Voltar para home page
Médico de família

Saúde da mulher: os cuidados essenciais em cada fase da vida

Mulheres precisam ficar atentas à saúde em todas as fases da vida. Veja os principais cuidados!

Mulheres precisam ficar atentas à saúde em todas as fases da vida. Veja os principais cuidados!

O corpo feminino passa por diferentes ciclos ao longo de uma vida e quando falamos em saúde da mulher, há cuidados que são essenciais em cada fase. As alterações no corpo, os ciclos menstruais e a produção de hormônios precisam ser observados de perto e com consultas regulares ao ginecologista ou médico de família. Além disso, uma alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos são importantes fatores para evitar doenças e manter a qualidade de vida. Abaixo, veja as principais recomendações, exames e cuidados indicados para cada fase da mulher - adolescência, vida adulta, menopausa e pós-menopausa.

Adolescência: primeira menstruação, higiene íntima e mudanças corporais

Por volta dos 10 anos, a menina começa a passar por muitas transformações - físicas, psicológicas e hormonais. É na adolescência que ocorre a primeira menstruação, também chamada de menarca. A partir disso, a primeira visita ao ginecologista é recomendada para acompanhar as mudanças corporais e o desenvolvimento adequado. Essa também é uma fase que requer mais cuidado com a higiene íntima - o ginecologista é a pessoa ideal para aconselhar a rotina mais adequada. Converse com o médico de confiança, seja ele pediatra, hebiatra ou médico de família, para orientações gerais e indicação do melhor momento para seguimento compartilhado com um ginecologista.

Além disso, o Ministério da Saúde recomenda a vacina contra HPV (Papilomavírus humano) a partir dos nove anos como forma de prevenção contra a infecção, que é um dos principais causadores do câncer no colo do útero.

Fase adulta: consultas regulares com o ginecologista ou médico de família e prevenção de doenças

O período entre os 20 e 40 anos requer um olhar mais atento à saúde. Nesta fase, outras transformações acontecem: início da vida sexual, gravidez, propensão a desenvolver algumas doenças. As idas ao especialista precisam ocorrer com mais frequência - pelo menos uma vez ao ano - para realização de exames preventivos e complementares, se houver indicação, como os que detectam doenças sexualmente transmissíveis e ultrassonografias.

O cuidado com a alimentação e prática de exercícios físicos precisam entrar na rotina para evitar a obesidade e problemas cardiovasculares, além de prevenir a osteoporose. O cuidado com a saúde mental também não pode ficar de lado.

Menopausa: mudanças hormonais e parada da menstruação

Assim como na adolescência, a vida da mulher a partir dos 40 anos também passa por muitas mudanças: os primeiros sinais da menopausa, também chamada de climatério, começam a surgir, gerando desequilíbrios hormonais. As consequências são irregularidade nos ciclos menstruais até cessação completa, diminuição da libido, primeiros sinais de envelhecimento e problemas ósseos. As visitas ao médico de confiança (ginecologista ou médico de família) permanecem com regularidade e ele fará o acompanhamento por meio da solicitação de exames, de acordo com a necessidade.

A mamografia entra na rotina de exames da mulher a partir dos 40 anos. Em caso de câncer de mama na família (mãe, irmã ou filha), o recomendado é antecipar o rastreamento de acordo com a recomendação médica para, assim, detectar precocemente alguma alteração. O teste de Papanicolau, também conhecido por colpocitologia oncótica, é recomendado até os 64 anos (desde que não tenha histórico anterior de alteração), segundo o Ministério da Saúde.

Pós-menopausa: o cuidado com a saúde não pode parar

A atenção com a saúde precisa continuar depois da menopausa. O acompanhamento deve ser mantido para continuidade no rastreio de câncer de colo de útero e mama, além de outras doenças mais comuns nesse período da vida. A prevenção e promoção à saúde é a melhor forma de manter a qualidade de vida para um envelhecimento saudável. Atividade física e alimentação correta são os principais aliados para que esse processo aconteça de forma natural e adequada.

Fonte: Ministério da Saúde

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais