Voltar para home page
Consulta

Outubro rosa: a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama

O outubro rosa é um momento de conscientização sobre a importância de se prevenir contra o câncer de mama!

O outubro rosa é um momento de conscientização sobre a importância de se prevenir contra o câncer de mama!

Chega outubro e o rosa toma conta da iluminação de prédios públicos e privados, campanhas de variadas marcas na televisão e ações pelas cidades. O rosa é um lembrete: o câncer de mama é um perigo real para mulheres do mundo inteiro. Esse é o segundo câncer que mais atinge as brasileiras. Para se ter uma ideia, a estimativa para 2019 foi de 59.700 novos casos da doença no país. No âmbito internacional, são cerca de 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O outubro rosa é um momento de conscientização sobre a importância de se prevenir. O diagnóstico precoce pode salvar vidas!

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama se desenvolve quando há um aumento desordenado das células do tecido mamário. De acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia, o quadro costuma se iniciar nas células do tecido que envolve a parte mais interna do ducto da mama. Geralmente, é definido como “in situ” os tipos que não apresentam risco de invasão da membrana basal celular e metástase - com chance total de cura. Os tumores invasivos descobertos no início da doença também podem ser curados, segundo a organização.

Não há uma causa específica para o câncer de mama, mas na maioria das vezes é decorrente de mutações do gene ao longo da vida ou fatores hereditários. O histórico familiar desse tipo de câncer é um ponto de atenção, mas outros aspectos também podem influenciar: exposição hormonal, consumo excessivo de álcool, obesidade, falta de atividades físicas, entre outros. O câncer de mama também pode atingir homens, mas os casos são bem mais raros. Segundo o Ministério da Saúde, representa menos de 1% nos diagnósticos da doença.

Sintomas do câncer de mama: busque ajuda médica imediatamente se notar qualquer um!

O aparecimento de um nódulo é o sinal mais comum de câncer de mama. Normalmente, o caroço é mais duro e irregular e a pessoa não sente dor ao tocar, é por isso que o autoexame deve fazer parte da rotina. Existem outros sintomas que podem indicar o tumor, veja alguns listados pelo Ministério da Saúde:

- Aparência da pele semelhante à casca de laranja;
- Retração cutânea;
- Dor na mama;
- Inversão do mamilo;
- Hiperemia (aumento da circulação sanguínea no local);
- Descamação do mamilo;
- Secreção.

Ao notar um nódulo ou qualquer outro sinal da doença, é necessário fazer alguns exames específicos para confirmar o diagnóstico ou descartar o câncer. Geralmente, o médico faz um exame clínico e a mamografia - exames como ultrassonografia e ressonância magnética também podem ser solicitados. Segundo o Ministério da Saúde, a confirmação do câncer só é feita por meio da biópsia. A partir do resultado, o médico indicará o melhor tratamento, respeitando o estado da paciente, a idade e se há outras doenças relacionadas.

A prevenção é a melhor saída contra o câncer de mama

Além do autoexame e visitas frequentes ao ginecologista, a prevenção do câncer de mama também envolve outros aspectos. A principal estratégia é controlar os fatores de risco para o desenvolvimento da doença, como sedentarismo, excesso de peso e alimentação inadequada. De acordo com o Ministério da Saúde, um estilo de vida mais saudável é capaz de reduzir em até 28% o risco da doença. O diagnóstico precoce do câncer de mama é muito importante: quanto antes a doença for descoberta, mais chances a mulher tem de ser curada, além de ser possível utilizar terapias menos invasivas no tratamento.

Fontes: Sociedade Brasileira de Mastologia, Ministério da Saúde e Inca

Últimas novidades

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

Alimentação saudável

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

A alimentação carrega muitos significados em diferentes fases da vida e é essencial para a nossa saúde. Aprender a comer melhor é uma forma de absorver os nutrientes da forma correta e tem impactos diretos no seu dia a dia: ajuda a dormir melhor, ter mais disposição e evitar doenças. Com a correria do dia a dia e acúmulo de responsabilidades, o piloto automático acaba virando o estado normal sempre que é possível, principalmente na hora das tarefas que se repetem todos os dias, como o momento das refeições. Mudar sua relação com a comida nesse momento tão importante só trará benefícios para a sua vida. Veja como é simples!

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

Exercício físico

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

O corpo feminino passa por diferentes transformações ao longo da vida. A menarca (primeira menstruação), a gravidez, a menopausa… todos esses ciclos sofrem influência de um mecanismo hormonal que sabe exatamente onde precisa atuar em cada fase. A mulher adulta, portanto, passa por diferentes momentos ao longo do mês que determinam a sua rotina, humor e até a energia para realizar as atividades do cotidiano. É por isso que é muito normal estar mais ou menos disposta dependendo do dia. Acontece que a intensidade dos hormônios liberados em cada parte do ciclo podem alterar todo o corpo da mulher.

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Consulta

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Cansaço, sono desregulado e alterações no peso são alguns sinais que podem indicar problemas na tireoide. A glândula, que tem um formato parecido com uma borboleta e está localizada na parte da frente do pescoço, libera hormônios fundamentais para diferentes mecanismos do corpo humano. A baixa ou elevada produção dessas substâncias podem afetar muito a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

Saúde

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

A imunidade baixa é, na maioria das vezes, associada a quadros de gripes, mas há muitos outros sinais que indicam problemas no sistema imunológico. Responsável pela defesa do organismo contra bactérias, vírus e fungos, esse sistema está presente em todo o corpo humano em forma de células e moléculas. A ação imunológica é capaz de manter o organismo livre de tumores, infecções e outras doenças graves.

Ver mais