Voltar para home page
Saúde

6 cuidados para tomar na hora de visitar recém-nascidos

Regras de etiqueta ou não, alguns cuidados são primordiais para proteger a saúde dos recém-nascidos quando for visitá-los

Regras de etiqueta ou não, alguns cuidados são primordiais para proteger a saúde dos recém-nascidos quando for visitá-los

Alguns cuidados são essenciais na hora de visitar recém-nascidos. Um bebê com poucos dias de vida não tomou as principais vacinas e ainda está desenvolvendo as defesas do sistema imunológico. Por isso, é preciso evitar algumas práticas na hora de conhecê-lo. A primeira coisa que você precisa ter em mente é que a chegada de um bebê transforma a rotina de toda a família e é um momento de construção de elos entre pais e filho. Por isso, verifique antes se aquele é o momento ideal para a visita e se os pais estão confortáveis. E em todos os casos: não julgue a mãe por qualquer escolha, afinal, ela também está passando por diversas mudanças emocionais. Regras de etiqueta ou não, veja 6 cuidados que precisam ser tomados na visita a um recém-nascido!

#1 Nem pense em visitas surpresas

Seja em casa ou ainda na maternidade, sempre ligue e combine antes de visitar um recém-nascido. O bebê precisa de cuidados integrais nos primeiros dias e é normal que os pais queiram aproveitar esse momento entre eles. Portanto, não fique magoado se eles não puderem te receber - alguns casais preferem que a visita só ocorra depois de um tempo de adaptação.

#2 Faça visitas rápidas

Mesmo quando tiver um horário combinado, prefira visitas rápidas para não atrapalhar a rotina da família. A mãe e o bebê precisam de ambientes silenciosos e tranquilos para descansar. Além disso, esteja preparado para encontrar o recém-nascido dormindo - e não peça para acordá-lo. Caso você seja muito próximo, pode se oferecer para ajudar em alguma coisa da casa.

#3 Não beije e nem pegue na mão do bebê

Os adultos estão o tempo todo em contato com diferentes microorganismos espalhados pelo ar e nos objetos que tocam. Por isso, na hora de visitar um bebê que acabou de nascer, evite beijar ou pegar na mão dele. Um recém-nascido está mais propenso a contrair algum vírus ou bactéria, já que seu sistema imunológico está se formando e ainda não tomou as vacinas necessárias. Além disso, só pegue a criança no colo se a mãe estiver confortável com isso e oferecer.

#4 Não visite um recém-nascido se estiver doente

Não importa se é apenas uma tosse ou algo mais sério: nunca visite recém-nascidos se não estiver se sentindo bem. Um bebê ainda é muito sensível e está totalmente desprotegido de doenças. Por isso, todo cuidado é pouco! O melhor é esperar se recuperar para remarcar a visita.

#5 Faça uma boa higienização antes de chegar perto do bebê

Mesmo que você não pegue o bebê no colo durante a visita, é importante se prevenir e fazer uma boa higienização antes. Lave bem as mãos e braços com sabonetes neutros e aplique álcool em gel para finalizar a limpeza. Essa prática previne que o bebê tenha contato com germes e doenças que seu sistema imunológico ainda não é capaz de proteger. Evite também deixar seus objetos pessoais, como bolsa e celular, próximos das coisas do bebê.

#6 Não use perfumes e produtos com cheiros fortes

A sensibilidade de bebês com poucos dias de vida se estende aos sentidos, como a audição e o olfato. Quando for conhecer um recém-nascido, evite usar produtos com fragrâncias fortes (ou talvez nem os use) e nem pense em fumar. Os cheiros mais intensos podem desencadear reações alérgicas no bebê. Por último, se for levar um presente para a mãe, evite as flores ou as deixe em ambientes longes do quarto da criança.

Últimas novidades

Como funciona a vacina contra HPV?

Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

Emergência

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma dos problemas mais comuns no mundo inteiro. Também conhecido com derrame cerebral, ele acontece por causas variadas e pode levar à morte - ou provocar consequências graves que afetam toda a vida do paciente. A junção de alguns sintomas ajudam a identificar o problema, que precisa de um atendimento médico imediato. O AVC ainda é cercado de mitos e dúvidas, mas uma coisa é certa: o problema pode ser evitado com atitudes simples no dia a dia.

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

Terapias

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

A meditação é um método milenar associado à saúde e ao bem-estar físico e mental. Não se sabe ao certo quando ou onde surgiu, já que a prática acompanha a humanidade desde os seus primórdios, mas uma coisa é certa: a meditação tem ganhado mais popularidade e, inclusive, é indicada no tratamento de diversos transtornos. O método pode ser resumido como um treinamento da mente para esvaziar ou redirecionar os pensamentos. Na prática, é muito mais do que isso e a ciência pode comprovar. Veja abaixo 4 benefícios da meditação com respaldo científico!

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Ver mais