Voltar para home page
Saúde

O que é sarampo? Saiba tudo sobre a doença

O sarampo chegou a ser erradicado do Brasil, mas voltou a apresentar surtos nos últimos anos

O sarampo chegou a ser erradicado do Brasil, mas voltou a apresentar surtos nos últimos anos

Doença que chegou a ser erradicada do Brasil, o sarampo voltou a ser uma preocupação com os recentes surtos endêmicos em Roraima e no Amazonas - e com casos isolados em outras cidades do país. A infecção pode atingir pessoas de qualquer idade e a única forma de prevenção é a vacina tríplice viral (que também protege contra caxumba e rubéola), indicada em duas doses para pessoas de 12 meses até 29 anos de idade. Considerada grave e extremamente contagiosa, o sarampo pode desencadear complicações no sistema nervoso central e gerar infecções mais graves, como a pneumonia.

Vacina sarampo: a importância de se proteger

Desde 2018, Ministério da Saúde tem emitido alertas à população sobre a importância de se proteger contra o sarampo. Crianças até 5 anos de idade precisam tomar uma dose da tríplice viral aos 12 meses e outra da tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e catapora) aos 15 meses. Se a criança perdeu a oportunidade de se vacinar, é necessário tomar duas doses da tríplice até 9 anos.

Em viagens para outros países, é essencial estar com o calendário de vacinas atualizado, de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde. O ideal é buscar um posto de saúde com pelo menos 15 dias de antecedência à data da viagem.

Adolescentes e adultos também têm um calendário específico de vacinação caso nunca tenham sido imunizados: 10 a 29 anos - duas doses da tríplice viral; 30 a 49 anos - uma dose da tríplice. Pessoas com suspeita da doença, gestantes, pacientes imunocomprometidos e bebês de até 6 meses não podem tomar a vacina.

Os sintomas mais comuns do sarampo

As manchas vermelhas que começam no rosto e se espalham pelo corpo é o sintoma mais conhecido do sarampo, mas a doença geralmente vem acompanhada de outros sinais que surgem antes das erupções na pele. Febre, tosse, coriza, dor de cabeça, irritação nos olhos e manchas brancas na parte interna da boca são os sintomas mais comuns. Quando a febre dura mais de três dias depois que as manchas vermelhas aparecem é um alerta para possíveis complicações.

A doença se manifesta em três fases:

- Infecção: febre, tosse, coriza e conjuntivite surgem como os primeiros sinais desse período, que dura aproximadamente sete dias. Entre o segundo e o quarto dia, as erupções na pele começam a aparecer na região auricular e no rosto, que logo depois descem para o restante do corpo;
- Remissão: nesse período, os sintomas começam a diminuir. As manchas vermelhas ficam mais escuras e pode ocorrer uma leve descamação;
- Toxêmico: a doença pode comprometer a resistência do paciente, aumentando o risco de reinfecção bacteriana ou viral. O perigo é maior em crianças até dois anos de idade ou que apresentam desnutrição.

Como ocorre a transmissão da doença?

Por ser uma doença altamente contagiosa, o sarampo pode ser transmitido muito facilmente por meio de tosse, espirros e até pela fala e respiração. Além disso, as gotículas espalhadas no ar favorecem a contaminação. Segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), o vírus sobrevive mais tempo em locais com pouca circulação de ar. Apesar de não haver um tratamento específico para a doença, é recomendado que crianças com sarampo tomem vitamina A para reduzir os riscos de complicações.

Fontes: Ministério da Saúde e Fiocruz

Últimas novidades

Como funciona a vacina contra HPV?

Saúde

Como funciona a vacina contra HPV?

A vacina contra HPV (Papilomavírus Humano) é uma das formas mais eficazes de prevenir a infecção, que pode ter vários tipos e níveis de gravidade. A transmissão ocorre pelo contato sexual ou de mãe para filho e pode atingir pele e mucosas. Além disso, algumas versões do vírus são agentes causadores de diversos cânceres, incluindo o do colo de útero - que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta cerca de 290 milhões de mulheres no mundo inteiro. A vacina tem uma ação preventiva contra os tipos mais comuns da infecção e pode ser administrada ainda na adolescência.

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

Emergência

Acidente Vascular Cerebral: o que é, causas e como prevenir

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma dos problemas mais comuns no mundo inteiro. Também conhecido com derrame cerebral, ele acontece por causas variadas e pode levar à morte - ou provocar consequências graves que afetam toda a vida do paciente. A junção de alguns sintomas ajudam a identificar o problema, que precisa de um atendimento médico imediato. O AVC ainda é cercado de mitos e dúvidas, mas uma coisa é certa: o problema pode ser evitado com atitudes simples no dia a dia.

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

Terapias

4 benefícios cientificamente comprovados da meditação

A meditação é um método milenar associado à saúde e ao bem-estar físico e mental. Não se sabe ao certo quando ou onde surgiu, já que a prática acompanha a humanidade desde os seus primórdios, mas uma coisa é certa: a meditação tem ganhado mais popularidade e, inclusive, é indicada no tratamento de diversos transtornos. O método pode ser resumido como um treinamento da mente para esvaziar ou redirecionar os pensamentos. Na prática, é muito mais do que isso e a ciência pode comprovar. Veja abaixo 4 benefícios da meditação com respaldo científico!

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Alimentação saudável

Vegetarianismo: o que você precisa considerar antes de fazer a transição?

Causa animal, saúde, cuidado com o meio ambiente ou consumo consciente: as motivações para uma pessoa se tornar vegetariana são muitas. O vegetarianismo consiste, basicamente, em não consumir produtos de origem animal (carnes, laticínios e ovos), com algumas variações. Uma pesquisa divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), em abril de 2018, mostrou o crescimento da prática no país: cerca de 14% dos brasileiros se consideram vegetarianos, um aumento de 75% em comparação a 2012. Não há contraindicação para esse tipo de dieta, mas é necessário que você faça um acompanhamento médico para adequar a alimentação sem prejudicar a sua saúde.

Ver mais