Voltar para home page
Consulta

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo são dois problemas que podem prejudicar muito a saúde e qualidade de vida!

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo são dois problemas que podem prejudicar muito a saúde e qualidade de vida!

Cansaço, sono desregulado e alterações no peso são alguns sinais que podem indicar problemas na tireoide. A glândula, que tem um formato parecido com uma borboleta e está localizada na parte da frente do pescoço, libera hormônios fundamentais para diferentes mecanismos do corpo humano. A baixa ou elevada produção dessas substâncias podem afetar muito a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.

Os transtornos na tireoide ainda são cercados de dúvidas, principalmente quando se referem às diferenças entre hipotireoidismo e hipertireoidismo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 300 milhões de pessoas no mundo apresentam problemas na tireoide. Já no Brasil, a doença afeta 15% da população, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Mas, apesar de ser um problema comum, muita gente não sabe que possui alguma disfunção na glândula.

Diferenças entre hipotireoidismo e hipertireoidismo

Produzido pela hipófise, o hormônio estimulador da tireoide (TSH) é o indutor dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), que são liberados pela tireoide. Eles atuam nos processos metabólicos do corpo humano e são vitais para o funcionamento de órgãos como o coração, rins e intestino. Além disso, têm relação com a temperatura corporal, memória e desenvolvimento de massa óssea e músculos. Por isso, quando surge alguma alteração nos níveis desses hormônios, o corpo reage e fica mais suscetível à doenças.

Os principais distúrbios causados pelas alterações na glândula são o hipertireoidismo e o hipotireoidismo, doenças que costumam afetar mais mulheres do que homens. Para resumir, o hipertireoidismo ocorre quando a produção de T3 e T4 está elevada. Já o hipotireoidismo significa que a glândula está produzindo pouco ou nenhum hormônio.

Causas e sintomas dos problemas na tireoide

A importância dos hormônios liberados pela tireoide é medida pelos efeitos causados quando os níveis de produção estão baixos ou mais altos que o normal. O hipertiroidismo faz com que o corpo tenha reações como: hiperatividade, pouco sono, coração acelerado, intestino solto, perda de peso, irritação, sudorese, tremores, entre outros. A causa, na maioria das vezes, está relacionada a Doença de Graves, um distúrbio autoimune que aumenta a produção dos hormônios da tireoide.

O hipotiroidismo é como uma desaceleração do corpo, que ficará mais lento e fraco. O ritmo cardíaco diminui, a memória fica prejudicada, o intestino prende e a sensação é de cansaço extremo. Há também ganho de peso, fadiga, dores musculares, queda de cabelo, pele ressecada, sonolência e até depressão. Muitas coisas podem causar essa condição, sendo a mais comum uma doença autoimune conhecida como Tireoidite de Hashimoto, em que o próprio organismo cria anticorpos para se defender da ação da tireoide. A baixa ou alta quantidade de iodo no corpo também pode influenciar o desenvolvimento do hipotiroidismo.

Fique atento aos sintomas!

O diagnóstico de hipotireoidismo e hipertireoidismo é simples e pode ser feito pela dosagem dos hormônios TSH, T3 e T4 no sangue. As doenças também podem provocar a elevação do volume da tireoide, problema que pode ser identificado com o exame físico. Faça visitas regulares ao seu médico para avaliar a saúde geral e procure um especialista caso apresente qualquer um dos sintomas.

Fontes: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e Ministério da Saúde

Últimas novidades

Como funciona a vacina contra HPV?

Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

Emergência

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma dos problemas mais comuns no mundo inteiro. Também conhecido com derrame cerebral, ele acontece por causas variadas e pode levar à morte - ou provocar consequências graves que afetam toda a vida do paciente. A junção de alguns sintomas ajudam a identificar o problema, que precisa de um atendimento médico imediato. O AVC ainda é cercado de mitos e dúvidas, mas uma coisa é certa: o problema pode ser evitado com atitudes simples no dia a dia.

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

Terapias

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

A meditação é um método milenar associado à saúde e ao bem-estar físico e mental. Não se sabe ao certo quando ou onde surgiu, já que a prática acompanha a humanidade desde os seus primórdios, mas uma coisa é certa: a meditação tem ganhado mais popularidade e, inclusive, é indicada no tratamento de diversos transtornos. O método pode ser resumido como um treinamento da mente para esvaziar ou redirecionar os pensamentos. Na prática, é muito mais do que isso e a ciência pode comprovar. Veja abaixo 4 benefícios da meditação com respaldo científico!

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Ver mais