Voltar para home page
Saúde

Por que o isolamento social é a melhor forma de evitar a disseminação da Covid-19?

Novo coronavírus: entenda como o isolamento ajuda a desacelerar a propagação da doença

Novo coronavírus: entenda como o isolamento ajuda a desacelerar a propagação da doença

O movimento “fique em casa” tomou uma grande proporção nos últimos tempos como uma forma de evitar a disseminação do novo coronavírus. Diminuir as aglomerações de pessoas, seja no transportes públicos ou em eventos, é uma das principais recomendações das autoridades de saúde para diminuir o risco de contágio. Muitos países, incluindo o Brasil, entraram em um regime de quarentena nas últimas semanas. Com isso, aulas em escolas e faculdades foram suspensas, eventos cancelados, comércios fechados e houveram mudanças no funcionamento de serviços essenciais. Além disso, muitas empresas têm liberado seus colaboradores para trabalharem de casa no período. Mas, afinal, qual é a efetividade do isolamento social para desacelerar o avanço da Covid-19?

Quarentena é obrigatória para pessoas doentes ou com sintomas do novo coronavírus

A orientação principal é que pessoas doentes ou que estejam com algum sintoma leve da Covid-19 - como febre e tosse - fiquem isoladas por um período. O mesmo vale para aqueles que voltaram de viagens internacionais ou que tiveram contato com pessoas contaminadas (ou com suspeita). Nesses casos, é indicado o isolamento sem nenhum contato com outras pessoas. Em caso de ter alguém contaminado em casa, é preciso um cuidado redobrado para impedir que os familiares sejam infectados também.

O tempo de quarentena varia de caso para caso, mas o período de incubação do coronavírus é de 2 a 14 dias depois da contaminação. Vale lembrar que a doença pode ser assintomática em alguns casos, mas mesmo assim não impede a contaminação de outras pessoas.

Pessoas que estão no grupos de risco para o novo coronavírus devem ficar em casa

Idosos com mais de 60 anos e pessoas com doenças crônicas respiratórias, problemas no coração e diabetes estão no grupo de risco da Covid-19. Os efeitos do coronavírus nesses pacientes são agressivos e podem levar à morte de forma mais rápida. O indicado é que essas pessoas fiquem 100% em casa e tenham mais atenção ainda com a higiene.

Além disso, o distanciamento deve ser praticado mesmo com familiares que moram na mesma casa, principalmente se costumam sair de casa - mesmo que seja em situações extremamente necessárias.

Se você não está doente, não tem sintomas e não está no grupo de risco deve aderir ao isolamento social?

A resposta é sim! Se você tiver a possibilidade de trabalhar ou estudar em casa, é indicado que também entre em isolamento social, mesmo que não apresente sintomas da doença. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), essa é a melhor forma de evitar o colapso do sistema de saúde. Quando as pessoas ficam em casa, o risco de exposição ao vírus - e de disseminação - é diminuído.

Por isso, evite aglomerações e só saia na rua se for extremamente necessário. Ao chegar em casa, tire os sapatos e lave bem as mãos - se puder tomar um banho, melhor ainda. A recomendação é que todas as compras do supermercado, farmácia ou delivery de comida sejam devidamente higienizadas. Se você precisa passear com o seu cachorro, lave bem as patinhas do animal antes de entrar em casa. Outras orientações incluem manter uma distância mínima de 1 metro de outras pessoas sem sintomas - em caso de pacientes confirmados ou com sintomas, o indicado é manter a distância mínima de 2 metros -, não tocar o rosto com a mão suja e usar o antebraço se precisar tossir ou espirrar.

Últimas novidades

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

Bem-estar

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

No mês de outubro é comemorado o Dia das Crianças. Conhecido como um momento para presentear os pequenos e incentivar as brincadeiras, a data também é uma oportunidade para falar sobre saúde. Na primeira e segunda infância (do nascimento até os 6 anos de idade e dos 6 anos até a puberdade, respectivamente), a criança passa por diversos níveis de aprendizado e desenvolvimento.

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Saúde

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama. Causado pela multiplicação desequilibrada das células da mama, dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) apontam que esse tipo de câncer deve atingir cerca de 66 mil pessoas no Brasil em 2020. O câncer de mama é um dos mais comuns que atinge as mulheres no Brasil e no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Apesar de raro, o câncer de mama também pode atingir homens.

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

Saúde

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

A pandemia do novo coronavírus impactou a vida das pessoas e sua relação com a própria saúde. Cuidados como o isolamento social, higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel e uso de máscara se tornaram a nova rotina para se manter longe da Covid-19. Entretanto, apesar de protegido contra o novo vírus, outras doenças podem ser tão preocupantes quanto e que necessitam de atenção, com uma vantagem: elas podem ser evitadas com os cuidados necessários.

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Alimentação saudável

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs… o que esses alimentos têm em comum? Além de estarem no grupo das oleaginosas, ele são ricos em diversas substâncias que fazem muito bem para a saúde em geral, como antioxidantes e minerais. As oleaginosas estão associadas à diminuição dos riscos de ter doenças no coração, melhor funcionamento do sistema nervoso e ação anti-inflamatória, dentre outros benefícios comprovados.

Ver mais