Voltar para home page
Saúde

Setembro amarelo: por que falar sobre a prevenção do suicídio é tão importante?

O setembro amarelo é uma campanha de valorização da vida e prevenção ao suicídio

O setembro amarelo é uma campanha de valorização da vida e prevenção ao suicídio

O setembro amarelo é um mês dedicado à prevenção do suicídio e é muito importante e divulgado em todo o Brasil. Essa data teve seu surgimento em 1994, quando um jovem chamado Mike Emme, de 17 anos, cometeu suicídio e, em homenagem à cor de seu carro, seus pais decidiram espalhar fitas amarelas por quem estivesse passando pelo mesmo problema. Desde então, o setembro amarelo vem sendo incentivado ao longo dos anos e oficializado aqui no Brasil desde 2015 como símbolo da luta pela vida. Mas por que essa campanha é tão importante? Entenda mais sobre a prevenção ao suicídio e o que você pode fazer para ajudar.

Pelo menos 17% dos brasileiros já pensaram em suicídio

A ideia de suicídio pode parecer muito distante para algumas pessoas, mas na realidade, ela é muito real e pode estar mais próxima do que se imagina. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Campinas (Unicamp), 17% dos brasileiros já pensaram alguma vez em acabar com a própria vida. Desse percentual, pelo menos 4,8% já até mesmo planejaram alguma forma de acabar com a vida. Pelas estatísticas iniciais, já dá pra ter uma noção do quão importante é falar sobre isso, não é mesmo?

Depressão e outros transtornos psíquicos são uma questão de saúde pública

Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, praticamente todas as pessoas que já tentaram ou planejaram o suicídio sofrem de algum transtorno mental, emocional e psíquico. Transtornos como a depressão, ansiedade, bipolaridade, esquizofrenia, transtornos de personalidade e narcodependência são os principais grupos de risco e precisam ser tratados como problemas de saúde. Essas pessoas precisam do acompanhamento de saúde para um tratamento a longo prazo, que pode ter associação ou não com medicamentos e psicoterapia.

Prevenção do suicídio: precisamos falar sobre saúde mental!

Apesar de sérios, os transtornos mentais ainda são tratados como um tabu, o que torna uma pessoa em situação de vulnerabilidade psicológica mais suscetível à tentativas de suicídio por acreditar que não pode falar com ninguém sobre como se sente. Para muitos, a depressão e a ideação suicida ainda são consideradas uma tristeza momentânea ou uma “fase”. Por isso, as campanhas de prevenção são importantes para educar a população sobre como agir com outras pessoas que estejam passando por situações de sofrimento psíquico e como ajudá-las da forma correta.

Como posso identificar alguém em situação de risco e ajudar?

Existem algumas frases que costumam ser ouvidas frequentemente por quem está pensando em acabar com a própria vida. “Eu queria sumir”, “preferia não estar vivo”, “queria dormir para sempre”, “se eu morresse” ou “se a gente não se encontrar de novo” são sinais de alerta e devem ser captados. Geralmente, quem está pensando em suicídio também tenta organizar pendências e se despedir de pessoas importantes. Se você perceber que alguém próximo está apresentando alguns desses sinais, se ofereça para conversar sem julgamentos. Tudo o que essa pessoa precisa é de acolhimento! Oriente-o a procurar ajuda de um profissional de saúde e até mesmo entrar em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV), no número 188, que atende gratuitamente e 24h pessoas que precisam de apoio emocional.

Últimas novidades

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

Bem-estar

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

No mês de outubro é comemorado o Dia das Crianças. Conhecido como um momento para presentear os pequenos e incentivar as brincadeiras, a data também é uma oportunidade para falar sobre saúde. Na primeira e segunda infância (do nascimento até os 6 anos de idade e dos 6 anos até a puberdade, respectivamente), a criança passa por diversos níveis de aprendizado e desenvolvimento.

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Saúde

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama. Causado pela multiplicação desequilibrada das células da mama, dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) apontam que esse tipo de câncer deve atingir cerca de 66 mil pessoas no Brasil em 2020. O câncer de mama é um dos mais comuns que atinge as mulheres no Brasil e no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Apesar de raro, o câncer de mama também pode atingir homens.

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

Saúde

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

A pandemia do novo coronavírus impactou a vida das pessoas e sua relação com a própria saúde. Cuidados como o isolamento social, higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel e uso de máscara se tornaram a nova rotina para se manter longe da Covid-19. Entretanto, apesar de protegido contra o novo vírus, outras doenças podem ser tão preocupantes quanto e que necessitam de atenção, com uma vantagem: elas podem ser evitadas com os cuidados necessários.

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Alimentação saudável

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs… o que esses alimentos têm em comum? Além de estarem no grupo das oleaginosas, ele são ricos em diversas substâncias que fazem muito bem para a saúde em geral, como antioxidantes e minerais. As oleaginosas estão associadas à diminuição dos riscos de ter doenças no coração, melhor funcionamento do sistema nervoso e ação anti-inflamatória, dentre outros benefícios comprovados.

Ver mais