Voltar para home page
Saúde

8 mitos e verdades sobre a caxumba

A caxumba é cercada de mitos. Separamos os principais aqui para tirar todas as suas dúvidas!

A caxumba é cercada de mitos. Separamos os principais aqui para tirar todas as suas dúvidas!

Conhecida pelo inchaço no pescoço, a caxumba é uma infecção viral que atinge as glândulas responsáveis pela produção de saliva (parótidas) e aquelas que ficam próximas ao ouvido (submandibulares e sublinguais). Com um período de incubação de duas a três semanas até se manifestar, é muito raro a caxumba provocar morte, mas os casos mais graves podem causar surdez, meningite e até esterilidade. A doença também pode afetar o tecido glandular, responsável pela formação das glândulas secretoras, e o sistema nervoso.

Como ocorre a transmissão da caxumba e como prevenir?

A transmissão do vírus da família Paramyxoviridae ocorre por via respiratória, normalmente pela inalação de gotículas contaminadas que são espalhadas no ar pela tosse ou espirro - ou mesmo por contato direto com a saliva de pessoas com a infecção. Há a possibilidade de haver transmissão indireta pelo contato com objetos e utensílios contaminados, mas a ocorrência é menos frequente. Segundo o Ministério da Saúde, a criação da vacina de prevenção diminuiu drasticamente o número de casos da doença no Brasil. Apesar de ser uma doença comum, a caxumba ainda é cercada de dúvidas sobre os sintomas, prevenção e tratamento.

A vacina é desenvolvida a partir do vírus da própria doença. Ela pode ser aplicada de forma isolada, mas geralmente é conjunta com as vacinas de sarampo e rubéola, formando assim a Tríplice Viral. Em crianças, a primeira dose é administrada aos 12 meses. Já a segunda é feita entre quatro e seis anos de idade. Grávidas, pessoas com imunodeficiências e adultos que nunca foram vacinados seguem um calendário específico da doença.

Dúvidas sobre caxumba: veja 8 mitos e verdades!

É comum haver reinfecção pelo vírus da caxumba: MITO

Uma vez infectada pela caxumba, a pessoa cria imunidade contra a doença. Por isso, a ocorrência de reinfecção é muito rara. Mas atenção: se a doença afetou apenas um lado do pescoço, o outro pode ser infectado em outro momento.

Caxumba na gestação pode prejudicar o bebê: VERDADE

O vírus pode causar complicações ao feto caso a mulher contraia a doença nos três primeiros meses de gestação. Em alguns casos, pode provocar aborto espontâneo. A indicação é que mulheres que nunca tiveram a doença ou não tomaram a vacina atualizem o calendário de vacinação antes de engravidar.

Caxumba tem sintomas semelhantes aos da gripe e dengue: VERDADE

A caxumba se manifesta com sintomas bastante comuns em doenças virais, como gripe e dengue: febre, fraqueza, dores de cabeça e musculares e perda de apetite. O que a diferencia é o inchaço no pescoço, na área próxima aos ouvidos, e a dificuldade e dores ao mastigar e engolir. O mais indicado é buscar atendimento médico para o diagnóstico certo.

O paciente infectado por caxumba não precisa ficar isolado: MITO

A partir do diagnóstico, é necessário que o paciente evite contato com outras pessoas para não propagar a doença. Além disso, recomenda-se não compartilhar utensílios como copos, pratos e talheres.

Crianças são mais vulneráveis ao vírus: VERDADE

Apesar de poder atingir pessoas de todas as idades, a caxumba é mais frequente em crianças em idade escolar e adolescentes.

Vírus da caxumba pode se instalar nos testículos e ovários: VERDADE

É bem raro, mas as complicações da caxumba podem desencadear inflamação nos testículos (orquite) e nos ovários (oforite). De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 20% a 30% dos homens adultos desenvolvem a infecção nos testículos. Já em mulheres ocorre com menos frequência, atingindo apenas 5% dos casos de contaminação pelo vírus.

Existe um tratamento específico para a caxumba: MITO

Os sintomas da caxumba costumam regredir espontaneamente e não há um tratamento específico para a doença. Após o diagnóstico, a indicação é manter repouso e tomar medicamentos para dor e diminuição da febre. No entanto, é importante buscar atendimento médico para observação dos sintomas.

Aglomeração de pessoas propicia a contaminação: VERDADE

A principal forma de transmissão da caxumba é pelas gotículas de saliva e secreção respiratória jogadas no ar pela tosse e espirro. Por isso, locais fechados e com mais quantidade de pessoas, como escolas e transporte público, são mais propensos para a contaminação.

Fontes: Fiocruz e Ministério da Saúde

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais