Voltar para home page
Terapias

Psicólogo ou psiquiatra: entenda o papel dos especialistas em saúde mental

O psicólogo e o psiquiatra têm atuações diferentes no tratamento de transtornos mentais

O psicólogo e o psiquiatra têm atuações diferentes no tratamento de transtornos mentais

Nem todo mundo sabe quais são as diferenças entre psicólogo e psiquiatra, mas cada profissional tem uma função bem específica dentro do campo da saúde mental. Tudo começa, inclusive, pela formação de cada profissional, já que são especializados em áreas diferentes. Em muitos casos, o psicólogo e o psiquiatra trabalham em conjunto e de forma complementar, cada um auxiliando em um aspecto da vida do paciente. Para entender melhor sobre as diferenças e o papel desses especialistas em saúde mental, o Cuidados Mil reuniu algumas informações importantes sobre estes dois profissionais. Veja!

O psicólogo e o psiquiatra têm formações distintas

O primeiro ponto que diferencia cada um desses especialistas é que o psicólogo é formado em Psicologia, que estuda a compreensão da mente e do comportamento humano, enquanto o psiquiatra tem graduação em Medicina com especialização na área de psiquiatria. Isso quer dizer que, por se tratar de uma especialidade médica, o psiquiatra está capacitado a diagnosticar os transtornos mentais, como também a prescrever medicamentos e indicar o tratamento mais adequado de acordo com a situação de cada paciente. Ou seja, a psiquiatria abrange também questões biológicas no estudo da mente e do comportamento humano.

Já o psicólogo contribui com o diagnóstico e tem papel importante na compreensão dos processos mentais e comportamentais de cada indivíduo, buscando entender o contexto de cada pessoa, as complexidades vividas, o histórico de vida, auxiliando com a psicoterapia ou outras vertentes terapêuticas. Dessa forma, o psicólogo também analisa as relações sociais, os contextos familiares, identificando e trabalhando as questões que geram sofrimento. A psiquiatria é indicada para tratar pacientes com transtornos mentais que podem ser hereditários ou adquiridos ao longo da vida, como ansiedade, depressão ou até mesmo esquizofrenia.

Psicólogo: o profissional dá suporte ao paciente por meio da escuta e do diálogo

Geralmente quando uma pessoa está passando por fases conturbadas, recomenda-se a procura de um psicólogo. Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, esse tipo de profissional não atende somente pacientes com transtornos mentais, mas qualquer indivíduo que esteja enfrentando dificuldades na sua vida pessoal, profissional ou social.

Existem diferentes metodologias dentro da psicoterapia que podem ser aplicadas durante as sessões, mas a base do tratamento sempre consiste no diálogo e na reflexão do que afeta o psicológico do paciente. Os encontros podem ser semanais ou quinzenais, a depender do plano terapêutico de cada paciente, e o objetivo principal é melhorar a qualidade de vida do indivíduo por meio do autoconhecimento e da forma como a pessoa se relaciona com o mundo. O papel principal do psicólogo é auxiliar as pessoas a encontrarem caminhos para viverem de forma mais leve.

O psiquiatra é recomendado para pacientes com transtornos mentais

Por ser formado em Medicina, o psiquiatra é um médico capacitado para identificar, diagnosticar e tratar pacientes com transtornos mentais severos. Este tipo de profissional faz uma rigorosa análise de cada caso e pode, inclusive, solicitar exames de imagens e testes neurológicos para compreender melhor o quadro clínico do paciente, visto que às vezes déficit de vitaminas ou hormônios podem desencadear alguns desses transtornos psiquiátricos. Os psiquiatras podem prescrever tratamentos biológicos, como medicamentos para auxiliar na melhora do quadro.

Assim como o psicólogo, também cabe ao psiquiatra ouvir o que o paciente tem a dizer para entender a sua história e de que forma os transtornos se manifestam na sua vida. Em muitos casos, a psicoterapia e a psiquiatria trabalham juntas por meio de tratamentos multidisciplinares, isto é, que envolvem os profissionais das duas áreas.

Últimas novidades

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

Saúde

Câncer de ovário: causas, como identificar e tratamentos

O câncer de ovário é difícil de ser diagnosticado, sendo a segunda neoplasia ginecológica mais comum. Esse tipo de câncer é o mais letal entre os cânceres ginecológicos. Mais frequente em mulheres com mais de 40 anos, o câncer de ovário demora a apresentar sintomas, o que resulta no diagnóstico tardio. Estima-se que cerca de 75% dos casos são diagnosticados quando a doença já está avançada.

Como manter a diabetes controlada?

Saúde

Como manter a diabetes controlada?

A diabetes é uma doença metabólica em que o corpo não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina, hormônio responsável pelo controle da glicose no sangue. Com a falta da substância, o paciente diabético sofre com o aumento do nível de glicose na corrente sanguínea, que é o que chamamos de hiperglicemia. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 9 milhões de pessoas têm diabetes, e infelizmente esse é um número que só cresce a cada ano. Então, o que fazer para manter a diabetes controlada? Separamos algumas dicas que podem ajudar no problema.

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Saúde

Escutar música alta pode comprometer a audição?

Ouvir música é um hábito que faz parte da vida de muita gente. Basta ir às ruas e observar a quantidade de pessoas com fones de ouvido imersos em seu próprio universo para se dar conta de como a música está presente em todo lugar. No entanto, é importante ficar atento ao volume e a frequência desse hábito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 50% das pessoas entre 12 e 35 anos correm o risco de sofrer perda auditiva por causa da exposição prolongada e excessiva a sons muito altos, o que corresponde a 1,1 bilhão da população.

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Exercício físico

Exercícios físicos na gravidez: qual a importância e os cuidados durante a prática

Quando uma mulher está grávida, surgem muitas dúvidas sobre a realização de atividades físicas durante a gestação e como isso deve ser feito sem prejudicar a saúde da nova mamãe ou do bebê que está a caminho. É importante conversar com o obstetra antes de dar início a essa rotina, mas geralmente os exercícios físicos são bastante benéficos para o desenvolvimento da gestação. Para entender melhor quais são os benefícios dessa prática, quais são os exercícios físicos mais indicados para mulheres grávidas e que cuidados são necessários, o Cuidados Mil preparou uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Ver mais