Voltar para home page
Bem-estar

5 hábitos que ajudam a melhorar a qualidade do sono

A mudança de alguns hábitos pode te ajudar a ter um sono melhor

A mudança de alguns hábitos pode te ajudar a ter um sono melhor

Uma noite mal dormida tem a capacidade de trazer diferentes danos à saúde, qualidade de vida e o dinamismo necessário para o dia a dia. Quem enfrenta dificuldades constantes para dormir pode precisar de auxílio profissional para superar a situação. Já em casos mais esporádicos, a mudança de alguns hábitos antes de dormir já é suficiente para melhorar a qualidade do seu sono. Experimente desacelerar aos poucos e descubra noites mais tranquilas com 5 dicas para colocar em prática o quanto antes!

1# Mantenha uma rotina de horários

Uma das partes mais importantes de uma rotina de sono saudável tem a ver com o tempo que você passa dormindo. Com a quantidade de afazeres aumentando cada vez mais, o ritmo de dormir tarde e acordar cedo se torna uma constante no dia a dia de muita gente. Eis o primeiro passo para que as coisas comecem a mudar: de acordo com as suas necessidades e compromissos, estabeleça uma rotina de sono e tente sempre se deitar e acordar na mesma hora. A intenção é fazer o seu corpo se acostumar com uma rotina, facilitando a chegada do estágio de sono mais profundo, que é quando você mais relaxa.

2# Tenha cuidado com os alimentos ingeridos à noite

Na hora do jantar ou da ceia antes de dormir, o ideal é apostar em alimentos leves, que não têm a digestão demorada. Isso evita a sensação de “peso” no estômago, que pode ser prejudicial à qualidade do seu sono. Além disso, também é necessário evitar bebidas energéticas que possam te deixar acelerado, como café, alguns tipos de chás e refrigerantes derivados da cola. Tudo isso vai te ajudar a relaxar com mais facilidade, beneficiando o sono.

3# Evite o uso de aparelhos eletrônicos até tarde

Deitar para dormir com o celular do lado pode ser prático se você precisa do despertador, mas nem sempre é a melhor opção. Checar as redes sociais e notícias, bem como assistir vídeos como uma forma de desacelerar antes de dormir gera, na verdade, um efeito completamente contrário ao desejado. Mesmo sem perceber, você acaba ficando mais agitado e, mesmo que pegue no sono logo depois, não descansa completamente. Além disso, a luz de celulares e tablets inibe a produção de hormônios que facilitam o momento de pegar no sono.

Fenômeno semelhante ocorre ao dormir com a televisão ligada. Um estudo da Johns Hopkins Medicine, publicada na Popular Science, alertou que os sons emitidos pelo aparelho podem causar insônia crônica a longo prazo. Isso ocorre porque os ruídos provocam uma excitação no cérebro que pode alterar o ritmo cerebral. No fim das contas, você demora mais a dormir e não relaxa direito, o que gera uma sensação de cansaço constante no dia seguinte.. O ideal é parar de mexer nestes dispositivos uma hora antes de dormir!

4# Use um colchão e travesseiros dentro da validade

Que a posição do seu corpo interfere na hora de dormir todo mundo sabe, mas pouca gente reflete sobre a validade do travesseiro e do colchão ao pensar em mudar a forma como dorme. Enquanto o travesseiro precisa garantir a sustentação ideal para o seu pescoço em uma altura compatível com a coluna, o colchão deve ser firme e com a densidade apropriada para o seu peso. Depois de alguns anos de uso, ele pode ficar deformado e a troca pode ser necessária!

5# Estabeleça um ritual para os momentos antes de dormir

Se preparar para a hora de dormir é uma das principais maneiras de garantir a qualidade do sono. Além de ficar atento aos horários e evitar o uso de aparelhos eletrônicos, você pode realizar atividades relaxantes, que vão ajudar no processo. Vale ouvir uma música, ler um livro, meditar ou se alongar — qualquer coisa que funcione para você. Depois disso, apague as luzes e elimine os ruídos do ambiente. Para ajudar nisso, você pode usar máscaras noturnas ou, até mesmo, tampões de ouvido. Tudo o que puder te ajudar a aumentar a qualidade do sono é válido!

Últimas novidades

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

Saúde

Hepatite virais: quais são as causas, sintomas e tratamentos?

As hepatites virais afetam mais de 400 milhões de pessoas todos os anos no mundo inteiro, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. Considerado um grave problema de saúde pública, os tipos mais comuns da doença no Brasil são as hepatites A, B e C. A infecção atinge o fígado e pode não apresentar sintomas, possibilitando o diagnóstico apenas em graus mais avançados da doença.

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Saúde

Nutrientes e saúde mental: saiba como a deficiência de vitaminas e minerais pode afetar o psicológico

Todo mundo sabe o impacto que uma dieta rica e nutritiva exerce na prevenção doenças cardíacas e endócrinas, mas você costuma associar a saúde mental com a sua alimentação? A maioria das pessoas não. Estresse, cansaço mental e ansiedade são transtornos muito comuns. No caso da depressão, o Brasil é considerado o país da América Latina com mais casos: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 5,8% dos brasileiros sofrem com o problema - no mundo todo, são 322 milhões de pessoas.

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Bem-estar

Como desacelerar antes de dormir? Veja os benefícios dessa prática na qualidade do seu sono!

Um dia cheio de tarefas, estresse ou ansiedade pode impactar diretamente o seu sono. Insônia e noites mal dormidas são uma resposta natural do nosso corpo a essas situações. Além de ter o humor e produtividade prejudicados no dia seguinte, qualquer alteração no período destinado ao descanso pode se refletir na saúde: é na hora de dormir que o nosso corpo repõe energia, fortalece o sistema imunológico, libera hormônios e estabiliza a memória.

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

Saúde

Como a amamentação interfere a saúde das crianças?

A amamentação é uma maneira eficaz, segura e acessível para criar vínculos de afeto e proporcionar todas as necessidades nutricionais que um bebê precisa para se desenvolver bem. O leite materno é a melhor estratégia para reduzir a mortalidade infantil e também tem implicações benéficas na saúde emocional da mãe. É por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até dois anos de idade.

Ver mais