Voltar para home page
Saúde

Saiba como as vacinas na gravidez auxiliam a saúde da mãe e do bebê

Vacinas na gravidez previnem doenças graves que podem afetar a mãe e o bebê

Vacinas na gravidez previnem doenças graves que podem afetar a mãe e o bebê

Você sabe a importância das vacinas na gravidez para proteger a saúde da mãe e do bebê? Estar em dia com o pré-natal é o primeiro passo para garantir uma gestação tranquila e saudável. Respeitar todos esses cuidados inclui, por exemplo, que a mulher fique atenta à sua carteira de vacinação (e converse com a equipe médica que a está acompanhando sobre o tema). Descubra abaixo as vacinas para grávidas que são essenciais!

Imunização na gravidez: veja as vacinas recomendadas

Segundo o Programa Nacional de Imunizações (PNI), criado pelo Ministério da Saúde, as quatro principais vacinas durante a gestação são: influenza, contra a gripe; hepatite B; dupla bacteriana do tipo adulto (dT), que combate a difteria e o tétano; e a tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (dTpa), que além da difteria e tétano, também previne contra o coqueluche.

Essas são vacinas desenvolvidas a partir de vírus inativados, que não têm mais capacidade para se multiplicar. A necessidade de tomar outras vacinas será analisada pelo médico e costuma depender do histórico da gestante. Daí a importância do acompanhamento adequado - e de seguir as orientações da consulta.

Gravidez e vacina: estatísticas e importância da prevenção

A coordenadora do PNI, Carla Domingues, diz que, em 2017, apenas 38% das gestantes foram imunizadas com a dTpa. Essa vacina pode ser aplicada a partir da 20ª semana conforme o calendário de vacinação da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) - e é uma importante aliada na redução da mortalidade entre recém-nascidos. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 80% dos casos de coqueluche ocorrem em crianças com menos de seis meses.

No caso da influenza, a imunização é feita em dose única e pode ser aplicada em qualquer momento da gestação. Crianças menores de 5 anos e mulheres grávidas correspondem a 11% das mortes causadas pela gripe (e, no início da vida, o bebê corre um risco de até 40% maior de internação pela doença). É importante saber que, quando a gestante é vacinada, ela também transfere os anticorpos para a criança por meio da placenta - e, posteriormente, na amamentação.

Vacinas contraindicadas na gravidez

Assim como existem vacinas essenciais, há também as que não devem ser aplicadas nesse período. Segundo informado no calendário de vacinação para gestantes, desenvolvido pela SBIm, as imunizações que devem ser evitadas são: a tríplice viral - contra sarampo, caxumba e rubéola; varicela - contra a catapora; dengue e HPV.

Fonte: Dra. Renata Arakelian

Últimas novidades

Ver mais