Voltar para home page
Saúde

8 mitos e verdades sobre a doação de órgãos

A doação de órgãos ainda é um assunto que causa muitas dúvidas no Brasil

A doação de órgãos ainda é um assunto que causa muitas dúvidas no Brasil

A doação de órgãos não é um assunto muito falado no Brasil, apesar do aumento das campanhas de conscientização nos últimos anos. Segundo o Ministério da Saúde, até julho de 2020 haviam 46.181 pacientes na fila de espera por um transplante de órgão. O tema é cercado de desinformação sobre todo o processo, o que acaba impactando na decisão de ser ou não um doador. Para desvendar algumas dessas dúvidas, listamos 8 mitos e verdades sobre a doação de órgãos.

“Um doador pode salvar a vida de até 20 pessoas”

VERDADE! Uma única pessoa tem potencial para oferecer dois rins, fígado, pâncreas, coração, dois pulmões, intestino, duas córneas, medula, ossos e pele.

“A família precisa ser avisada sobre o seu desejo de doar órgãos”

VERDADE! Hoje, no Brasil, a doação de órgãos só é permitida com a autorização da família. Por isso, é super importante avisar os familiares sobre o seu desejo de ser um doador e conscientizá-los sobre a importância desse ato. Caso a família recuse a doação, os órgãos não poderão ser retirados.

“A família do doador de órgãos precisa pagar pelo procedimento”

MITO! A legislação brasileira garante o procedimento de doação de órgãos sem nenhum custo para a família do doador.

“A doação de órgãos só pode ser feita após a confirmação de morte cerebral”

VERDADE! A doação de órgãos só será realizada depois da confirmação de morte cerebral ou encefálica com alguns testes e exames feitos por um neurologista, que seguirá os protocolos estabelecidos pela instituição de saúde. Mesmo que a pessoa esteja em estado de coma não pode fazer a doação, já que ela pode acordar a qualquer momento. A morte cerebral é irreversível.

“Pessoas que tiveram as hepatites B e C não estão aptas para a doação de órgãos”

VERDADE! Pacientes que tiveram doenças infecciosas graves, como as hepatites B e C ou HIV, não podem ser doadores de órgãos. Diabéticos e pessoas com câncer também não podem ser doadores.

“A família pode ter contato com as pessoas que receberem os órgãos do doador”

MITO! Por uma questão ética, os dados do paciente que recebeu os órgãos não é repassada à família do doador.

“Por conta da cirurgia de retirada dos órgãos, o doador não poderá ser velado e sepultado da forma tradicional”

MITO! A retirada dos órgãos depois de confirmada a morte cerebral é um procedimento cirúrgico como qualquer outro. Ao final da cirurgia, a equipe médica terá o cuidado de reconstituir o corpo, sem deixar nenhuma deformidade. O doador não precisa de um velório ou sepultamento diferente.

“É possível doar órgãos em vida”

VERDADE! Ainda em vida, é possível doar um dos rins, parte do fígado e medula óssea. Em alguns casos, parte do intestino também pode ser doado. O doador terá uma vida normal depois do procedimento.

Últimas novidades

Entenda como funciona o sistema linfático do corpo humano

Saúde

Entenda como funciona o sistema linfático do corpo humano

O sistema linfático engloba um complexo conjunto de órgãos, tecidos, vasos e dutos que se distribuem por todo o corpo. Sua principal função é a produção de células de defesa do organismo, o que fortalece o nosso sistema imunológico. Além disso, o sistema linfático também é responsável por filtrar e drenar o excesso de líquido do corpo, eliminando impurezas e “devolvendo” o sangue purificado para o nosso organismo. Ou seja, na prática isso quer dizer que qualquer parte do corpo que possua circulação sanguínea tem também a circulação linfática (embora não usem os mesmos vasos, eles “dialogam”). Para facilitar a compreensão desse complexo sistema, reunimos algumas informações sobre o assunto.

6 perguntas e respostas sobre a doação de sangue

Saúde

6 perguntas e respostas sobre a doação de sangue

Doar sangue é um ato voluntário e solidário que pode ajudar a salvar muitas vidas. Em uma única doação, cerca de 450 ml de sangue são coletados, o que, na prática, consegue ajudar até quatro pacientes que precisam do material para sobreviver. Contudo, é comum que algumas dúvidas apareçam ao longo do caminho para quem quer ser um doador e nunca realizou a doação antes. Quem pode doar sangue? O que é necessário para ser um doador? Quantas vezes por ano é possível fazer isso? Para esclarecer o que você precisa saber sobre o assunto, separamos as principais perguntas sobre doação de sangue e respondemos a seguir.

Beber água promove benefícios para a saúde que você nem imagina. Veja alguns!

Alimentação saudável

Beber água promove benefícios para a saúde que você nem imagina. Veja alguns!

A água é uma substância essencial na vida de qualquer ser vivo. Com o verão se aproximando, a ingestão desse líquido se torna ainda mais necessária na nossa rotina: seja para nos manter hidratados ou para matar a nossa sede nos dias mais quentes. O melhor de tudo é que, além de não ter calorias, a água é capaz de promover diversos benefícios para o nosso corpo, alguns já conhecidos; outros nem tanto. Ficou curioso? O Cuidados Mil te conta as vantagens que esse líquido pode trazer para a nossa vida a seguir!

Novembro azul: entenda a importância da conscientização sobre o câncer de próstata

Saúde

Novembro azul: entenda a importância da conscientização sobre o câncer de próstata

O câncer de próstata é um dos tipos mais comuns quando o assunto é a saúde do homem. A doença atinge o órgão masculino que é responsável pela produção do sêmen (próstata) e raramente apresenta sintomas iniciais, e é justamente por isso que a detecção precoce é tão importante. Logo, o Novembro Azul é uma campanha de conscientização sobre o câncer de próstata bastante necessária, principalmente para homens com idade superior a 50 anos, que são as principais vítimas dessa doença. A seguir, separamos as principais informações sobre o câncer de próstata, como sintomas, tratamento e a melhor forma de preveni-lo.

Ver mais