Voltar para home page
Saúde

Queimaduras: tratamentos e precauções

O tratamento correto das queimaduras impede o surgimento de infecções

O tratamento correto das queimaduras impede o surgimento de infecções

Quem já sofreu queimaduras sabe como essa lesão pode ser dolorosa. Envolta em muitos mitos, porém, não é incomum escutar que produtos e receitas caseiras são capazes de oferecer soluções milagrosas. Pasta de dentes, pó de café, manteiga - as indicações de possíveis “remédios” são variadas. A única coisa em comum entre elas é que, além de não funcionar, as chances de infeccionar o local são grandes.

Por isso, para garantir que o tratamento correto será adotado, o Cuidados Mil quer te ajudar a entender o tipo de lesão, como cuidar de queimadura e quais as precauções corretas a serem seguidas.

Tipos de queimadura: entendendo a gravidade da ferida

  • Queimadura de 1º grau: a mais simples de ser tratada, mas também uma das mais dolorosas. Ela atinge apenas a camada externa da pele - e se caracteriza pela dor intensa, vermelhidão e por não formar bolhas.
  • Queimadura de 2º grau superficial: a lesão chega até a camada mais externa da derme (logo após a epiderme) e seus sintomas são os mesmos da lesão de 1º grau, mas com aparecimento de bolhas; que não devem ser estouradas em nenhuma hipótese.
  • Queimadura de 2º grau profunda: ao contrário do se poderia pensar, esse tipo de ferida é menos dolorosa, apesar da gravidade. Isso acontece porque ela atinge toda a camada derme, podendo inclusive chegar às terminações nervosas - responsáveis pela sensação de dor. A bolha formada se caracteriza por ter sua base branca e seca.
  • Queimadura de 3º grau: atinge todas as camadas da pele, nervos e tecidos subcutâneos, podendo chegar aos músculos e ossos. Por conta da sua profundidade, é indolor e a lesão é esbranquiçada, seca e deformante. Para tratamento, é preciso apoio médico e procedimentos cirúrgicos.

Tratamento para queimadura: quais os primeiros socorros?

O melhor tratamento de urgência é colocar imediatamente a área atingida embaixo da água em temperatura ambiente até que a pele seja resfriada. No caso de lesões de 1º grau, mantenha a área limpa e hidratada. Após a primeira semana pode ser usado óleo mineral ou vaselina líquida para hidratação, mas o ideal é consultar o seu médico para as devidas orientações.

Quando houver formação de bolhas, não tente estourá-las ou esvaziá-las: elas são curativos biológicos naturais. Qualquer tipo de manuseio da pele deve ser feito por um profissional especializado, pois a ferida estará exposta a elementos externos e possíveis infecções.

Caso a roupa tenha sido atingida pelo fogo, ela não deve ser retirada. O correto é apenas molhar a vestimenta e aguardar o socorro - assim, não haverá risco de estourar as bolhas ou agredir ainda mais a pele.

Outro cuidado importante é retirar qualquer tipo de acessório que a pessoa esteja utilizando - como pulseiras e anéis. Em algumas circunstâncias, o corpo incha naturalmente e esses objetos podem ficar presos ou machucar o paciente.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda o atendimento médico se:

  • A queimadura for considerada de segundo ou terceiro graus;
  • A área queimada é grande, mesmo que a lesão não pareça grave; ou sempre que parecer cobrir mais de 15% a 20% do corpo;
  • O acidente for provocado por fogo, corrente elétrica ou substância química;
  • A queimadura for no rosto, couro cabeludo, articulações ou genitais;
  • A lesão parecer estar infectada (inchada, com pus, cada vez mais roxa ou com linhas roxas na pele que rodeia a ferida).

Fonte: Dr. Cassiano Ricardo Martins Garcia

Últimas novidades

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

Saúde

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

As hepatites virais afetam mais de 400 milhões de pessoas todos os anos no mundo inteiro, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. Considerado um grave problema de saúde pública, os tipos mais comuns da doença no Brasil são as hepatites A, B e C. A infecção atinge o fígado e pode não apresentar sintomas, possibilitando o diagnóstico apenas em graus mais avançados da doença.

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Saúde

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Todo mundo sabe o impacto que uma dieta rica e nutritiva exerce na prevenção doenças cardíacas e endócrinas, mas você costuma associar a saúde mental com a sua alimentação? A maioria das pessoas não. Estresse, cansaço mental e ansiedade são transtornos muito comuns. No caso da depressão, o Brasil é considerado o país da América Latina com mais casos: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros sofrem com o problema - no mundo todo, são 322 milhões de pessoas.

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Bem-estar

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Um dia cheio de tarefas, estresse ou ansiedade pode impactar diretamente o seu sono. Insônia e noites mal dormidas são uma resposta natural do nosso corpo a essas situações. Além de ter o humor e produtividade prejudicados no dia seguinte, qualquer alteração no período destinado ao descanso pode se refletir na saúde: é na hora de dormir que o nosso corpo repõe energia, fortalece o sistema imunológico, libera hormônios e estabiliza a memória.

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

Saúde

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

A amamentação é uma maneira eficaz, segura e acessível para criar vínculos de afeto e proporcionar todas as necessidades nutricionais que um bebê precisa para se desenvolver bem. O leite materno é a melhor estratégia para reduzir a mortalidade infantil e também tem implicações benéficas na saúde emocional da mãe. É por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até dois anos de idade.

Ver mais