Voltar para home page
Saúde

Vacinação: quais são as vacinas recomendadas para adultos e a importância de se proteger

Adultos também precisam se proteger de algumas doenças. Veja abaixo qual é o esquema vacinal indicado pelo Ministério da Saúde!

Adultos também precisam se proteger de algumas doenças. Veja abaixo qual é o esquema vacinal indicado pelo Ministério da Saúde!

Assim como as crianças, os adultos também têm um calendário de vacinação a cumprir. Além da vacina anual contra gripe, o Ministério da Saúde recomenda quatro imunizações para pessoas entre 20 e 59 anos que possuem o esquema vacinal completo (quem não tem o calendário atualizado precisa procurar um serviço para atualização). Parte da população, porém, só toma vacinas em grandes campanhas ou em caso de epidemias - O CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) alerta que os índices de cobertura vacinal estão abaixo do nível ideal de cobertura. Estima-se uma média de apenas 4,7%.

A vacinação ainda é o meio mais eficaz de erradicar doenças graves e não se imunizar representa um perigo para toda a população. Isso porque algumas doenças que são controladas ou já foram erradicadas podem voltar ao Brasil. Além disso, a imunização evita a transmissão de doenças para outras pessoas que ainda não podem ser vacinadas, como o caso de bebês que não chegaram na idade ideal para receber algumas.

Veja abaixo quais são as vacinas recomendadas aos adultos:

Tríplice Viral - previne sarampo, caxumba e rubéola

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Se nunca vacinada, a pessoa precisa tomar duas doses entre 20 e 29 anos e uma dose se tiver entre 30 e 49 anos. O Ministério da Saúde recomenda a tríplice viral até essa idade porque acima de 50 a pessoa provavelmente já teve contato com o vírus e criou anticorpos - mas isso não significa que os mais velhos não podem se vacinar.

Hepatite B

A hepatite B é uma inflamação no fígado que pode ser causada pelo vírus, uso de alguns medicamentos ou mesmo doenças metabólicas, genéticas ou autoimunes. O ideal é que a vacina seja feita em quatro doses nas crianças. Já no caso de adultos que nunca foram imunizados, é necessário tomar três doses. De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas que tenham o vírus HIV ou alguma imunodepressão precisam buscar um atendimento específico nos Centros de Imunobiológicos Especiais (CRIE) para receberem as doses em dobro.

Febre amarela

A febre amarela ainda não foi erradicada do Brasil, por isso, a vacinação é o principal método de prevenção e controle. A doença é endêmica na região amazônica e fora dela há alguns períodos de surto que necessitam de campanhas massivas para vacinar a população. A maior parte dos casos ocorrem entre os meses de dezembro e maio e as epidemias surgem quando o vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, encontra ambientes favoráveis para a transmissão. Em 2017, o Brasil aderiu ao esquema vacinal de apenas uma dose em toda a vida, baseado nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Dupla adulto (DT) - previne difteria e tétano

A vacina Dupla protege contra a difteria e tétano e pode ser recebida por adultos em qualquer idade. A difteria é uma infecção grave que normalmente atinge nariz, garganta e faringe com camadas branco-acinzentadas. Já o tétano afeta o sistema nervoso central e é causado por uma toxina que entra no organismo por meio de ferimentos com objetos enferrujados, como pregos e arames. A vacina precisa ser reforçada a cada dez anos para ter eficácia. No caso de pessoas que tomaram a última dose há mais de dez anos, o recomendado é receber uma dose extra.

Vacina Pneumocócica 23 valente

A vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) protege adultos e crianças de infecções causadas pelos pneumococos, que provocam doenças como pneumonia, meningite e bacteremia/septicemia (infecção generalizada no sangue). A imunização é indicada para adultos a partir de 50 anos e pessoas com condições especiais, como:

- Apresente doenças crônicas, alcoolismo, perda de fluido cerebroespinhal;
- Não tenham o baço, ou se o órgão não funcionar bem;
- Tenham infecção pelo HIV, doença de Hodgkin, linfoma, mieloma múltiplo, leucemia, câncer generalizado, insuficiência renal crônica ou síndrome nefrótica;
- Recebam quimioterapia para câncer ou outro tratamento imunossupressor (incluindo corticoides) ou tenham sido submetidas a transplante de órgãos ou de medula óssea;
- Frequentem ambientes especiais ou locais com risco aumentado de infecção pneumocócica.

Fonte: Ministério da Saúde e Sistema Brasileiro de imunização

Últimas novidades

Mitos e verdades sobre o reajuste de plano de saúde

Saúde

Mitos e verdades sobre o reajuste de plano de saúde

Algumas dúvidas podem surgir quando o assunto é reajuste do plano de saúde. Afinal, quem calcula o valor? É possível ficar acima do IPCA? Posso ser cobrado duas vezes? Saiba a resposta para essas e outras perguntas no conteúdo que preparamos para você. Confira!

Saiba mais sobre o reajuste de plano de saúde para planos individuais

Plano de saúde

Saiba mais sobre o reajuste de plano de saúde para planos individuais

A taxa de reajuste no valor dos planos de saúde ocorre todos os anos. Essa porcentagem nem sempre é a mesma da inflação e, por isso, muitos ficam em dúvida sobre como esse cálculo é feito. Para ajudar, confira o conteúdo que preparamos com as regras para planos de Pessoa Física.

Conheça os alimentos mais ricos em Vitamina C

Alimentação saudável

Conheça os alimentos mais ricos em Vitamina C

A vitamina C é um nutriente essencial para a saúde e bom funcionamento do corpo humano. Reconhecida pelo alto poder antioxidante, ela é capaz de melhorar a imunidade e deixar o organismo mais forte para agir contra doenças causadas por microorganismos. Por isso a vitamina C é muito associada com a prevenção de problemas respiratórios, que aparecem com mais frequência no inverno. Encontrada em frutas cítricas e outros vegetais, o nutriente também é responsável pela produção do colágeno: essa proteína muito associada à beleza é fundamental para a sustentação dos tecidos, ossos, dentes e parede dos vasos sanguíneos.

5 dicas para ter mais produtividade no trabalho e nas tarefas diárias

Bem-estar

5 dicas para ter mais produtividade no trabalho e nas tarefas diárias

Uma rotina corrida, muitas responsabilidades e prazos a cumprir podem afetar toda a vida de uma pessoa, desde a produtividade no trabalho até a disposição para realizar tarefas comuns do dia a dia. A sua saúde também pode ser prejudicada pela vida agitada: o estresse é um fator de risco para desencadear doenças como ansiedade, insônia, depressão, obesidade e alterações imunológicas. Por isso, é sempre importante olhar para si e entender os aspectos que estão atrapalhando a produtividade. Assim, é possível mudar hábitos para aproveitar mais a vida sem deixar de cumprir suas obrigações.

Ver mais