Voltar para home page
Alimentação saudável

Colesterol alto? Veja os riscos à saúde e como reduzir a taxa no organismo

Controlar a ingestão de colesterol é uma forma de prevenir doenças cardiovasculares. Entenda a diferença entre os conhecidos colesterol "bom" e "ruim".

Controlar a ingestão de colesterol é uma forma de prevenir doenças cardiovasculares. Entenda a diferença entre os conhecidos colesterol "bom" e "ruim".

Você sabe as diferenças entre colesterol bom e ruim? Entende os impactos do colesterol alto no seu corpo? Muitas dúvidas aparecem quando falamos das características do colesterol, na maioria das vezes associado a problemas como infarto e AVC (acidente vascular cerebral). A verdade é que o colesterol não é uma doença, mas uma gordura natural do organismo e fundamental para o funcionamento das estruturas celulares. Presente no sistema nervoso, músculos, pele, cérebro, coração, intestinos e fígado, a substância participa do processo de síntese dos hormônios esteroides, vitamina D e ácidos que ajudam na digestão.

A maior parte do colesterol, cerca de 70%, é produzido pelo fígado e o restante é absorvido por meio da alimentação. A recomendação da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia é que todas as pessoas acima de 10 anos tenham o controle da ingestão de colesterol para prevenir doenças cardiovasculares.

Colesterol HDL e LDL: entenda a diferença

Apesar de desempenhar uma função muito importante no organismo, o colesterol representa um risco à saúde quando suas taxas estão alteradas. Transportada na corrente sanguínea por meio das lipoproteínas, essas gorduras se dividem em HDL (bom) e LDL (ruim). O HDL exerce um papel limpeza quando leva o colesterol das artérias para ser metabolizado no fígado. Já o LDL faz o caminho contrário ao transportar o colesterol para as artérias e outros tecidos do corpo, podendo comprometer a circulação sanguínea quando levada em excesso.

Quais os riscos do colesterol ruim?

Em altas quantidades, o colesterol ruim pode se acumular nas estruturas celulares e na parede das artérias, prejudicando o ciclo natural do sangue. Isso favorece o desenvolvimento de doenças cardíacas e aumenta o risco de ataques cardíacos, infartos e AVC. As principais fontes do mau colesterol são alimentos de origem animal, especialmente as gorduras. O colesterol alto é uma condição silenciosa, ou seja, que não apresenta sintomas. Por isso, a melhor forma de combatê-lo é levando uma vida mais saudável.

Como diminuir o colesterol?

Manter as taxas de colesterol controladas é a melhor forma de prevenção. Por outro lado, pessoas com o LDL elevado precisam se cuidar pelo resto da vida para reduzirem os riscos de doenças cardiovasculares. A melhor forma de prevenir ou controlar o colesterol alto é ingerindo alimentos benéficos para a saúde e evitar o consumo excessivo de gorduras de origem animal, como embutidos, gemas de ovos, bacon, manteiga e creme de leite. Para aumentar o nível do colesterol bom, a indicação é consumir abacate, azeite de oliva, sementes, oleaginosas e carnes magras. A prática de exercícios físicos também contribui para o controle e diminuição do colesterol ruim.

Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Últimas novidades

Mitos e verdades sobre o reajuste de plano de saúde

Saúde

Mitos e verdades sobre o reajuste de plano de saúde

Algumas dúvidas podem surgir quando o assunto é reajuste do plano de saúde. Afinal, quem calcula o valor? É possível ficar acima do IPCA? Posso ser cobrado duas vezes? Saiba a resposta para essas e outras perguntas no conteúdo que preparamos para você. Confira!

Saiba mais sobre o reajuste de plano de saúde para planos individuais

Plano de saúde

Saiba mais sobre o reajuste de plano de saúde para planos individuais

A taxa de reajuste no valor dos planos de saúde ocorre todos os anos. Essa porcentagem nem sempre é a mesma da inflação e, por isso, muitos ficam em dúvida sobre como esse cálculo é feito. Para ajudar, confira o conteúdo que preparamos com as regras para planos de Pessoa Física.

Vacinação: quais são as vacinas recomendadas para adultos e a importância de se proteger

Saúde

Vacinação: quais são as vacinas recomendadas para adultos e a importância de se proteger

Assim como as crianças, os adultos também têm um calendário de vacinação a cumprir. Além da vacina anual contra gripe, o Ministério da Saúde recomenda quatro imunizações para pessoas entre 20 e 59 anos que possuem o esquema vacinal completo (quem não tem o calendário atualizado precisa procurar um serviço para atualização). Parte da população, porém, só toma vacinas em grandes campanhas ou em caso de epidemias - O CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) alerta que os índices de cobertura vacinal estão abaixo do nível ideal de cobertura. Estima-se uma média de apenas 4,7%.

Conheça os alimentos mais ricos em Vitamina C

Alimentação saudável

Conheça os alimentos mais ricos em Vitamina C

A vitamina C é um nutriente essencial para a saúde e bom funcionamento do corpo humano. Reconhecida pelo alto poder antioxidante, ela é capaz de melhorar a imunidade e deixar o organismo mais forte para agir contra doenças causadas por microorganismos. Por isso a vitamina C é muito associada com a prevenção de problemas respiratórios, que aparecem com mais frequência no inverno. Encontrada em frutas cítricas e outros vegetais, o nutriente também é responsável pela produção do colágeno: essa proteína muito associada à beleza é fundamental para a sustentação dos tecidos, ossos, dentes e parede dos vasos sanguíneos.

Ver mais