para lidar e aprender como agir em determinadas situações. Lembrando que a pessoa com algum Transtorno do Espectro Autista pode levar uma vida completamente normal - em alguns casos (do autismo moderado à grave), porém, é necessário um cuidado maior na adaptação do ambiente e rotina.

Últimas novidades

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

Bem-estar

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

No mês de outubro é comemorado o Dia das Crianças. Conhecido como um momento para presentear os pequenos e incentivar as brincadeiras, a data também é uma oportunidade para falar sobre saúde. Na primeira e segunda infância (do nascimento até os 6 anos de idade e dos 6 anos até a puberdade, respectivamente), a criança passa por diversos níveis de aprendizado e desenvolvimento.

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Saúde

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama. Causado pela multiplicação desequilibrada das células da mama, dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) apontam que esse tipo de câncer deve atingir cerca de 66 mil pessoas no Brasil em 2020. O câncer de mama é um dos mais comuns que atinge as mulheres no Brasil e no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Apesar de raro, o câncer de mama também pode atingir homens.

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

Saúde

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

A pandemia do novo coronavírus impactou a vida das pessoas e sua relação com a própria saúde. Cuidados como o isolamento social, higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel e uso de máscara se tornaram a nova rotina para se manter longe da Covid-19. Entretanto, apesar de protegido contra o novo vírus, outras doenças podem ser tão preocupantes quanto e que necessitam de atenção, com uma vantagem: elas podem ser evitadas com os cuidados necessários.

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Alimentação saudável

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs… o que esses alimentos têm em comum? Além de estarem no grupo das oleaginosas, ele são ricos em diversas substâncias que fazem muito bem para a saúde em geral, como antioxidantes e minerais. As oleaginosas estão associadas à diminuição dos riscos de ter doenças no coração, melhor funcionamento do sistema nervoso e ação anti-inflamatória, dentre outros benefícios comprovados.

Ver mais