Voltar para home page
Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Dietas vegetarianas: transição precisa ser acompanhada por um nutricionista

Dietas vegetarianas: transição precisa ser acompanhada por um nutricionista

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) , em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Quais os tipos de dietas vegetarianas?

Dentro da filosofia do vegetarianismo há algumas variações que podem ser seguidas por quem deseja parar de consumir produtos de origem animal. Essa é a classificação proposta pela Sociedade Brasileira de Vegetarianismo:

  • Ovolactovegetarianismo: dieta sem nenhum tipo de carne, mas que utiliza ovos, leite e derivados;
  • Lactovegetarianismo: leite e laticínios são permitidos na alimentação;
  • Ovovegetarianismo: ovos são utilizados nessa dieta;
  • Vegetarianismo estrito: nenhum alimento de origem animal é utilizado na dieta.

Há, ainda, o veganismo - que se trata mais de um estilo de vida. Além de não se alimentar com nenhum produto de origem animal, a pessoa estende essa filosofia para todas as áreas da vida: cosméticos, vestuário, produtos de limpeza e outros tipos de consumo.

Transição alimentar precisa ser gradual e acompanhada por um profissional

Como qualquer mudança de alimentação, o acompanhamento de um profissional é imprescindível. Independente do tipo, a transição para o vegetarianismo precisa ser gradual e com a retirada dos alimentos aos poucos. O nutricionista vai te ajudar a definir um plano alimentar com substituições e indicando o momento certo para tirar completamente um alimento do seu cardápio. Isso também tornará a adaptação mais fácil, já que se trata de mudanças de hábitos que você seguiu a vida inteira.

Você também pode dividir a transição completa em ciclos. Por exemplo, primeiro se torna ovolactovegetariano e, quando estiver totalmente adaptado, retira outros itens. Em caso de gestantes, lactantes, idosos e pessoas que tenham alguma doença, o acompanhamento médico precisa ser mais específico para não prejudicar a saúde.

Dietas vegetarianas precisam de atenção com os nutrientes

A maior preocupação de saúde dos vegetarianos é em relação ao déficit de nutrientes. Isso porque a dieta pode ser pobre em vitaminas e minerais se não for feita corretamente (vitamina B12, vitamina D, cálcio, zinco, iodo e ferro, entre outros). A absorção de algumas substâncias pelo organismo também pode ser prejudicada.

É muito importante não se cobrar e respeitar o próprio corpo ao tomar a decisão de se tornar vegetariano. Como qualquer tipo de alimentação, o vegetarianismo precisa estar acompanhado de um estilo de vida saudável. Evite alimentos gordurosos e com muita quantidade de açúcares, aposte em pratos equilibrados e pratique atividades físicas.

Fonte: Sociedade Vegetariana Brasileira

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais