Voltar para home page
Saúde

O que é displasia do colo do útero? Veja o que causa esse problema e como evitar!

A displasia do colo do útero não costuma apresentar muitos sintomas e pode evoluir para câncer se não for tratada.

A displasia do colo do útero não costuma apresentar muitos sintomas e pode evoluir para câncer se não for tratada.

A neoplasia intra-epitelial cervical, também conhecida por displasia do colo do útero ou displasia cervical, ocorre quando as células da superfície interna do útero se desenvolvem de forma alterada. A doença não costuma apresentar muitos sintomas e, caso não seja tratada, pode evoluir para câncer de colo do útero - tipo que afeta cerca de 530 mil mulheres no mundo inteiro, segundo o Inca . Quase sempre a alteração nas células é provocada pela presença do Papilomavírus humano (HPV), infecção sexualmente transmissível que provoca lesões nos órgãos genitais e na pele.

Quais as causas e sintomas da displasia cervical?

O HPV é o causador mais comum da displasia do colo do útero, mas algumas variáveis externas ou comportamentais podem influenciar o desenvolvimento da doença. Os principais fatores de risco são tabagismo, presença de outras infecções sexualmente transmissíveis, como herpes e clamídia, e anticoncepcionais orais usados por muito tempo. Mulheres portadoras de HIV também apresentam mais risco de desenvolver a displasia cervical.

A persistência do vírus HPV é um dos principais aspectos que influencia o agravamento das lesões que acarretam a displasia cervical. A doença pode não apresentar sintomas e, na maioria das vezes, só é diagnosticada durante o exame ginecológico - já que costuma haver verrugas no colo do útero. A infecção pode ser confirmada por biópsia ou exames de colposcopia. Normalmente, não há corrimento, dor ou coceira - por isso, a importância de visitar o seu médico ginecologista todos os anos para uma avaliação geral de saúde.

Leve, moderada ou grave: entenda os tipos de neoplasia intra-epitelial cervical

A neoplasia intra-epitelial cervical pode ser de baixo, moderado ou alto grau. Os casos mais leves (NIC 1) têm pouco potencial para desenvolver condições mais graves e podem desaparecer sem tratamento. Já as feridas moderadas ou graves (NIC 2 e NIC 3) têm mais riscos de progredirem para o câncer de colo do útero.

A partir da descoberta do tipo de neoplasia, é possível determinar o tratamento adequado à paciente. Normalmente, as feridas são eliminadas por meio de cauterização à laser, mas em caso de lesões de alto grau pode ser necessário algum procedimento cirúrgico para retirada de parte do colo uterino. As mulheres diagnosticadas com a doença precisam fazer acompanhamento médico por pelo menos dois anos até a eliminação do problema.

Prevenção é a melhor saída

A melhor forma de evitar os casos de displasia cervical é prevenindo o HPV. As principais recomendações são usar preservativos durante a relação sexual e manter a rotina de exames ginecológicos em dia. Outra forma de combater a infecção é tomando a vacina contra HPV.

Últimas novidades

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

Bem-estar

Mês das crianças: veja os cuidados de saúde importantes na primeira e segunda infância

No mês de outubro é comemorado o Dia das Crianças. Conhecido como um momento para presentear os pequenos e incentivar as brincadeiras, a data também é uma oportunidade para falar sobre saúde. Na primeira e segunda infância (do nascimento até os 6 anos de idade e dos 6 anos até a puberdade, respectivamente), a criança passa por diversos níveis de aprendizado e desenvolvimento.

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Saúde

Outubro rosa: 5 formas de se proteger contra o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama. Causado pela multiplicação desequilibrada das células da mama, dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) apontam que esse tipo de câncer deve atingir cerca de 66 mil pessoas no Brasil em 2020. O câncer de mama é um dos mais comuns que atinge as mulheres no Brasil e no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Apesar de raro, o câncer de mama também pode atingir homens.

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

Saúde

5 doenças, além da Covid-19, que precisam da sua atenção em 2020

A pandemia do novo coronavírus impactou a vida das pessoas e sua relação com a própria saúde. Cuidados como o isolamento social, higienização constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel e uso de máscara se tornaram a nova rotina para se manter longe da Covid-19. Entretanto, apesar de protegido contra o novo vírus, outras doenças podem ser tão preocupantes quanto e que necessitam de atenção, com uma vantagem: elas podem ser evitadas com os cuidados necessários.

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Alimentação saudável

Como incluir as oleaginosas na alimentação?

Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs… o que esses alimentos têm em comum? Além de estarem no grupo das oleaginosas, ele são ricos em diversas substâncias que fazem muito bem para a saúde em geral, como antioxidantes e minerais. As oleaginosas estão associadas à diminuição dos riscos de ter doenças no coração, melhor funcionamento do sistema nervoso e ação anti-inflamatória, dentre outros benefícios comprovados.

Ver mais