Voltar para home page
Bem-estar

Terapia ocupacional: o que é e quais os benefícios?

Entenda os benefícios da terapia ocupacional!

Entenda os benefícios da terapia ocupacional!

A terapia ocupacional é um importante método terapêutico para integrar pessoas que apresentam, na maioria das vezes, alterações cognitivas, motoras, emocionais, psicológicas e sociais - sejam derivadas ou não de traumas, problemas genéticos ou doenças adquiridas. A partir de atividades lúdicas, artísticas ou de lazer, a terapia ocupacional tem a intenção de promover mais autonomia para os pacientes e recuperar habilidades perdidas ou ainda não desenvolvidas. O tratamento pode beneficiar desde bebês até idosos e é indicado para diferentes condições.

O terapeuta ocupacional auxilia na reorganização da vida do indivíduo, tornando-o capaz de realizar atividades comuns. No geral, o especialista intervém na saúde mental e nas funções motoras, ajudando a ressignificar as ações e sentimentos e, consequentemente, fazer com que o paciente descubra a sensação de viver com saúde e bem-estar.

Terapia ocupacional: recuperação da autonomia e confiança de indivíduos

Um dos principais pilares da terapia ocupacional é trabalhar a autonomia e independência dos indivíduos em sua rotina. O tratamento pode ter diferentes abordagens: atividades de lazer, promoção do autocuidado e integração. Em todos eles, a intenção é, a partir dos diagnósticos e necessidades individuais, direcionar os pacientes para que tenham a capacidade de interagir com diferentes ambientes, pessoas e situações. A terapia é recomendada para qualquer um que tenha a necessidade de ressignificar sua rotina, principalmente aqueles que apresentam uma condição de saúde que prejudica o seu desempenho nas tarefas do dia a dia.

Terapia ocupacional beneficia diferentes perfis e faixas etárias

Ao incentivar o paciente a retomar sua independência, a terapia ocupacional influencia diretamente na qualidade de vida. Na primeira infância, por exemplo, a terapia pode ser um auxílio para o desenvolvimento de crianças, principalmente aquelas que possuem limitações cognitivas e psicomotoras. No tratamento, o especialista trabalha tanto com atividades de autonomia - como escovar os dentes ou se alimentar sozinho - quanto ações que estimulam o desenvolvimento físico e social da criança.

No campo educacional, a terapia ocupacional tem sido muito utilizada para acompanhar o desenvolvimento da criança. Além disso, o especialista é responsável por promover a inclusão de pessoas com deficiência nas escolas regulares. Na adolescência, a terapia ocupacional pode auxiliar os jovens a lidarem com todas as mudanças que surgem nessa fase da vida - que geralmente envolve alterações corporais, problemas psicológicos, agressividade ou timidez.

Já em idosos, a terapia ocupacional é uma importante ferramenta para a recuperação de perdas físicas, cognitivas e sociais - muito comuns no processo de envelhecimento. O método também pode ser utilizado para reabilitação de vítimas de acidentes ou com grupos com risco de exclusão social, incentivando novas percepções sobre o mundo e relações mais sólidas e fluidas.

Onde buscar a terapia ocupacional?

A terapia ocupacional é uma profissão de saúde regulamentada e apenas pessoas formadas podem exercê-la. Os atendimentos geralmente são feitos em instituições de reabilitação, casas de repouso, presídios, consultórios psiquiátricos, hospitais e creches.

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais