Voltar para home page
Saúde

Poliomielite: entenda a importância da vacina contra paralisia infantil para prevenir a doença

Poliomielite, conhecida como paralisia infantil, é uma doença muito grave e contagiosa. Saiba como se prevenir!

Poliomielite, conhecida como paralisia infantil, é uma doença muito grave e contagiosa. Saiba como se prevenir!

Conhecida popularmente como paralisia infantil, a poliomielite (ou pólio) é uma doença muito grave e com alto poder de contaminação, que afeta principalmente crianças. O último caso registrado no Brasil foi em 1989 e o país recebeu a certificação de eliminação da doença em 1994. O Ministério da Saúde, no entanto, alerta que a doença pode voltar: a poliomielite precisa ser erradicada do mundo inteiro para não oferecer mais riscos às populações. O vírus ainda circula em países como Afeganistão, Nigéria e Paquistão e medidas preventivas são necessárias para evitar o retorno da pólio.

Vacina contra paralisia infantil é a maneira mais eficaz de prevenir a doença

A vacinação é a única forma de prevenir a ação da poliomielite. Mas, quando há baixa aderência da população às campanhas vacinais, o risco de novos surtos da doença aumenta. É o caso do sarampo, que reapareceu no território brasileiro depois da doença já ter sido erradicada. Atualmente, o Brasil está em alerta e com campanhas para conscientizar e estimular a vacinação em todas as fases da vida.

Todas as crianças com menos de cinco anos precisam ser imunizadas anualmente contra a poliomielite. Desde 2016, o Brasil implementou um novo esquema vacinal que está de acordo com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS): três doses injetáveis - aos 2, 4 e 6 meses de idade - e duas doses de reforço com a gotinha. Adultos que não foram imunizados também correm risco de contrair a doença.

Como ocorre a transmissão da poliomielite?

A poliomielite é transmitida pelo poliovírus, um microorganismo que invade o sistema nervoso e é capaz de paralisar partes do corpo em poucas horas. O vírus é encontrado em locais sem saneamento básico e com condições precárias de higiene o habitat ideal para se proliferar. A transmissão mais comum ocorre por meio do contato com objetos, alimentos e água contaminada com secreções e fezes de pessoas com a doença. Outra possibilidade de contaminação é pela liberação de gotículas no ar através da fala, tosse ou espirros.

Poliomielite: sintomas mais comuns

A poliomielite pode ter uma ação muito silenciosa e ser descoberta apenas em estágios avançados. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, vômitos, constipação ou diarreia, mal-estar, dor no corpo e garganta, rigidez na nuca e espasmos. Quando há reações neurológicas, a manifestação paralítica vem acompanhada de deficiência motora, flacidez muscular e sensibilidade.

Sequelas da poliomielite

A poliomielite pode causar diversas sequelas motoras em pessoas que contraem o vírus. As infecções no cérebro e na medula não têm cura e precisam ser tratadas com fisioterapia e atividades que fortaleçam os músculos para proporcionar mais autonomia e qualidade de vida aos pacientes. As sequelas mais comuns são:

- Problemas nas articulações acompanhados de dores;
- Crescimento desregulado das pernas, que faz com que a pessoa manque;
- Pé equino, conhecido também como pé torto;
- Osteoporose;
- Paralisia em algum dos membros inferiores;
- Paralisia dos músculos da fala e deglutição;
- Atrofia muscular.

Fontes: Ministério da Saúde e OPAS Brasil

Últimas novidades

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

Saúde

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

A saúde mental na adolescência e juventude é um assunto muito importante e que deve ser falado. Essa é uma fase de mudanças em todos os sentidos, que quase sempre vêm acompanhadas de dúvidas e cobranças.  Qual profissão devo seguir? Como conseguir emprego? Será que devo me casar? Está na hora de ter filhos? Aluguel ou casa própria? Se pudéssemos olhar dentro da mente de um jovem, certamente encontraremos mais perguntas do que respostas.

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Terapias

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Nem todo mundo sabe quais são as diferenças entre psicólogo e psiquiatra, mas cada profissional tem uma função bem específica dentro do campo da saúde mental. Tudo começa, inclusive, pela formação de cada profissional, já que são especializados em áreas diferentes. Em muitos casos, o psicólogo e o psiquiatra trabalham em conjunto e de forma complementar, cada um auxiliando em um aspecto da vida do paciente.

Como é feito o tratamento de canal?

Odontologia

Como é feito o tratamento de canal?

Cuidar da saúde dos dentes é fundamental para manter um sorriso bonito. Consultas regulares ao dentista são super importantes, pois alguns procedimentos de rotina são necessários e somente o especialista poderá avaliar, por exemplo, quando realizar o tratamento de canal.  Só de ouvir o nome, a maioria das pessoas tem receio de realizar esse procedimento. Para esclarecer como é realizado o tratamento de canal, quais são as etapas e quais os cuidados necessários após o procedimento, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Saúde

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Com a pandemia do novo coronavírus, as vacinas voltaram a ser a prioridade entre a comunidade científica e a própria população. O que poucos sabem é que as vacinas fazem parte da realidade há séculos e são consideradas umas das principais medidas preventivas contra doenças graves. No Brasil, a vacina surgiu em 1804 para combater a varíola, um quadro contagioso e muito perigoso para a época, mas que já foi erradicado depois de uma campanha de vacinação em massa organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por volta de 1970. Ainda assim, muitas pessoas não entendem o processo de desenvolvimento de imunizações e nem a importância de não deixar de se vacinar.

Ver mais