Voltar para home page
Exercício físico

6 dicas para fazer exercício físico em casa de forma segura

É importante fazer exercícios físicos mesmo dentro de casa

É importante fazer exercícios físicos mesmo dentro de casa

A quarentena fez muita gente aderir aos exercícios físicos caseiros - e isso é um bom sinal. Ficar em casa sem se movimentar pode gerar diversos problemas de saúde típicos do sedentarismo. As dores na coluna são um dos principais exemplos.

No entanto, para que a atividade física renda os benefícios desejados, é preciso cuidado e respeito aos limites do corpo. Como em muitos casos não há o acompanhamento de um profissional, as chances de lesões aumentam. Por exemplo, existe o erro comum de focar somente nas vantagens estéticas e acabar sobrecarregando os joelhos e musculatura. Lembre-se: a definição do corpo vem a médio e longo prazo e quando a rotina é feita com responsabilidade. Para ajudar, confira algumas dicas abaixo!

6 dicas para fazer atividades físicas em casa

  1. Escolha as roupas certas: praticar atividade em casa pode dar a sensação de que não é necessário usar o vestuário típico do esporte; mas isso não é verdade. Quando malhamos vestindo materiais inapropriados, o suor não consegue evaporar com tanta facilidade, aumentando a temperatura corporal e a fadiga. Além disso, alguns tecidos podem irritar a pele por conta do atrito gerado.
  2. O local também importa: para garantir mais segurança na prática, é necessário escolher um cômodo da casa que tenha estrutura para as atividades. Dê preferência a ambientes bem ventilados, com boa luminosidade e longe de móveis ou estruturas que possam causar ferimentos - como, por exemplo, escadas e fios elétricos.
  3. Prepare o seu corpo para o que está por vir: é essencial fazer um aquecimento de 5 a 10 minutos antes de iniciar a série. Isso eleva a frequência cardíaca e auxilia o transporte e consumo de oxigênio, assim como a contração muscular. É essencial o preparo do corpo para a prática mais intensa - e, nessa hora, o polichinelo ou pular corda são ótimas escolhas.
  4. Cuidado com a postura: se não ficar atento, os riscos de fazer o exercícios na posição errada são grandes. Isso pode causar lesões na musculatura ou até na coluna. Por isso, caso você não tenha o acompanhamento de um profissional, busque fazer as atividades com os outros moradores da casa; assim um pode cuidar do outro. Outra possibilidade é escolher um ambiente onde haja um espelho disponível.
  5. Respeite os seus limites: principalmente quem é iniciante ou está saindo do sedentarismo precisa começar com exercícios leves. Sobrecarregar o corpo não vai trazer resultados mais rápido, apenas dores ou até lesões. Por isso, vá sentindo até onde você consegue ir e aumente a intensidade ao longo dos dias. Outra dica é variar os músculos trabalhados - se em um dia focou nos braços, no dia seguinte priorize as pernas, por exemplo.
  6. Sentir dor não é normal: é claro que as atividades irão gerar uma sensibilidade na região trabalhada, mas isso não quer dizer que a dor deve ser naturalizada - provavelmente é o seu corpo pedindo um descanso. Por isso, se durante a prática você sentir um desconforto muito grande, pare e faça outro exercício.

Observe as reações do seu corpo durante o exercício físico

Em todos os casos, se perceber qualquer sinal de lesão, procure atendimento médico. A coluna, os músculos e os ligamentos são as áreas do corpo mais comuns no desenvolvimento de problemas decorrentes do exercício físico mal praticado.

E, se você tiver algum tipo de doença crônica, como questões respiratórias, cardiológicas, neurológicas ou ortopédicas, é necessário conversar com um profissional antes de iniciar a prática. Assim, caso tenha algum exercício que possa prejudicar sua saúde, o médico poderá orientar.

Últimas novidades

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

Saúde

Saúde mental na adolescência e juventude: há sempre uma saída!

A saúde mental na adolescência e juventude é um assunto muito importante e que deve ser falado. Essa é uma fase de mudanças em todos os sentidos, que quase sempre vêm acompanhadas de dúvidas e cobranças.  Qual profissão devo seguir? Como conseguir emprego? Será que devo me casar? Está na hora de ter filhos? Aluguel ou casa própria? Se pudéssemos olhar dentro da mente de um jovem, certamente encontraremos mais perguntas do que respostas.

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Terapias

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

Nem todo mundo sabe quais são as diferenças entre psicólogo e psiquiatra, mas cada profissional tem uma função bem específica dentro do campo da saúde mental. Tudo começa, inclusive, pela formação de cada profissional, já que são especializados em áreas diferentes. Em muitos casos, o psicólogo e o psiquiatra trabalham em conjunto e de forma complementar, cada um auxiliando em um aspecto da vida do paciente.

Como é feito o tratamento de canal?

Odontologia

Como é feito o tratamento de canal?

Cuidar da saúde dos dentes é fundamental para manter um sorriso bonito. Consultas regulares ao dentista são super importantes, pois alguns procedimentos de rotina são necessários e somente o especialista poderá avaliar, por exemplo, quando realizar o tratamento de canal.  Só de ouvir o nome, a maioria das pessoas tem receio de realizar esse procedimento. Para esclarecer como é realizado o tratamento de canal, quais são as etapas e quais os cuidados necessários após o procedimento, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Saúde

Qual a importância das vacinas para prevenir doenças e garantir a saúde da população?

Com a pandemia do novo coronavírus, as vacinas voltaram a ser a prioridade entre a comunidade científica e a própria população. O que poucos sabem é que as vacinas fazem parte da realidade há séculos e são consideradas umas das principais medidas preventivas contra doenças graves. No Brasil, a vacina surgiu em 1804 para combater a varíola, um quadro contagioso e muito perigoso para a época, mas que já foi erradicado depois de uma campanha de vacinação em massa organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por volta de 1970. Ainda assim, muitas pessoas não entendem o processo de desenvolvimento de imunizações e nem a importância de não deixar de se vacinar.

Ver mais