Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Saúde mental durante e após a pandemia do coronavírus: use máscara e cuide da mente

Com a pandemia do coronavírus, o que a população mais quer é recuperar a liberdade – sair às ruas sem máscara e abraçar quem ama sem se preocupar em ficar doente ou contaminar outras pessoas. Para isso, é preciso ter a vacina do coronavírus – e que bom que elas já estão aí. Mesmo que demore um pouco, todos poderão tomar suas doses em algum momento e, finalmente, deixar esse capítulo para trás.

Saúde ocular: qual a diferença da miopia para o astigmatismo?

Os distúrbios oculares são problemas bem comuns, não à toa que é praticamente impossível não conhecer pelo menos uma pessoa que precise usar óculos de grau ou lentes de contato para conseguir enxergar bem. Dentre os problemas de visão mais comuns, podemos destacar a miopia e o astigmatismo, que podem ocorrer isoladamente ou em conjunto. Muitas pessoas ainda têm dúvidas e confundem os dois distúrbios, mesmo que eles sejam distintos. Veja a seguir quais são as diferenças entre miopia e astigmatismo para não errar mais!

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Exercícios físicos: como se manter fisicamente ativo depois de 1 ano de pandemia?

A pandemia do coronavírus mudou a rotina da maioria das pessoas. Todas essas mudanças podem resultar em falta de disposição e uma vida mais sedentária. Entretanto, os exercícios físicos são muito importantes para o bem-estar do ser humano. Por isso, é necessário  se manter fisicamente ativo, mesmo que seja difícil. Mas como fazer isso depois de um ano de pandemia? Reunimos algumas dicas para te ajudar nessa missão. Confira!

Depressão pós-parto: o que é, quais os sinais e como tratar?

A depressão pós-parto é um transtorno psicológico que geralmente acomete as mães logo após o nascimento do bebê. A tristeza frequente é um dos principais sintomas desse problema, mas é importante saber diferenciá-la da tristeza puerperal, que, ao contrário da depressão pós-parto, é uma condição benigna e que não traz nenhum prejuízo para a saúde da mulher. Então, o que caracteriza esse tipo de transtorno? Que sinais clínicos podem ser observados e qual é a melhor forma de tratamento para a depressão pós-parto? Entenda a seguir!

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Com a pandemia do novo coronavírus, as vacinas voltaram a ser a prioridade entre a comunidade científica e a própria população. O que poucos sabem é que as vacinas fazem parte da realidade há séculos e são consideradas umas das principais medidas preventivas contra doenças graves. No Brasil, a vacina surgiu em 1804 para combater a varíola, um quadro contagioso e muito perigoso para a época, mas que já foi erradicado depois de uma campanha de vacinação em massa organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por volta de 1970. Ainda assim, muitas pessoas não entendem o processo de desenvolvimento de imunizações e nem a importância de não deixar de se vacinar.