Voltar para home page
Saúde

Quais são os efeitos do cigarro no organismo?

Cigarro compromete o funcionamento do coração, circulação sanguínea e rendimento esportivo, entre outros efeitos.

Cigarro compromete o funcionamento do coração, circulação sanguínea e rendimento esportivo, entre outros efeitos.

No Brasil, a estimativa é que cerca de 157 mil pessoas morrem a cada ano de problemas decorrentes do cigarro, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O tabagismo é considerado um problema de saúde pública e pode afetar diferentes sistemas do corpo humano, prejudicando funções vitais. Além do câncer, o tabaco pode comprometer o funcionamento do coração, circulação sanguínea e até atrapalhar o rendimento esportivo.

Do prazer à dependência: entenda o ciclo do tabagismo

A fumaça do cigarro é capaz de atingir todo o sistema circulatório e chegar ao cérebro em poucos segundos. Ou seja, as substâncias percorrem o organismo com a mesma velocidade de injeções na veia. O perigo está na nicotina, uma substância presente em cigarros, charutos e até no narguilé, capaz de liberar no organismo um hormônio chamado dopamina, que provoca uma sensação de prazer. A inalação dessa fumaça tem impacto no sistema nervoso e pode modificar o comportamento e emoções da pessoa, levando-a à dependência.

Depois de um tempo, o cérebro passa por adaptações e começa a demandar mais doses para se manter no mesmo estado de “prazer”, levando o indivíduo a fumar cada vez mais para se satisfazer. Quando o corpo para de receber a nicotina, outros hormônios que provocam irritação são liberados, criando assim um ciclo mais difícil de se livrar. Além desses efeitos cerebrais, o tabagismo é a porta de entrada para doenças crônicas graves, que podem alterar a saúde e qualidade de vida. Veja abaixo 6 problemas decorrentes do cigarro!

Veja 6 efeitos do cigarro no corpo humano

  • Causador de diversos tipos de câncer

A Fundação do Câncer aponta que o tabagismo é o causador de 30% de todos os casos de câncer. O tipo mais comum é o câncer de pulmão, que é decorrente do tabagismo em cerca de 90% dos diagnósticos: pelo menos 20% dos fumantes podem ter a doença. O câncer causado pelo cigarro também pode atingir outros locais do corpo, como boca, laringe, pulmão, rim, bexiga, esôfago, pâncreas, cólon e reto.

  • Prejudica o sistema respiratório

Além do câncer de pulmão, o tabagismo também é um fator que prejudica muito o sistema respiratório, causando doenças que podem ser muito graves. O fumante pode desenvolver asma, doença pulmonar obstrutiva, enfisema pulmonar e bronquite crônica. Além disso, tem mais chances de ser acometido por infecções respiratórias, como tuberculose e pneumonia - causadas por bactérias, o tratamento é mais complexo e pode levar a morte.

  • Mais chances de doenças cardíacas

O cigarro é um perigo para o coração! O tabagismo compromete o funcionamento das artérias, causando doenças como hipertensão arterial, infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e trombose. A explicação está no impacto que a fumaça causa do endotélio, uma camada celular que cobre os vasos sanguíneos: essa “parede” fica mais vulnerável, facilitando o acúmulo de gordura e prejudicando a circulação.

  • Impotência e problemas de fertilidade

O cigarro pode prejudicar a vida sexual e até impedir uma gestação. No caso dos homens, o tabagismo provoca o entupimento das artérias (da mesma forma que ocorre nas artérias) e diminui o fluxo sanguíneo no pênis, impedindo assim a ereção. O fumo também pode causar infertilidade: as substâncias modificam o material genético dos espermatozoides. Em mulheres, há muitos impactos na fertilidade, como alteração no processo de formação dos óvulos e atrapalhar a concepção.

  • Menos resistência física

O tabagismo também pode prejudicar a performance em esportes. Além de ter a imunidade prejudicada, o fumante se cansa mais rápido e tem menos fôlego do que pessoas que não fumam. A resistência física também é prejudicada, fazendo com que a pessoa não consiga finalizar um exercício que demanda mais esforço.

  • Envelhecimento precoce

As pessoas que fumam tendem a envelhecer mais cedo que o normal. Dentes amarelados e rugas são alguns sinais que aparecem precocemente. Além disso, um fumante perde expectativa de vida: cada cigarro corresponde a 11 minutos a menos de vida, segundo um estudo publicado no British Medical Journal.

Fontes: Instituto Nacional do Câncer e Fundação do Câncer

Últimas novidades

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Saúde

Diabetes I e II: qual a diferença entre os dois tipos da doença?

Diabetes é uma das doenças mais comuns e que mais matam no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença no Brasil e os números não param de crescer. Em muitos casos, uma pessoa pode ser diabética sem saber. A diabetes pode se manifestar nos tipos I e II: com ações diferentes no organismo, cada uma demanda um cuidado específico. Entenda mais e veja como evitar as complicações graves.

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

Bem-estar

Quarentena: 5 práticas de autocuidado para deixar seus dias mais leves

As recomendações dos principais órgãos de saúde são claras: é preciso ficar em casa para se proteger do novo coronavírus. A quarentena, no entanto, pode ser muito estressante: afinal, estamos no meio de uma pandemia e longe dos amigos e família. Nesse momento, se promover alguns momentos de autocuidado e relaxamento podem ajudar. Pensando nisso, separamos 5 práticas para você cuidar do seu bem-estar físico e emocional e deixar os seus dias mais leves durante esse período difícil. Confira!

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

Saúde

Candidíase: o que causa e como aliviar o desconforto?

A candidíase é uma doença causada por fungos que, em geral, atinge mais a região genital do corpo. Apesar da infecção poder afetar ambos os sexos, as mulheres são as que mais sofrem com o incômodo. A candidíase causa muito desconforto e pode ser desencadeada por desequilíbrios no sistema imunológico, estresse e uso de roupas muito apertadas. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, inchaço, corrimento, dor ao urinar e durante as relações sexuais. Entenda mais sobre o problema e como aliviar!

Como manter o sono regulado na quarentena?

Bem-estar

Como manter o sono regulado na quarentena?

A má qualidade de sono pode trazer diversos prejuízos para a saúde do corpo e da mente. É durante a noite que o organismo passa por processos metabólicos importantes para o seu funcionamento. Dormir a quantidade de horas recomendadas é fundamental para que o corpo se recupere energeticamente. Durante a quarentena, no entanto, as mudanças de rotina, associadas com o estresse e alimentação, podem desregular o sono e até mesmo contribuir para a insônia. Confira algumas dicas de como combater esse problema e dormir melhor nesse período complicado!

Ver mais