Voltar para home page
Exercício físico

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

Você sabia que cada fase do ciclo menstrual determina a  energia e disposição de uma mulher para atividades físicas?

Você sabia que cada fase do ciclo menstrual determina a energia e disposição de uma mulher para atividades físicas?

O corpo feminino passa por diferentes transformações ao longo da vida. A menarca (primeira menstruação), a gravidez, a menopausa… todos esses ciclos sofrem influência de um mecanismo hormonal que sabe exatamente onde precisa atuar em cada fase. A mulher adulta, portanto, passa por diferentes momentos ao longo do mês que determinam a sua rotina, humor e até a energia para realizar as atividades do cotidiano. É por isso que é muito normal estar mais ou menos disposta dependendo do dia. Acontece que a intensidade dos hormônios liberados em cada parte do ciclo podem alterar todo o corpo da mulher.

Essa diferença é muito notada na performance nas atividades físicas. O importante é respeitar o seu organismo em cada fase do ciclo, sem se cobrar se não consegue correr mais tempo em um determinado período do mês ou não aguenta uma carga mais alta no treino de musculação. Fique tranquila: você não precisa parar de se exercitar (inclusive pode te ajudar muito a lidar com essa explosão hormonal), basta que adapte o seu treino de acordo com o período. Veja algumas dicas para cada fase do ciclo menstrual!

Fase folicular: baixa energia seguida pela explosão de disposição para treinar

  • Menstruação: a baixa de estrogênio e progesterona resulta na descamação do revestimento uterino e é aí que a menstruação chega todo mês. Aquele período de cinco a sete dias costuma ser o mais desanimador para qualquer exercício, principalmente por causa da cólica e cansaço que acompanham essa fase. O ideal é você pegar mais leve nos exercícios. Mesmo com a baixa disposição, tente não parar: as atividades leves, como yoga ou caminhada, podem inclusive te ajudar a lidar com as cólicas e diminuir os sintomas característicos do período.
  • Pós menstruação: o aumento de estrogênio vai dar um gás na sua disposição para se exercitar. São cerca de seis dias que você pode investir em um treino que exige mais força e resistência. Corrida, ciclismo, musculação e treinos funcionais são uma ótima pedida para esse momento.

Fase ovulatória: muito cansaço caracteriza o período fértil da mulher

  • Período fértil: a fase ovulatória ocorre geralmente a partir do 12º dia do ciclo. Há aumento no nível dos hormônios luteinizante e folículo-estimulante (basicamente, eles preparam o corpo para a gestação). O estrogênio diminui e a progesterona aumenta no organismo, resultando em uma queda na motivação acompanhada de uma facilidade para se cansar. Nesse período, a mulher pode ser prejudicada nas atividades que exigem coordenação motora e mais força. Novamente, pegue mais leve e não desista dos treinos!
  • Pós-ovulação: essa é a melhor fase do mês para as mulheres que gostam de se exercitar. O aumento da progesterona propicia a melhora da performance nas atividades que exigem mais força. Portanto, é a hora de se dedicar ao máximo - seja na musculação ou outras modalidades.

Fase luteínica: a temida TPM chega para todas

  • Tensão pré-menstrual: a TPM chega nesse período acompanhada de mau-humor, inchaço nos seios, retenção de líquidos e dor de cabeça (cólicas e prisão de ventre também podem aparecer nessa fase). A diminuição da progesterona deixará a mulher mais cansada e indisposta. É hora de praticar atividades mais leves e relaxantes, que não exigem tanto esforço físico. Beber muita água e evitar alguns tipos de alimentos podem aliviar os sintomas nessa fase do ciclo.

Últimas novidades

7 coisas que você precisa saber sobre o funcionamento do fígado

Saúde

7 coisas que você precisa saber sobre o funcionamento do fígado

O fígado é o primeiro a reclamar no dia seguinte ao consumo de bebidas alcoólicas ou quando se exagera nas refeições. A ressaca ou dificuldade na digestão são os sinais mais comuns de ele não reagiu bem a alguma substância. A verdade é que esses sintomas não indicam um mau funcionamento do órgão, pois as doenças só se manifestam depois da repetição de hábitos ruins por um longo período da vida. 

Diabetes: quais os sintomas mais comuns que indicam a doença?

Saúde

Diabetes: quais os sintomas mais comuns que indicam a doença?

Não é difícil conhecer ou encontrar pessoas que convivem diariamente com a diabetes. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 13 milhões de pessoas no mundo são diagnosticados com um dos tipos da doença . O que pouca gente sabe é que, se não for controlada e acompanhada corretamente, a diabetes pode trazer consequências sérias para a vida do paciente. Por isso, mesmo que seja uma doença silenciosa, é importante ficar atento a alguns sinais, como boca seca e bexiga cheia toda hora, que podem sinalizar que algo não está certo. Confira abaixo os principais sintomas que indicam diabetes!

Como melhorar a memória? Veja algumas dicas!

Bem-estar

Como melhorar a memória? Veja algumas dicas!

Certamente você já deve ter ouvido falar que com o passar dos anos e o avanço da idade é comum esquecer algumas coisas. Mas, ainda assim, não é normal esquecer de tudo o tempo todo. Para evitar a perda de memória, existem alguns hábitos que são fundamentais, como dormir de 7 a 9 horas por dia e ter uma alimentação adequada. Confira 4 dicas que o Cuidados Mil listou de como melhorar a sua memória.

Lúpus: o que é, sintomas e tratamentos da doença autoimune

Saúde

Lúpus: o que é, sintomas e tratamentos da doença autoimune

O Lúpus Eritematoso Sistêmico, popularmente conhecido como lúpus, ocorre devido a uma produção excessiva dos anticorpos contra as próprias células do corpo ou contra as proteínas já existentes, causando danos em tecidos e órgãos. A doença autoimune, que atinge cerca de 65 mil pessoas no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, é mais frequente nas mulheres do que em homens. Mas, o que pouca gente sabe é que os sintomas do lúpus podem se manifestar a qualquer momento e, por isso, o tratamento deve ser feito durante toda a vida. Confira abaixo os principais sintomas e o tratamentos para a doença!

Ver mais