Voltar para home page
Saúde

Vacinas para viagens: você sabe como se preparar para as férias?

Antes de planejar uma viagem é importante verificar casos de epidemia no destino e as vacinas recomendadas

Antes de planejar uma viagem é importante verificar casos de epidemia no destino e as vacinas recomendadas

Com a chegada de mais um período de férias, uma preocupação que não pode faltar na sua lista de preparação são as recomendações de vacinas para viagens. No Brasil, a depender do destino, é fundamental estar com o calendário de vacinas atualizado e ficar atento a possíveis epidemias. O mesmo vale para viagens internacionais: alguns países exigem imunizações específicas e também podem apresentar surtos de doenças.

Quais as vacinas recomendadas para viagens?

A vacinação é a principal forma de prevenir determinadas doenças - algumas muito graves. Antes de viajar, é preciso verificar o cartão de vacinas e se programar para tomar aquelas que não estão atualizadas. Entre as orientações básicas ao viajante, também é recomendado marcar uma consulta médica entre quatro e oito semanas antes da viagem para uma avaliação geral de saúde. Veja abaixo as vacinas obrigatórias para viagens nacionais e internacionais e o tempo que precisa estar imunizado antes de viajar:

#1 Febre Amarela

Endêmica na região amazônica e com algumas ocorrências de surtos em outras capitais, a vacina de febre amarela é a melhor forma de prevenir e controlar a doença. O vírus é transmitido pelo Aedes aegypti, também responsável pela contaminação de dengue, zika e chikungunya. Alguns países exigem a vacina para a entrada de estrangeiros por meio do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) - para verificar a lista de países com risco de transmissão e aqueles que exigem o certificado, consulte os sites da Anvisa ou da Organização Mundial da Saúde. A dose padrão da vacina deve ser recebida com pelo menos 10 dias de antecedência.

#2 Poliomielite

Sem casos registrados no Brasil desde 1990, a poliomielite ainda se mantém endêmica em alguns países (Afeganistão, Paquistão e Nigéria) e com incidências de surtos ou em risco de reinfecção em outras regiões - para verificar a lista, acesse o site da Polio Eradication . Adultos e crianças não imunizadas que vão viajar para esses países precisam tomar a vacina pelo menos quatro semanas antes da viagem.

#3 Tríplice Viral - sarampo, caxumba e rubéola

A vacina tríplice viral é o único meio de proteção contra sarampo, caxumba e rubéola. Muitos países permanecem na lista de regiões endêmicas ou apresentam surtos - atualmente, os estados do Amazonas e Roraima enfrentam surtos de sarampo, por exemplo. Se nunca vacinada, a pessoa precisa tomar duas doses. Nas férias, se programe com pelo menos 15 dias de antecedência para atualizar o cartão de vacinas.

#4 Dupla adulto - Difteria e tétano

Ambas prevenidas com a vacinação, difteria e tétano são doenças muito graves que podem levar à morte. Muitos países enfrentam surtos de difteria, infecção que atinge nariz, garganta, faringe e pode chegar ao sangue. Já o tétano afeta o sistema nervoso central. A vacina precisa ser reforçada a cada dez anos para se manter eficaz. Antes de viajar, verifique seu cartão de vacinas.

#5 Hepatites A e B

Alguns países recomendam a vacinação contra as hepatites A e B, inflamações que atingem o fígado. No caso da hepatite B, crianças precisam tomar quatro doses, enquanto adultos que nunca foram imunizados necessitam de três etapas de vacinação - fique atento com os prazos, pois as doses precisam ser aplicadas em intervalos de 30 e 180 dias.

Fonte: Ministério da Saúde

Últimas novidades

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

Saúde

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

As hepatites virais afetam mais de 400 milhões de pessoas todos os anos no mundo inteiro, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. Considerado um grave problema de saúde pública, os tipos mais comuns da doença no Brasil são as hepatites A, B e C. A infecção atinge o fígado e pode não apresentar sintomas, possibilitando o diagnóstico apenas em graus mais avançados da doença.

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Saúde

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Todo mundo sabe o impacto que uma dieta rica e nutritiva exerce na prevenção doenças cardíacas e endócrinas, mas você costuma associar a saúde mental com a sua alimentação? A maioria das pessoas não. Estresse, cansaço mental e ansiedade são transtornos muito comuns. No caso da depressão, o Brasil é considerado o país da América Latina com mais casos: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros sofrem com o problema - no mundo todo, são 322 milhões de pessoas.

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Bem-estar

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Um dia cheio de tarefas, estresse ou ansiedade pode impactar diretamente o seu sono. Insônia e noites mal dormidas são uma resposta natural do nosso corpo a essas situações. Além de ter o humor e produtividade prejudicados no dia seguinte, qualquer alteração no período destinado ao descanso pode se refletir na saúde: é na hora de dormir que o nosso corpo repõe energia, fortalece o sistema imunológico, libera hormônios e estabiliza a memória.

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

Saúde

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

A amamentação é uma maneira eficaz, segura e acessível para criar vínculos de afeto e proporcionar todas as necessidades nutricionais que um bebê precisa para se desenvolver bem. O leite materno é a melhor estratégia para reduzir a mortalidade infantil e também tem implicações benéficas na saúde emocional da mãe. É por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até dois anos de idade.

Ver mais