Voltar para home page
Saúde

Vacinação: quais são as vacinas recomendadas para adultos e a importância de se proteger

Adultos também precisam se proteger de algumas doenças. Veja abaixo qual é o esquema vacinal indicado pelo Ministério da Saúde!

Adultos também precisam se proteger de algumas doenças. Veja abaixo qual é o esquema vacinal indicado pelo Ministério da Saúde!

Assim como as crianças, os adultos também têm um calendário de vacinação a cumprir. Além da vacina anual contra gripe, o Ministério da Saúde recomenda quatro imunizações para pessoas entre 20 e 59 anos que possuem o esquema vacinal completo (quem não tem o calendário atualizado precisa procurar um serviço para atualização). Parte da população, porém, só toma vacinas em grandes campanhas ou em caso de epidemias - O CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) alerta que os índices de cobertura vacinal estão abaixo do nível ideal de cobertura. Estima-se uma média de apenas 4,7%.

A vacinação ainda é o meio mais eficaz de erradicar doenças graves e não se imunizar representa um perigo para toda a população. Isso porque algumas doenças que são controladas ou já foram erradicadas podem voltar ao Brasil. Além disso, a imunização evita a transmissão de doenças para outras pessoas que ainda não podem ser vacinadas, como o caso de bebês que não chegaram na idade ideal para receber algumas.

Veja abaixo quais são as vacinas recomendadas aos adultos:

Tríplice Viral - previne sarampo, caxumba e rubéola

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Se nunca vacinada, a pessoa precisa tomar duas doses entre 20 e 29 anos e uma dose se tiver entre 30 e 49 anos. O Ministério da Saúde recomenda a tríplice viral até essa idade porque acima de 50 a pessoa provavelmente já teve contato com o vírus e criou anticorpos - mas isso não significa que os mais velhos não podem se vacinar.

Hepatite B

A hepatite B é uma inflamação no fígado que pode ser causada pelo vírus, uso de alguns medicamentos ou mesmo doenças metabólicas, genéticas ou autoimunes. O ideal é que a vacina seja feita em quatro doses nas crianças. Já no caso de adultos que nunca foram imunizados, é necessário tomar três doses. De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas que tenham o vírus HIV ou alguma imunodepressão precisam buscar um atendimento específico nos Centros de Imunobiológicos Especiais (CRIE) para receberem as doses em dobro.

Febre amarela

A febre amarela ainda não foi erradicada do Brasil, por isso, a vacinação é o principal método de prevenção e controle. A doença é endêmica na região amazônica e fora dela há alguns períodos de surto que necessitam de campanhas massivas para vacinar a população. A maior parte dos casos ocorrem entre os meses de dezembro e maio e as epidemias surgem quando o vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, encontra ambientes favoráveis para a transmissão. Em 2017, o Brasil aderiu ao esquema vacinal de apenas uma dose em toda a vida, baseado nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Dupla adulto (DT) - previne difteria e tétano

A vacina Dupla protege contra a difteria e tétano e pode ser recebida por adultos em qualquer idade. A difteria é uma infecção grave que normalmente atinge nariz, garganta e faringe com camadas branco-acinzentadas. Já o tétano afeta o sistema nervoso central e é causado por uma toxina que entra no organismo por meio de ferimentos com objetos enferrujados, como pregos e arames. A vacina precisa ser reforçada a cada dez anos para ter eficácia. No caso de pessoas que tomaram a última dose há mais de dez anos, o recomendado é receber uma dose extra.

Vacina Pneumocócica 23 valente

A vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) protege adultos e crianças de infecções causadas pelos pneumococos, que provocam doenças como pneumonia, meningite e bacteremia/septicemia (infecção generalizada no sangue). A imunização é indicada para adultos a partir de 50 anos e pessoas com condições especiais, como:

- Apresente doenças crônicas, alcoolismo, perda de fluido cerebroespinhal;
- Não tenham o baço, ou se o órgão não funcionar bem;
- Tenham infecção pelo HIV, doença de Hodgkin, linfoma, mieloma múltiplo, leucemia, câncer generalizado, insuficiência renal crônica ou síndrome nefrótica;
- Recebam quimioterapia para câncer ou outro tratamento imunossupressor (incluindo corticoides) ou tenham sido submetidas a transplante de órgãos ou de medula óssea;
- Frequentem ambientes especiais ou locais com risco aumentado de infecção pneumocócica.

Fonte: Ministério da Saúde e Sistema Brasileiro de imunização

Últimas novidades

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

Alimentação saudável

Aprenda a comer melhor com 7 dicas para aproveitar a hora das refeições [Infográfico]

A alimentação carrega muitos significados em diferentes fases da vida e é essencial para a nossa saúde. Aprender a comer melhor é uma forma de absorver os nutrientes da forma correta e tem impactos diretos no seu dia a dia: ajuda a dormir melhor, ter mais disposição e evitar doenças. Com a correria do dia a dia e acúmulo de responsabilidades, o piloto automático acaba virando o estado normal sempre que é possível, principalmente na hora das tarefas que se repetem todos os dias, como o momento das refeições. Mudar sua relação com a comida nesse momento tão importante só trará benefícios para a sua vida. Veja como é simples!

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

Exercício físico

Veja como adaptar seu treino de acordo com cada fase do ciclo menstrual

O corpo feminino passa por diferentes transformações ao longo da vida. A menarca (primeira menstruação), a gravidez, a menopausa… todos esses ciclos sofrem influência de um mecanismo hormonal que sabe exatamente onde precisa atuar em cada fase. A mulher adulta, portanto, passa por diferentes momentos ao longo do mês que determinam a sua rotina, humor e até a energia para realizar as atividades do cotidiano. É por isso que é muito normal estar mais ou menos disposta dependendo do dia. Acontece que a intensidade dos hormônios liberados em cada parte do ciclo podem alterar todo o corpo da mulher.

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Consulta

Hipotireoidismo e Hipertireoidismo: descubra as diferenças e os perigos de cada tipo de alteração da tireoide

Cansaço, sono desregulado e alterações no peso são alguns sinais que podem indicar problemas na tireoide. A glândula, que tem um formato parecido com uma borboleta e está localizada na parte da frente do pescoço, libera hormônios fundamentais para diferentes mecanismos do corpo humano. A baixa ou elevada produção dessas substâncias podem afetar muito a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos.

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

Saúde

5 sinais do seu corpo que indicam imunidade baixa

A imunidade baixa é, na maioria das vezes, associada a quadros de gripes, mas há muitos outros sinais que indicam problemas no sistema imunológico. Responsável pela defesa do organismo contra bactérias, vírus e fungos, esse sistema está presente em todo o corpo humano em forma de células e moléculas. A ação imunológica é capaz de manter o organismo livre de tumores, infecções e outras doenças graves.

Ver mais